Fazer xixi é um ato normal, mas para o homem que está com a próstata aumentada é um momento de sofrimento.

 

     >>>>>> >>>>>>
Hiperplasia benigna da Próstata é um problema que todo homem vai ter
                  
A hiperplasia benigna de próstata (HPB) atinge homens com mais de 50 anos.
   Urologistas alertam que, depois dos 50 anos de idade, todo homem vai desenvolver o crescimento da próstata, uns mais rápido, outros mais devagar. 
   Em muitos homens este aumento tem começado aos 40 e 45 anos e já a partir dos 30 anos, segundo a Sociedade Suiça de Urologia pode ser observado um leve aumento da próstata em alguns homens. Aos 40 anos, 10% dos homens já tem um aumento da próstata, aos 50 anos, esse número salta para 50%.
   Esse crescimento gera dificuldade para se expelir a urina. Nos casos mais extremos leva ao uso de sondas e na maioria leva a indesejável cirurgia.
   A causa exata para a hiperplasia prostática benigna ainda não é conhecida. Na maioria dos homens a próstata aumenta à medida que envelhecem. Por conta disso é considerado um processo esperado do envelhecimento masculino. Podemos dizer, portanto, que a hiperplasia  benigna de próstata é como cabelo branco, quanto mais o homem envelhece, maior é a chance de tê-la.
Estima-se que há 18 milhões de homens com hiperplasia benigna da próstata no Brasil.

Hiperplasia benigna da próstata, como o próprio nome diz é um crescimento benigno que não tem nada a ver com câncer. Repetindo, para que não haja confusão: a hiperplasia da próstata é considerado um processo natural do envelhecimento e não se torna câncer da próstata.

 

     >>>>>> >>>>>>

 

A terapia proposta até o momento pela medicina mostra a ignorância da urologia sobre as causas ou cura de uma doença que pretendem superar.
     Nem os combatentes (médicos urologistas) ou vítimas (homens com HPB) podem fazer muito neste sentido, porque não se tem pesquisado a causa desse aumento, simplesmente foi aceito como uma pré-condição do envelhecer. 
     A terapia atual tem sido paliativa e penosa para os homens, deixando–os entre a cruz e a espada. Se não tomar o medicamento não conseguem eliminar a urina (fazer xixi) e pode ocorrer a obstrução mecânica da urina, se tomar não conseguem ter ereção.
 
    A hiperplasia prostática benigna é uma doença progressiva e os medicamentos não conseguem conter o aumento, apenas auxiliam na passagem da urina.
    A retenção de urina, que é a incapacidade para esvaziar a bexiga, exige um aumento do esforço necessário para o esvaziamento, com isso a parede da bexiga se torna espessa e pesada. Ocorre também o refluxo de urina que atinge o rim e lhe causa dano.

Se deixada sem tratamento a urina retida na bexiga pode ascender para os rins, o que pode causar a hidronefrose.

     

 

 
     >>>>>> >>>>>>
Esta na hora de exigir mais pesquisa nesse seguimento também, pois os homens não têm opção terapeuta menos radical e menos agressiva e arcam com os efeitos adversos dos procedimentos.
     
    Até o momento, a terapêutica medicamentosa inclui algumas opções que só amenizam os sintomas, não controla e nem soluciona o aumento da próstata. Sem contar que a medicação para tratar a hiperplasia prostática benigna causa disfunção erétil (impotência). 
    As consequências de alguns procedimentos incluem estenose uretral, incontinência urinária permanente (perda involuntária de urina) e impotência.
    
   Os recursos da medicina ainda são limitados para a hiperplasia benigna da próstata.
 
   Acredito que se houver mais empenho é possível desenvolver tratamento que não tragam tantos problemas a vida dos homens.

 

     >>>>>> >>>>>>
A hiperplasia prostática benigna é uma doença progressiva.
Nessa foto ilustrativa com pedras, mostramos como ocorre crescimento da próstata.   

 

O aumento da próstata causa a demora para liberar a urina

O aumento da próstata  torna mais difícil para urinar.

À medida que a glândula aumenta, ela obstrui o fluxo de urina para a uretra. Isto aumenta a função da bexiga para remover urina. Ao longo do tempo o problema é agravado e muitas vezes dificulta para esvaziar toda a urina.

A pressão da próstata na uretra faz com um fluxo de urina interrompido ou fraco. Outros sintomas incluem:

    Dificuldade para iniciar a micção.

    Permanência da dificuldade de ter urinado.

    Sensação de não esvaziar completamente a bexiga

 

O aumento da próstata em si não é um problema. O problema reside no fato de que a próstata é anatomicamente localizado ao lado de algumas estruturas do trato urinário, principalmente a uretra. O aumento da próstata comprime a uretra e impede o fluxo de urina e pode  causar obstrução, hidronefrose (recolha de urina no rim) e insuficiência renal.

Outro sintoma de crescimento da próstata é a disfunção erétil (impotência), que ocorre por compressão dos nervos que controlam a ereção.

Esta ilustração mosta a urétra normal e a urétra sendo obstruida pelo volume da próstata.

 

      Como a próstata tem proximidade com a uretra (canal que drena a urina da bexiga), alterações no seu tamanho pode comprimi-la e impedir a passagem da urina. A próstata comprime a uretra e impede a passagem da urina. Na maioria das vezes a obstrução é parcial e permite a passagem de uma certa quantidade de urina, especialmente quando a bexiga está cheia e a pressão consegue vencer a resistência causada pelo aumento da próstata. No entanto, quando o nível de urina na bexiga diminui, a pressão cai e o jato, o qual já é fraco é interrompido.  Urina que não é drenada acumula no sistema urinário e, eventualmente, afeta os rins, levando a hidronefrose (dilatação dos rins). 

Ver a ilustração para compreender como a compressão da uretra ocorre. Esta imagem ilustrativa mostra a uretra sendo apertada pelo aumento da próstata.


 

 

 

O crescimento da próstata chega a tal ponto que pode haver um bloqueio completo do fluxo de urina. A sonda torna-se necessária para  eliminar a urina.   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     >>>>>> >>>>>>
Quando ocorre a obstrução total da uretra a Sonda é obrigatória para esvaziar a bexiga.

 

 

 
 

 

 

 

 

Esta imagem ilustrativa mostra o uso da sonda que só deve ser retirada se for realizado a cirurgia de remossão da próstata.

 

 

    Muitos homens com aumento da próstata e com dificuldade para urinar não procuram ajuda médica, o que é prejudicial para os seus sintomas urinários. Esse comportamento torna-se o estado muito mais grave, e muitas vezes, o paciente acaba tendo que ir a um hospital, com sintomas de insuficiência renal avançada ou em condições que se faz necessário a colocação da sonda.

     É importante que todo homem ao primeiro sinal de sintomas de crescimento da próstata, seja avaliado por um urologista. Evite se tratar por garrafadas vendidas na internet, nos anúncios de rádios ou por curandeiros. Um exame anual para monitorar o crescimento da próstata é importante em indivíduos acima de 40 anos de idade.

 

     >>>>>> >>>>>>

É importante saber que uma solução para a hiperplasia benigna da próstata sem dano, ainda está longe de ser alcançada.

 

   E mesmo porque nem os mais avançados centros de medicina do mundo, apesar de tanta evolução nos seus tratamentos contam com recursos para resolver a hiperplasia benigna da próstata e oferecem apenas tratamentos paliativos.

A medicina evoluiu muito, mas não consegue ainda resolver muitas doenças e a hiperplasia é uma das doenças que a medicina ainda não consegue resolver.

 

     >>>>>> >>>>>>
Por que uma peça tão pequena, que pesa apenas 15 g causa tanta preocupação nos homens e na medicina?
    Primeiro porque todos os homens apresentará, após os 50 anos de idade, o crescimento benigno da próstata. Em segundo lugar porque este crescimento cria dificuldade para se expelir a urina e nos casos mais extremos pode levar a indesejável cirurgia.
E, pelo fato de, até o momento as abordagens terapêuticas oferecidas na medicina não solucionar o aumento da próstata.

 

                                                 >>>>>>>>>>>>>
O problema existe e fingir que tá tudo bem, é o mesmo que querer tapar o sol com a peneira.
   Apesar de afetar milhões de homens, o HPB é um assunto pouco discutido, mas não pode mais ser ignorado ou negligenciado como acontece até o momento.  O homem fica frustado ao perceber que a medicina não apresenta uma solução. O mais importante, repito, é não “tapar o sol com a peneira”; isto é, aceitar estes tratamentos que não resolvem e ainda trazem mais problemas.

 

     >>>>>> >>>>>>
      A hiperplasia prostática benigna já começa a afetar alguns homens a partir dos 40 anos. A incidência aumenta com a idade. Uma análise realizada no ambulatório de urologia do Centro de Referência da Saúde do Homem, em São Paulo, mostrou que 25% dos homens com mais de 50 anos têm hiperplasia prostática benigna.

 

>>>>>> Esta causa é sua >>>>>>
   Convido as mulheres para se mobilizarem e fazer campanha em prol da saúde dos seus homens, pois toda mulher tem um homem na sua vida (avô, pai, irmão, filho, neto, tio, marido, cunhado e amigos). Nós mulheres não devemos deixar passivamente que os homens da nossa vida passem por tantos sofrimentos.
   Podemos criar uma campanha exigindo mais pesquisas pela saúde de nossos homens ou para levantar os recursos para realizar os testes de bioequivalências da fórmula mencionada acima.
   Assim venceremos a resistência dos governantes que, fundamentados em leis burocráticas e protecionistas, não investem nessas pesquisas, bem como o descaso dos órgãos competentes, que “fecham os olhos” a uma série de evidências que deveriam conduzir a sua atuação para um recurso terapêutico mais eficiente, menos danoso e seguro.

 

 

 >>>>>> >>>>>>
Na causa, a qual chamo as pessoas para se mobilizarem em torno dela, penso que devemos seguir o modelo da campanha do Balde de Gelo, é claro, sem ter que despejar gelo sobre a cabeça (o balde de gelo tinha uma razão de ser, as pessoas tinham que sentir a sensação que os portadores sentem com a doença), me refiro ao modelo no sentido de arrecadar fundos, ou seja, financiarmos os testes de experimentos que já se mostraram promissores para ajudar nos problemas que mencionei a cima.
  A campanha do balde de gelo começou nos EUA e rapidamente se alastrou pelo mundo. Podemos iniciar uma campanha no Brasil, se levarmos a sério também tem chance de ganhar o mundo, pois tratará de um tema que afeta homens no mundo todo.

 

 >>>>>> >>>>>>
A união faz a força
Temos presenciado na prática a força de uma união.
    Quando as pessoas despejaram baldes de gelo sobre suas cabeças numa "febre" que tomou as redes em agosto de 2014, o chamado desafio do balde de gelo, muita gente achou tudo aquilo uma brincadeira inútil. O desafio do balde de gelo tornou-se viral em 2014, em parte porque era divertido assistir a vídeos de amigos e celebridades (Mark Zuckerberg, Bill Gates, Steven Spielberg, Gisele Bündchen, Neimar, Ivete Sangalo e outros famosos) se molhando com um balde de água gelada. Mas segundo, a ALS Association o desafio arrecadou US$ 115 milhões em seis semanas e muitos participantes tornaram-se doadores fixos. Desse total, 67% foram destinados a pesquisas que pode levar à descoberta de tratamento da esclerose lateral amiotrófica.  
  A prova de que o desafio pelo mundo não foi em vão é que, passado um ano, em setembro de 2015, a ALS Institution, que luta pelas pessoas com a esclerose lateral amiotrófica, anunciou o sucesso da iniciativa, ao garantir que foi graças a toda essa mobilização que foi possível descobrir um possível tratamento para essa doença. O desafio ajudou a acelerar a pesquisa, porque trouxe recursos para que pesquisadores pudessem conduzir os experimentos que provavelmente não teriam sido realizados.

 

 

     >>>>>> >>>>>>
     Tivemos também a campanha em torno da fosfoetanolamina que não teve a finalidade de arrecadar dinheiro, mas mobilizou milhões de pessoas no Brasil, tornou-se assunto nas mídias e está sendo uma estratégia de maior sucesso do nosso tempo, com adesão de pessoas forçaram e cobraram que façam pesquisa na pílula desenvolvida com essa substância que, segundo estudos preliminares tem ajudado em casos de câncer.
    A iniciativa fez sucesso e alcançou repercussão internacional, engajando internautas do mundo todo. Foi uma forma de chamar a atenção e sem esse movimento não teria alcançado essa fenomenal proporção. Entre polêmicas e elogios, a campanha envolveu as pessoas e nos deu lições, mostrando que a união faz a força.
 
Exemplos como esses devem ser seguidos.

 

     >>>>>> >>>>>>

Estas campanhas mostraram a força que o povo tem quando abraçam uma causa.

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade