Há coisas que vamos ter de lidar com ela nesta vida.

      A artrose é uma delas.  "Não podemos fugir às artroses". Ela vai fazer parte da nossa existência, especialmente, lá pelos 60 anos. À medida que vamos envelhecendo, ela vai chegar para nos acompanhar.  Ela faz parte do processo "natural" da nossa vida. Ela avisa-nos que as nossas articulações têm limites.

Para algumas pessoas, ele começa já aos 40 anos e, na década de 60, a osteoartrose é praticamente certa. Independentemente do seu nível de exercício, a passagem do tempo mostra os sintomas clássicos de dor nas articulações e rigidez da manhã, que piora ao longo do tempo.

A maioria dos médicos hoje considera esta condição debilitante como progressiva e incurável.

 

 

 A artrose passará a constar nos exames das pessoas a partir de certas faixas etárias.

          Podemos dizer, portanto, que algumas doenças é como cabelo branco, quanto mais a pessoa envelhece, maior é a chance de tê-las, a artrose é uma delas. Com o envelhecer, vários problemas de saúde começam a aparecer, e a pessoa pode começar a apresentar um ou vários problemas de saúde. Praticamente todas as pessoas desenvolvem a artrose à medida que envelhecem, porém envelhecer não é a única causa dela. Todos esses problemas são acelerados com passar dos anos, trazendo mais riscos a vida dos acometidos deles.          

          São efeitos negativos do processo de envelhecer, mas podem ser retardados o seu aparecimento se os fatores ocasionadores deles forem prevenidos. Primeiramente, é preciso conhecer todos os fatores que promovem e aceleram esses desgastes (degenerações). Existem formas de prevenir, desacelerar ou frear os seus avanços e até de consertar alguns danos.  

Leia também  envelhecer-com-saude

 

O que é cartilagem?

      A cartilagem é um material firme e tipo um emborrachado que cobre as extremidades dos ossos nas juntas normais. Sua principal função é reduzir o atrito nas juntas e servir como "amortecedor".

 A osteoartrose progride gradualmente.

         Culpa biomecânica e bioquímica. Começa com uma quebra da matriz da cartilagem. O estágio 2 avança para a erosão da cartilagem e uma liberação de fragmentos de colágeno. O estágio 3 é uma resposta inflamatória crônica aos danos. Os objetivos do tratamento são reduzir a inflamação e a dor. Não há terapia de drogas que tenha sido eficaz para realmente melhorar a função das articulações. Reduzir a dor, sim, mas reparar os danos? A substituição total do joelho e os pinos na coluna vem com riscos e complicações significativas, especialmente em indivíduos idosos.

A imagem ilustra os discos da coluna com a cartilagem que sofre diminuição da sua espessura quando há os desgates.

 

        É importante saber que a solução para muitas doenças que nos acometem hoje, ainda está longe de ser alcançada. A medicina evoluiu muito, mas não consegue ainda resolver muitas doenças.

       Nem os mais avançados centros de medicina do mundo, apesar de tanta evolução nos seus tratamentos contam com recursos para curar algumas doenças e oferecem apenas tratamentos paliativos. A medicina, infelizmente, ainda não consegue resolver uma a artrose ou  osteoartrose e receita quase sempre atenuantes de sintomas e não consegue se quer controlar a  sua evolução. 

 

Os fitonutrientes  ajudam.

 A reposição nutricional de nutrientes e fitonutrientes é uma solução para a artrose.

        Há fortes evidências de que as pessoas com artrose são deficientes em diversos antioxidantes, bem como dos nutrientes e fitonutrientes de apoio. Por conta disso é necessário fornecer ao corpo todos eles.
É preciso repor substâncias que, com o tempo o organismo diminui a produção ou deixa de produzir. É possível nutrir os ossos, as cartilagens e os tendões com alguns minerais e fitonutrientes adequados para fortalecer mais as articulações.

        Pergunte para um médico ou nutricionista para indicar um alimento que é melhor para a construção das articulações e ossos fortes e você vai, é claro, ouvir esmagadoramente que é o leite. Mas há outros alimentos com capacidade superior ao leite para ajudar na regeneração.

 

Resulta em progressiva limitação dos movimentos.

      Esta realidade é importante porque à medida que o corpo envelhece, começa-se a notar alterações nas articulações e um declínio na sensação de "força" física.

A capacidade do corpo de reparar a cartilagem deteriora-se com o aumento da idade. Os condrócitos perdem a capacidade de fazer reparos e produzir mais cartilagens. 

        As juntas fornecem flexibilidade, suporte, estabilidade e proteção, mas os ligamentos podem afrouxar e os músculos ao redor da articulação podem enfraquecer, assim a pessoa sente limitações do movimento ao usar a articulação.

 

Como evitar o avanço da osteoartrose

     A osteoartrose surge cada vez mais cedo. Não tem cura, mas há formas de atrasar a sua chegada em nossa vida e a sua progressão.

         A artrose, ou mais precisamente a osteoartrose, é a doença crônica mais frequente do ser humano. Afeta acerca de 20% da população adulta. 

Ao longo do tempo, a cartilagem pode desaparecer em algumas áreas, diminuindo consideravelmente sua capacidade de atuar como amortecedor. À medida que a cartilagem desaparece, os tendões e os ligamentos se estendem, causando dor. Se a condição piorar, os ossos podem esfregar um contra o outro.

Tudo começa com o desgaste da cartilagem, que funciona como amortecedor e lubrificante das articulações. As mais afetadas são as dos joelhos, ancas (bacia), zona cervical e lombar, mãos e pés. Sem o apoio da cartilagem, o osso cresce e fica mais denso, formando osteófitos, conhecidos como bicos de papagaio.

       Dor, inflamação e dificuldade de movimentos aparecem logo a seguir. Associamos a artrose à idade avançada, mas ela pode surgir mais cedo. Por volta dos 30-40 anos já há quem sofra com a perda gradual de cartilagem, que resulta em progressiva limitação dos movimentos.

A cartilagem é constituída por quatro substâncias: colágeno, proteoglicanos, água e condrócitos. Ao longo desse material vamos falar desses componentes.

 

É possível atrasar a chegada da doença

         O principal sintoma da osteoartrose é a dor, que se agrava com o esforço físico e melhora com o repouso (ao contrário da artrite, em que a dor é permanente). A rigidez matinal das articulações é outro sintoma comum.

           Apesar de não ter cura, é possível evitar a progressão da doença, com o uso regular de regeneradores naturais das cartilagens. Há estudos que mostram que estas substâncias tem efeitos positivos porque lubrifica e ao mesmo tempo estimula os condrócitos, o que promove a regeneração da cartilagem, ajudando a evitar o agravamento da doença.

 

        Há tempo atrás, recebi um email de uma senhora que dizia: tenho 78 anos estou com artrose nos dois joelhos, desgaste em várias vértebras da coluna cervical e lombar e da lombosacra. Sofro fortes dores para caminhar, uso andador e quando estou em casa fico a maior parte do tempo na cadeira de roda. Por conta dos problemas no coração, meu cardiologista desaconselha a cirurgia para a colocação da prótese no joelho. Será que a fitoterapia pode me ajudar? Há algo que pelo menos amenize as minhas dores?

    Hoje, com ajuda da fitoterapia e dos fitonutrientes, ela não precisa mais do andador e nem da cadeira de rodas e também não sente dores.

 

   Músculos, ossos e articulações juntos formam o sistema músculo-esquelético do corpo e, assim, permitem a nossa mobilidade. Mas sofrem degenerações em pessoas de idade, tornando importante acentuar o uso das Fitossubstâncias e nutrientes que podem ajudar na prevenção, na regeneração e a revitalizar o tecido conjuntivo.

  • age como regeneradora das cartilagens articulares,

  • atua como antifibrótico, desfaz as atrofias e hipertrofias,

  • confere melhorias na função da marcha, melhorando o caminhar,

  • contribui para a regeneração da fibra muscular e reparação muscular,

  • diminuem e previnem  as atrofias,

  • diminua a rigidez articular,

  • diminui e desfaz a agregação de osteofitos,

  • diminuem o desenvolvimento de lesões musculares,

  • efeitos benéficos sobre marcadores inflamatórios,

  • eficazes para controlar a inflamação osteoarticular,

  • estimulam a regeneração da musculatura,

  • evitam a diminuição da espessura da cartilagem,

  • evitam a artrose prematura,

  • mantem articulações saudáveis, ossos, ligamentos e tendões.

  • mantem as articulações flexíveis e móveis,

  • melhora o potencial de regeneração de tecidos musculares,

  • melhoram a contração muscular,

  • melhoram a espessura da muscular,

  • melhoram dores e função física em pacientes com osteoartrite,

  • previnem o espessamento das vértebras,

  • protegem os músculos,

  • reduzem a progressão da degeneração das articulações,

  • regridem a inflamação das articulações.

Há uma série de ensaios clínicos e diversos estudos, que demonstraram evidências e efeito benéfico de nutrientes e várias fitossubstâncias que atuam nas condições clínicas relacionadas acima.

 

 

       A Professora Alice aos 58 anos já estava usando uma bengala, pois a cartilagem do seu joelho direito estava com uma acentuada degeneração, devido a uma artrose. Seu médico já havia sugerido a colocação de uma prótese, e ela vinha pensando seriamente nisso. No entanto, o médico alertou que a prótese duraria entre 8 e 12 anos.

O que fazer?

       Submeter a um procedimento que seu beneficio podia durar tão pouco tempo. Ela estava decidida a fazer todo o possível para adiar a cirurgia, mas não à custa de sua qualidade de vida. Pouco mais de um mês após iniciar um programa vida saudável com suplementação nutricional e com fitonutrientes, ela já sentiu e constatou melhoras. Tornou-se muito mais ativa e sentia menos dor. Parou de usar a bengala. Dependia menos dos remédios e conseguia fazer mais coisas do que lhe fora possível por anos. O mais animador para a senhora Alice foi  ir ao seu médico e fazer novos exames e compararem com os que ela havia feito a dois anos atrás com o atual e viram a melhora. Ela comemora cada ano que passa como mais um ano de adiamento da prótese. Apresentou  melhora no outro joelho que também já tinha um desgaste bem significativo.
          

  

       A toma regular de anti-inflamatórios é frequente nas osteoartroses e noutras doenças ósseas muito dolorosas, são medicamentos que são agressivos para o estômago e podem ser responsáveis por gastrites e em caso de toma prolongada de doses elevadas, originar hemorragias digestivas que não são visíveis. Estas hemorragias podem originar consequentes anemias crônicas, bastante comuns na idade.

        Há ainda muitos casos em que, dada a história clínica do doente, a toma destes medicamentos pode ser mesmo contraindicada. Os anti-inflamatórios podem ainda interagir com vários medicamentos tomados para tratamento de outras doenças crônicas ou, pela sua ação, agravar ou descompensar a doença.

 

 

 

      Não podemos falar de cura, mas aqui vão alguns conselhos para que a osteoartroses atraze a chegada dela em nosso corpo e sem tantos problemas:

  •  respeite as articulações. Se elas promovem dor, está na hora de parar. Um repouso de poucos minutos, pode fazer milagres;
  •  movimentar e movimentar. Este é um dos segredos. Caminhadas, ginástica suave é o suficiente, para que o sangue chegue às suas articulações e promova o equilíbrio necessário. Isto tem de ser diário. Este exercício tem de ser considerado um "medicamento".
  •  alimentação saudável, rico em vitaminas minerais e fitonutriente.
  •  sol. Essencial na potenciação das nossas vitaminas regeneradoras;
  •  hidratação. Beba água.O líquidos façam parte da capacidade regenerativa, porque levam os nutrientes para as cartilagens.

 

       Por fim, convém não esquecer que a atividade física continua a ser essencial para fortalecer os músculos que suportam as articulações, desde  que se opte por atividades de baixo impacto, como natação, hidroginástica ou bicicleta.

 

         A chave para reduzir a inflamação crônica em seu corpo começa com sua alimentação

        Como seria imprudente continuar constantemente a tomar medicamentos para combater esta inflamação, a melhor forma de fazê-lo é através da sua alimentação. Existem muitas ervas com capacidade anti-inflamatórias e especiarias anti-inflamatórias que vai combater naturalmente a inflamação.

  •  O fio que liga uma grande variedade de problemas comuns de saúde é inflamação crônica
  • A chave para reduzir a inflamação crônica começa com a sua alimentação.

       Nossa alimentação desempenha um papel na ativação de mecanismos anti- inflamatórios, com componentes alimentares prevenindo ou combatendo a inflamação. Saber quais alimentos reduz a inflamação é o primeiro passo na escolha dos ingredientes da sua alimentação. Fazer uso de ervas e especiarias de alta qualidade é uma maneira simples de aumentar a qualidade anti-inflamatória de sua comida

 

Especiarias e ervas anti-inflamatórias mais eficazes

Cúrcuma: quando se trata de alimentos anti-inflamatórios naturais, a primeira coisa que vem à mente é a açafrão. É o rei dos alimentos anti-inflamatórios. 

Gengibre: o gengibre é uma pitada de especiarias anti-inflamatórias. Hoje, suas propriedades curativas foram confirmadas por estudos científicos. Gengibre pode ser comprado como uma nova raiz na maioria dos supermercados.

Canela: Este tempero popular, muitas vezes usado para dar sabor a doces, é um anti-inflamatório natural. O benefício mais importante que esta especiaria oferece no processo de combate à inflamação, é no alivio do edema (inchaço). É uma boa ideia é usar esta deliciosa especiaria polvilhando-a em seu café ou chá e no seu cereal ou fruta no café da manhã.

Cravos-da-índia: amplamente utilizado na cozinha asiática há milhares de anos, tanto para fins dietéticos como medicinais, os cravos-da-índia podem ser uma adição a uma dieta saudável. Eles foram conhecidos por melhorar a digestão, combater o diabete e até mesmo combater o câncer. Grande parte disso é devido às suas propriedades anti-inflamatórias, pois os cravos-da-índia contêm um composto chamado eugenol. Este composto funciona bloqueando a atividade de enzimas causadoras de inflamação nocivas chamadas cicloxigenase (COX).

 

Estrutura básica da cartilagem comum das articulações

          Para entender o efeito modificador da estrutura de diferentes nutrientes e como eles podem suportar o processo de regeneração da cartilagem, é importante conhecer a composição da cartilagem e os mecanismos metabólicos envolvidos no turnover normal.

          A cartilagem é classificada em três tipos diferentes com base no tipo de colágeno utilizado e na quantidade relativa dos componentes principais, isto é, cartilagem elástica, cartilagem hialina e fibrocartilagem. Ao contrário de outros tecidos não é inervada e não contém vasos sanguíneos ou estruturas linfáticas. Há apenas um pequeno número de condrócitos dentro da cartilagem e eles representam apenas 1-5% do volume da cartilagem. Os condrócitos são responsáveis ​​pela manutenção da composição e organização da matriz. Eles produzem esta matriz extracelular composta de fibras de colágeno e elastina, bem como proteoglicanos.

        A cartilagem hialina, encontrada nas juntas, caracteriza-se pela alta elasticidade e resistência à pressão. É composta por quatro zonas diferentes: a zona tangencial superficial, a zona média ou transitória, a zona profunda ou radial e a zona da cartilagem calcificada. A rede de colágeno da cartilagem articular consiste principalmente em fibrilas de colágeno tipo II. As fibras de colágeno são importantes para a resposta às forças de tração dentro da articulação.

            Os proteoglicanos estão entrelaçados com a rede de colágeno. Devido à carga líquida negativa dos proteoglicanos, uma grande quantidade de água é encerrada na cartilagem. O teor de água é importante para a resiliência e elasticidade do tecido, bem como para a lubrificação do sistema articular. Os proteoglicanos da cartilagem articular são grandes complexos supramoleculares, compostos por um filamento central de ácido hialurônico, ao qual as moléculas compostas de sulfato de condroitina e sulfato de queratano são ligadas por uma proteína de ligação em uma configuração semelhante a uma escova. A glucosamina é um componente necessário para a síntese de muitos destes proteoglicanos, que incluem ácido hialurônico, sulfato de heparano e sulfato de queratano. A produção de glucosamina é uma das etapas limitantes da produção de proteoglicanos.

          A capacidade da cartilagem articular para se regenerar ou se adaptar às mudanças mecânicas é muito limitada. Foi postulado que esta incapacidade de se adaptar às mudanças mecânicas está relacionada à sua incapacidade de reparar após danos mecânicos sofridos.Uma razão é a natureza avascular deste tecido, o que dificulta o movimento das células progenitoras para os locais da lesão. Devido à falta de vasos sanguíneos, os condrócitos dentro da cartilagem recebem nutrientes somente por difusão do tecido circundante. Portanto, uma grande quantidade de componentes básicos deve estar disponível nesse tecido.

       O líquido sinovial viscoso é composto de ácido hialuronano, uma glicoproteína grande, solúvel em água, glicose e água. O hialuronano é sintetizado pela membrana sinovial e liberado na cavidade articular.

 

Como os nutrientes modulam os processos de inflamação e o estresse oxidativo e os desgastes envolvidos na osteoartrose?

        A terapia comum se concentra principalmente no tratamento de sintomas, como a redução da dor, mas não trata a causa. No entanto, o objetivo principal da terapia deve ser o atraso da degeneração da cartilagem e até mesmo ajudar a regenerar a estrutura da cartilagem.

          Além do uso de chás e alimentos com atividade anti-inflamatórias, a reposição com condroprotetores, como sulfato de glucosamina, hidrolisado de colágeno ou outros nutrientes, como os antioxidantes, é uma terapia promissora abordagem. Numerosos estudos clínicos demonstraram que a administração direta de micronutrientes selecionados leva a uma redução mais efetiva dos sintomas de osteoartroses.  Além da estimulação do metabolismo da cartilagem e, portanto, da regeneração da cartilagem, muitos deles possuem mecanismos que modulam os eventos inflamatórios e os processos oxidativos envolvidos na osteoartrose.

        Os condroprotejantes são componentes essenciais do metabolismo da cartilagem e estimulam importantes processos de regeneração da cartilagem, ajustando assim o desequilíbrio dos processos catabólicos na osteoartrose.

          Os condroprotetores são componentes básicos da cartilagem e do líquido sinovial, eles estimulam o processo anabólico do metabolismo da cartilagem e sua ação anti-inflamatória pode atrasar muitos processos catabólicos induzidos por inflamação na cartilagem. Esses dois mecanismos são capazes de retardar a progressão da destruição da cartilagem e podem ajudar a regenerar a estrutura das articulações, levando a uma redução da dor e ao aumento da mobilidade da articulação afetada.

 

Como mostrado acima, a glucosamina, o ácido hialurônico e o hidrolizado de colágeno são componentes naturais importantes da cartilagem e do líquido sinovial. Eles são naturalmente formados pelo corpo, mas também podem ser fornecidos na alimentação.

A suplementação de tais componentes básicos é benéfica, especialmente quando há um equilíbrio perturbado entre processos catabólicos e anabólicos, como na osteoartrose.

A produção de glucosamina é o passo de limitação de taxa nessa síntese, e a suplementação de glucosamina pode superar esse gargalo.

 

      A Glucosamina ou 2-amino-2-desoxi-D-glucose (C 6 H 13 NO 5 ) é um monossacáridio de amino. É sintetizado a partir de glicose em quase todos os tecidos humanos e é mais abundante no tecido conjuntivo e na cartilagem. A glucosamina pode ser extraída da quitina, encontrada principalmente no exoesqueleto de crustáceos (caranguejos, camarões e lagostas), bem como nas membranas celulares dos cogumelos. É um importante precursor da síntese de glicoproteína e glicosaminoglicano (GAG). Dentro da cartilagem, é muito importante para a formação de ácido hialurônico, sulfato de condroitina e sulfato de queratano e das fibras de colágeno.

        A glucosamina aumenta a produção de ácido hialurônico em explantes sinoviais. Outras experiências demonstraram que a glucosamina evita a degeneração de colágeno em condrócitos, inibindo reações de lipoxação e oxidação de proteínas. Os processos inflamatórios, que também são responsáveis ​​pela degeneração da cartilagem, são inibidos pela glucosamina.

 

Colágeno: suplemento plausível para dor nas articulações.

        O colágeno é a proteína que formam o tecido conjuntivo. Os tecidos conjuntivos contêm uma mistura de células, proteínas, polissacarídeos complexos e constituintes inorgânicos. Além disso, o colágeno está presente nas articulações. Possui uma configuração especial que proporciona propriedades elásticas específicas às proteínas: as fibras de colágeno estão localizadas na matriz extracelular e têm a capacidade de aumentar ou reduzir seu volume de acordo com o grau de compressão a que estão sujeitas. Portanto, protege os órgãos e os tecidos da ruptura e perda de forma ou estrutura quando são estressados ​​por movimentos repentinos. Além do seu papel estrutural em tecidos e órgãos, o colágeno também é importante para o desenvolvimento de tecidos, uma das suas funções é influenciar a diferenciação e a proliferação de células não-especializadas.

 

        Se você está procurando a melhor estratégia para melhorar a saúde das suas cartilagens e articulações, então procure um profissional que lhe ajude criar um programa alimentar para ajudá-lo a alcançar exatamente isso. Muitas pessoas recorrem a drogas farmacêuticas e outros métodos convencionais para aliviar seus sintomas, mas estes são apenas soluções de paliativas que normalmente resultam em mais danos do que bem.  Se você acha que tomar medicamentos prescritos ou comprados aleatórios  e fazer cirurgias para colocar próteses ou pinos é uma solução viável, pense novamente. As drogas não só o expõe a efeitos colaterais nocivos, mas também conduzem à outras doenças.

O que vai melhorar significativamente das suas cartilagens é mudança dos seus hábitos alimentares.
 Depois de começar com um bom programa, você notará uma melhoria em suas articulações em poucas semanas.

Lembre-se, não há produto milagroso como os propostos nas propagandas. Este tópico teve o propósito de lhe ajudar com informações reais sobre a osteoartrose para compensar a desinformação, dor e sofrimento que o sistema convencional provavelmente já lhe causou ao oferecer-lhe paliativos.

 

    Além da prevenção, é importante  combater a dor e a inflamação. Geralmente os médicos prescrevem-se analgésicos e anti-inflamatórios. Mas isto, não resolve. Há alimentos que contribui para desinflamar.

Leia também o-alimento-cura

 

 

A Estenose do canal lombar é uma doença escondida nos sinais da velhice.

        É uma doença que é frequentemente confundida com os sinais do envelhecimento, uma vez que são as pessoas idosas são as mais afetadas. A estenose do canal lombar cria uma dificuldade progressiva no andar, dores e falta de força nos membros inferiores. A marcha fica cada vez mais lenta. Muitos dos doentes conformam-se pensando ser parte da velhice.

        Estima-se que a doença afete cerca de 10% da população, mas mais de 20% na faixa etária acima dos 65 anos. A coluna é uma estrutura móvel sujeita a um processo degenerativo, mais rápido ou lento dependendo do estilo de vida da pessoa. O desgaste progressivo das vértebras e dos discos da coluna origina a estenose lombar – o estreitamento do canal central da coluna vertebral e dos canais por onde saem as raízes nervosas.

       A doença aparece nas idades mais avançadas. A grande maioria das pessoas afetadas por este problema não são diagnosticadas. Muitas vezes as queixas não são consideradas, e com o tempo a pessoa apercebe-se de que tem de sentar-se para descansar e só depois consegue andar mais um pouco.

       Atividade física e massagens tornam-se necessária para a descompressão das estruturas nervosas e geralmente traduz-se numa melhoria da qualidade de vida da pessoa.

      Atividade física é qualquer movimento corporal produzido pela musculatura. Exemplos: caminhar para se deslocar de um lugar a outro, passear com o cachorro, subir escadas, dançar, cuidar do jardim, entre outros.

      Exercício físico é uma forma de atividade física planejada, repetitiva, com orientação profissional, que visa desenvolver a resistência física. Exemplos: natação, musculação, entre outros.

 

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade