Incontinência urinária a fitoterapia também auxilia
 
     Milhões de pessoas sofrem de algum tipo de incontinência urinária.  A maioria são mulheres. Parece ser também uma consequência do envelhecimento, pois à medida que as mulheres envelhecem,elas sofrem de incontinência urinária com mais frequência. A incidência aumenta progressivamente com a idade, mas há mulheres jovens afetadas. Os dois tipos mais comuns de incontinência urinária é a incontinência de esforço e incontinência de urgência.  A incontinência de esforço ocorre quando uma pequena quantidade de urina vaza depois de levantar um peso pesado, exercício extenuante, ou espirros, tosse, ou rindo.  Este é o tipo mais comum que afeta as mulheres.  É geralmente causada quando os músculos do assoalho pélvico se tornam flácidos.
 
A incontinência de urgência é também chamado de bexiga hiperativa.  Isso acontece quando o corpo sinaliza uma necessidade imediata para liberar a urina sem aviso prévio.
 
A fitoterapia e um programa de suplementação alimentar, ajuda as mulheres a ter mais controle sobre sua micção e a evitar o vazamento acidental.  Tenho notado uma redução na frequência em mulheres com poucas semanas de reposição alimentar, que pelo visto, ajuda a fortalecer os músculos do assoalho pélvico, bem como os tecidos da bexiga.
 
A incontinência traz perda de qualidade de vida

Cito um caso para exemplificar: Alice 67 anos, que convivia com uma incontinência urinaria, há 9 anos. Ela trabalha como costureira e por conta da quantidade de vezes que tem que ir ao banheiro para urinar, vinha tendo problema no trabalho. Quando saía de casa, colocava fralda por conta do vazamento. É uma condição constrangedora e tem consequências na qualidade de vida, causando muitas vezes afastamento do convívio social e frustrações psicossociais. Ela trabalha como costureira e por conta da quantidade de vezes que tem que ir ao banheiro para urinar, vinha tendo problema no trabalho. Quando saía de casa colocava frauda. Em virtude do medo de algum "acidente" muitas pessoas evitam a atividades sociais. A pessoa acaba reclusa e isso aumenta os problemas, deprime. Atos corriqueiros como tossir, espirrar ou dar risada pode acarretar em perda de urina e colocar a pessoa em uma situação desconfortável.
Sua médica sensibilizada com o seu quadro, sugeriu a fitoterapia e encaminhou-a para que eu lhe passasse um tratamento natural.
Em 5 semanas ela apresentou uma grande melhora e já consegue ficar até por 2 horas sem urinar. Bom, para quem urinava a cada 20 minutos, isto é um grande feito.

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade