Fonte de Saúde e Longevidade

       Será que as ervas medicinais podem ajudar?

      Há algumas plantas e algumas substâncias de plantas que agiram em alguns tipos de vírus e bactérias, segundo alguns estudos.>> Mas, especificamente, para o Clovid19 (corona vírus) não há trabalhos científicos mostrando ação de ervas que possa combatê-lo. 

       Quando uma substância ou uma planta consegue eliminar ou conter a replicação de um determinado tipo de vírus ou uma bactéria, ela pode conter outros tipos de patógenos virais e bactérias, por conta dessa possibilidade de ajudar também no Clovid19, as citarei aqui.

       Vários estudos mostram que há plantas e fitossubstâncias que são muito eficazes para tratar as infecções virais e bacterianas, inclusive, as que atingem o trato respiratório, por isso, vou fornecer alguns exemplos.

 
Os chás que dão uma boa ajuda no reforço imunológico são de vital importância. Cito-os na sequência desse tópico
>>> O estado do sistema imunológico e da saúde geral de uma pessoa determina a sua chance vencer uma doença e, provavelmente, sua maior suscetibilidade à infecção. Para ajudar podemos contar com os chás que ajudam a fortalecê-lo.

 

> Vemos que, devido ao aumento das viagens globais e à rápida urbanização, surtos epidêmicos causados ​​por vírus emergentes e reemergentes representam uma ameaça crítica à saúde pública, particularmente quando vacinas preventivas e terapias antivirais não estão disponíveis. Até o momento, muitos vírus permanecem sem imunização eficaz e apenas alguns medicamentos antivirais são licenciados para a prática clínica.  O recente surto de corona vírus deixa uma coisa muito clara, precisamos nos valermos de recursos que possam ajudar como um coadjuvante. >> Em infecções virais ou bacteriana de difícil manejo devemos oferecer recursos coadjuvantes, pois apesar da grande evolução farmacológica, ainda perdemos a guerra para alguns vírus e bactérias.

 

      O corona vírus pode progredir para pneumonia, por isso, procure ajuda do médico.  Como esse vírus se espalha através de gotículas de saliva, são recomendados lavar as mãos e as medidas de isolamento social e em alguns casos usar máscaras faciais. 

       Meu objetivo ao escrever este tópico é apontar outros recursos que podem ser usados para ajudar, e se possível contribuir para o controle desse vírus.  >> É claro, que vão dizer isso por aí que falta mais estudos científicos, obviamente, que se tivessemos mais evidências seria melhor, mas imagine que, se for acometido de um vírus para o qual a medicina, ainda, não tem nenhum tratamento eficaz, vou esperar por estudo científico. A própria ANVISA e a OMS reconhecem que os estudos clínicos controlados, duplo-cegos, randomizados, de longo prazo, multicêntricos, não são a única forma de garantir a eficácia de um medicamento. Portanto, vale contar com as poucas evidências e usá-las conjuntamente com as medidas de prevenção.

Atenção. >> As informações que vou emitir a seguir não substitui as orientações médicas.

 

     Bloquear a replicação viral: A inibição da replicação viral é o objetivo de um tratamento antiviral. Não devemos ignorar que há várias fitossubstâncias que podem ser usadas simultaneamente para ajudar a conter a replicação

   Alguns compostos possuem ação antiviral e bacteriana  e está presente em várias plantas:

>> Gingerol  e Zingerone  do Gengibre.

 >> Carvacrol  do Orégano vulgare.

>> Eugenol do Cravo.

>> Timol do Tomilho.

>> Quercetina da Cebola.

>> Verbenalina  da Verbena officinalis.

>> Procianidina da Canela.

>> Menta piperita, >> Melissa officinalis >> Louro  Laurus nobilis. 

 

O que tem a ver vírus corona com o vírus Ebola e a bactéria Klesbiela? Nada.

Mas quando uma substância ou uma planta consegue atacar e conter um vírus ou uma bactéria de alta letalidade, como a bactéria Klesbiela e o vírus Ebola, ela pode, às vezes, conter outros patógenos virais ou bacteriológicos de igual gravidade.

   Os chás podem ser utilizados como um recurso coadjuvante as medidas de prevenção. Fitossubstâncias e Ervas medicinais que mostraram atividade antiviral contra vários patógenos. Estas plantas são vendidas nos supermercados, em farmácias.

  • resposta antibacteriana (interromper o crescimento de bactérias),
  • resposta antipatogênica (algumas fitossubstância se ligam às paredes celulares e agem como uma barreira que impede que outros microorganismos, como bactérias e vírus, se liguem às células humanas).

 

  O Cravo-da-índia contém o potente Eugenol. Aqui, mostro a capacidade do Eugenol para combater patógenos de difícil controle.

O Eugenol é um inibidor do vírus Ebola In Vitro.

      O Eugenol mostrou ação antiviral contra calicivírus felino, vírus Influenza A, vírus Herpes simples tipo 1 e 2 e outros. PMID: 31101988 

     Atividade antimicrobiana de Eugenol contra Klebsiella pneumoniae resistente a carbapenem e seu efeito em biofilmes. O Eugenol exibiu efeito antimicrobiano contra cepas de CRKP e pode ser potencialmente usado para controlar infecções relacionadas a CRKP. 31837416

         Na composição do Cravo foi identificado 36 diferentes substâncias. Eugenol é o composto mais ativo do Cravo-da-índia.  O Eugenol é encontrado na Noz-Moscada, na Canela, no Manjericão e no Louro. No entanto, botões e folhas de Cravo-da-índia contêm níveis mais altos de Eugenol.

Veja mais sobre Eugenol e Cravo  cravo-da-india

      >> Efeitos colaterais do cravo-da-índia. Embora raro, é possível ter uma reação alérgica ao Cravo e seus componentes. O óleo de Cravo é muito poderoso, mas tem sabor muito forte e desagradável. Se grande quantidade for ingerido, pode causar irritação na pele e pode irritar as membranas mucosas da boca e do estômago. Deve ser evitado durante a gravidez. >>>  Se for usar o óleo de Cravo, a concentração deve ser abaixo de 1%.

Referência organização internacional de normalização. Óleo de Cravo-da-índia (Eugenia caryophyllus)  Sprengel, Bullock e S. Harrison. Diretiva ISO 3141/1997, Genebra, Suíça, 2002.

 

   A Canela contém Procianidina que não inibiu a internalização do vírus, mas inibiu a infecção. Portanto, o extrato de Canela contêm atividades antivírus que atuam através de mecanismos distintos. PMID: 19428598

 

É possível evitar a absorção nasal e pela boca do virus?

Nem sempre, mas as medidas antissépticas podem contribuir e muito como medidas auxiliares para evitar a absorção.

Inalação de chás antissépticos.

Fazer gargarejo e bochecho

Cheirar um lenço umedecido em chá de Cravo

sprey com chá de Cravo

 

       Inalação é a aspiração de substâncias. As substâncias que estão no chá vão para os pulmões através das vias respiratórias.

     

        As Fitossubstâncias inaláveis podem ser extraídas sob a forma de chá. A inalação do vapor do chá de Cravo, de folhas de Louro e de Tomilho, além de ter ação antibacteriana, tem um efeito de afrouxar a fleuma e eliminar as bactérias e os vírus que estão nas vias respiratórias e nos pulmões. O que, por sua vez, ajuda a expandir os pulmões e a recuperar a respiração. O benefício mais importante é que ambas as plantas são úteis para ajudar os pulmões. Dessa forma, seu uso é um recurso eficaz em infecções que atingem a respiração e todo o  sistema respiratório.

 

A inalação ajuda a umidificar as vias respiratórias e afrouxa a secreção nasal e tem uma ação antisséptica que pode atacar vírus e bactérias.

      A inalação é um método muito antigo de administração de medicamentos e, nesse momento de ataques de vírus, torna-se um excelente recurso nos cuidados respiratórios, podendo contribuir de várias formas nos tratamentos. A via de inalação é frequentemente usada para administrar medicamentos para o tratamento de doenças respiratórias, como asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica. Comparada com outras vias de administração, a inalação oferece várias vantagens no tratamento dessas doenças. Por exemplo, por inalação, um medicamento é entregue diretamente ao órgão alvo, conferindo efeito rápido e baixas concentrações sistêmicas de medicamentos. Portanto, a inalação de fitossubstâncias está tipicamente associada a alta eficácia pulmonar.

      As fitossubstâncias chegam gradativamente e acumularam-se evidências que sustentavam as vantagens da via inalatória em relação a outras vias de administração de Fitossubstancias. As Fitossubstancias inaladas são localizadas no órgão-alvo, o que geralmente permite uma excelente resposta se administrada com administração oral de um chá e, portanto, menos e menos graves efeitos adversos.

      Possui ações benéficas em comparação com outras abordagens convencionais à administração de medicamentos. Para garantir que um recurso de inalação seja eficaz, ele deve corresponder a necessidade do paciente. O objetivo principal da terapia por inalação no tratamento local é reduzir os sintomas pulmonares, por exemplo, através do alívio e / ou prevenção da inflamação e constrição das vias aéreas. Fundamentalmente, altas concentrações de Fitossubstâncias com ação antisséptica, anti-inflamatória, antibacteriana e antiviral podem ser alcançadas entregando-os diretamente ao órgão-alvo, o pulmão.

      A absorção é direta e rápida e visa à deposição de partículas no nível pulmonar, evitando efeitos sistêmicos secundários indesejáveis ​​e apresentando um tempo de resposta mais rápido do que outras vias de administração oral. A via inalatória é preferencialmente escolhida nos casos de doença brônquica, pois permite a aplicação direta da substância nas vias aéreas inferiores.

 

Avaliação da atividade antibacteriana de óleos essenciais de plantas para uso no vapor em patógenos do trato respiratório.

     O número crescente de bactérias multirresistentes e o fato de resistência a antibióticos estão levando a uma necessidade contínua de descobrir tratamentos que sejam uma alternativa contra infecções, por exemplo, no caso de doenças do trato respiratório. Os óleos essenciais, devido à sua volatilidade, podem atingir facilmente as partes superior e inferior do trato respiratório por inalação. Portanto, o objetivo do presente estudo foi a avaliação antibacteriana de óleo de Cravo, casca de Canela, Tomilho e Hortelã-pimenta  contra agentes patogênicos do trato respiratório, como Streptococcus pneumoniae, S. mutans, S. pyogenes, Haemophilus influenzae, H. parainfluenzae e Moraxella catarrhalis.

O Óleo de Tomilho, de Cravo e da casca de Canela pode fornecer atividade antibacteriana promissora contra patógenos do trato respiratório, tanto em meio líquido quanto em vapor.  A combinação desses óleos e antibióticos pode ser benéfica no tratamento de doenças do trato respiratório.

Atenção >>> Na falta desses óleos podemos nos valer dos chás das plantas que  contem esses óleos.

 

       Os óleos essenciais produzidos pelas plantas têm sido tradicionalmente usados ​​para infecções do trato respiratório e hoje em dia são usados ​​como remédios éticos para resfriados. No campo medicinal, a terapia por inalação de óleos essenciais tem sido utilizada no tratamento de bronquite aguda e crônica e sinusite aguda. Em estudos a inalação de vapores de óleos essenciais aumentou a produção de líquido do trato respiratório, manteve a ventilação e a drenagem dos seios, teve efeito anti-inflamatório na traquéia e reduziu até as crises e recidivas da asma.

       Sabe-se que os óleos essenciais possuem atividade antimicrobiana, que foi avaliada principalmente em meio líquido. A avaliação sistemática da atividade do vapor foi relatada pela primeira vez por Maruzzella et al. 7 , 8 e Kienholz 9 em 1959.

       Vários óleos essenciais e plantas demonstraram excelentes efeitos antimicrobianos, antibacterianos e antivirais, mas, ainda, há falta de mais testes clínicos demonstrando eficácia para alguns tipos de vírus.

 

   Gargarejo, bochecho e enxágue bucal são maneiras simples e extremamente eficaz de matar germes e aliviar a dor de garganta. Mas vamos experimentar o gargarejo com ervas de ação antissépticas para, quem sabe, desta forma poder ajudar no controle de vírus e bactérias. O uso do enxágue bucal, bochecho e o gargarejo com frequência pode dificultar  reprodução das bactérias e vírus que entram pela boca.

        Papiros egípcios de 1600 aC citaram receitas para uma variedade de tratamentos usando ervas medicinais, particularmente em condições infecciosas. Os gregos antigos usavam para fins semelhantes e já sabiam - mais de 2.000 anos atrás - que tinham efeitos anti-inflamatórios e antissépticos para dificultar a reprodução das bactérias e vírus. As infecções respiratórias superiores são típicas e incluem resfriados comuns, gripes, mononucleose e infecções dos seios nasais. Algumas pesquisas sugerem que gargarejar com chás pode aliviar os sintomas e até ajudar a prevenir infecções respiratórias superiores.

O enxágue bucal, bochecho e gargarejo podem ser feitos com o chá de Cravo, das folhas de Louro ou das folhas de Tomilho.

Posso fazer o chá das três plantas?

Sim, mas por conta do tempo de fervura, cada chá deve ser feito separado. Depois de pronto podem ser misturados.

Cravo moído ferver por 3 minutos, Cravo inteiro ferver por 5 minutos. Louro folha moida ferver por 3 minutos. Tomilho ferver por 2 minutos.

Porção das plantas: 

    > uma colher de chá rasa de Cravo em pó para 200 ml de água.

    > uma colher de sobremesa cheia de Tomilho para 200 ml de água.

    > uma colher de sopa cheia de folha de Louro para 300 ml de água.

> Atenção >> os minutos devem ser contados depois do inicio da fervura.

> Atenção >> Moer o Cravo em casa, pois o Cravo moído do comércio, infelizmente, tem impurezas, inclusive pedras.

 

Propositadamente, para mitigar o efeito da resistência da bactéria podemos mastigar o Cravo.

Mastigar Cravo-da-índia traz  benefícios antissépticos contra patógenos bacterianos.

 Estudos demonstraram que o Eugenol no Cravo funciona como um poderoso agente anti-inflamatório. Isso também vale para o óleo de Cravo, uma forma de Cravo amplamente disponível.

O Cravo também combate a inflamação da boca e garganta. Em um estudo, o óleo de Cravo pode ajudar a aliviar a inflamação associada à placa e gengivite.

 

     Um estudo de enxaguatório bucal testou remédios à base de plantas contendo Cravo e Manjericão por 21 dias, mostrando melhora na saúde das gengivas, bem como diminuição da placa bacteriana e bactérias bucais. O Cravo-da-índia contém altos níveis de fitonutrientes antibacteriano e antimicrobiano, impedindo a propagação de várias infecções humanas. Os estudos com tubos de ensaio também demonstraram a capacidade do óleo de Cravo-da-índia em combater bactérias comuns, incluindo a cepa Escherichia coli (E. coli). As propriedades antibacterianas do Cravo-da-índia se estendem a outros tipos de bactérias, incluindo as cepas resistentes aos antibióticos. Essas cepas incluíram Staphylococcus aureus (causa acne na pele) e Pseudomonas aeruginosa (causa pneumonia).

    Um estudo realizado na Universidade de Buenos Aires testou Cravo-da-índia contra bactérias graves, como E. coli e estafilococo. A pesquisa mostrou que o óleo de Cravo era eficaz na eliminação dessas bactérias. Existe até uma receita para um colutório à base de plantas feito com Cravo e Manjericão. De acordo com o Departamento de Periodontia da Universidade KU Leuven, na Bélgica, esse enxaguatório bucal natural pode melhorar a saúde das gengivas e reduzir a quantidade de bactérias e placas na boca depois de usá-lo por apenas 21 dias.

 

É incrível pensar que uma intervenções tão simples podem nos ajudar no controle de doenças, bem como na recuperação dos danos causados por elas.

Hoje, há sucos que estão sendo estudados por seus muitos benefícios à saúde. Por também ajudar na prevenção e no tratamento de doenças, no suporte aos tratamentos das doenças respiratórias o suco quente de abacaxi traz benefícios muito importantes.tiaxica.com

 

Mastigar Gengibre

Faz se uma calda de açúcar e acrescenta as fatias de Gengibre.

Nesse ponto, acrescente as fatias de Gengibre. Deixe cozinhar por 5 minutos. Retire e deixe numa peneira para escorrer o excesso de calda.

Por gentileza, vejam receitas de caldas no google, infelizmente, estou sem tempo para gravar a receita.

 

Chá de Gengibre

1 colher de sobremesa de Gengibre ralada.

400 ml de água

modo de fazer

  1. Ferva água e o Gengibre
  2. Cubra a panela com uma tampa bem vedada para reter os princípios ativos.
  3. Ferva por dois minutos.
  4. Tomar apenas 100 ml por vezes. Frio ou morno.

O chá de Gengibre ajuda a afrouxar a fleuma e a expandir os pulmões, o que, por sua vez, ajuda a recuperar a respiração.

Para enxaguatório bucal, gargarejo e bochecho, o chá de Gengibre oferece benefícios anti-inflamatórios e antibacterianos.

Veja mais sobre o Gingerol e mais opções de receitas de Gengibre em www.tiaxica.com/gengibre

As propriedades biológicas do rizoma de Gengibre são atribuídas aos seus compostos ativos, incluindo Gingerol e Zingerona.

Atenção:

O Gingerol é uma fitossubstância encontrada no Gengibre fresco.

Zingerone está ausente no Gengibre fresco, mas ao cozinhar ou aquecer o Gingerol transforma-se em Zingerone.

Benefícios do chá de Gengibre para curar infecções bacterianas.

 >>>  Zingerone é um imunoestimulante e possui ações biológicas como aumento da função respiratória, atividade fagocítica e resistência contra patógenos virais e bacterianos. A atividade antibiofilme da Zingerona contra o patógeno Pseudomonas aeruginosa. Por conta dessa ação, a Zingerone pode ser explorado como um agente anti-infeccioso seguro contra infecções associadas ao Pseudomonas aeruginosa.

O Journal of Microbiology and Antimicrobials publicou um estudo em 2011 que testou a eficácia do Gengibre na melhora da função imunológica. Comparando a capacidade do Gengibre de matar Staphylococcus aureus e Streptococcus pyogenes com antibióticos convencionais, pesquisadores nigerianos descobriram que o Gengibre foi mais eficaz! Isso é muito importante porque essas duas bactérias são extremamente comuns em hospitais e muitas vezes causam complicações a um paciente já comprometido pelo sistema imunológico. Pode ser amplamente utilizado para tratar várias condições inflamatórias.

Depois que o chá de Gengibre esfriar acrescente uma porção de Gengibre cru. Assim, terá as duas fitossubstâncias presente no chá.

Em estudo, foi encontrado múltiplos benefícios farmacológicos no Zingerone e no Gingerol.

A adição de Gengibre à sua alimentação é uma forma de acentuar o uso das fitossubstâncias dessa valiosa planta  que pode ajudar a impedir os danos das doenças pulmonares. Geleia de Gengibre e casca de laranja.

 

Cha de Gengibre com suco de Abacaxi

1 colher de sobremesa rasa de Gengibre ralada.

400 ml de água

modo de fazer

  1. Ferva água e o Gengibre
  2. Cubra a panela com uma tampa bem vedada para reter os princípios ativos.
  3. Ferva por dois minutos. Acrescente 200 ml de poupa de Abacaxi. Quando iniciar a fervura desligue.

Tomar quente.

O benefício mais importante é que ambas as plantas são úteis para ajudar os pulmões e o sistema imunológico. Dessa forma, seu uso é um recurso eficaz em infecção que atinge a respiração.

 

Chá de Cravo

15 cravos inteiros

200 ml de água

modo de fazer

  1. Ferva a água e o cravo
  2. Cubra a panela com uma tampa bem vedada para reter os princípios ativos.
  3. Ferva por três minutos.
  4. Tomar apenas 50 ml por vezes. Frio ou morno.

Atenção >>> Para aproveitar os princípios ativos do Cravo pode moer no liquidificador.

Enxaguatório bucal. O Cravo-da-índia não apenas alivia a respiração, mas também oferece benefícios anti-inflamatórios e antibacterianos

Veja mais sobre o Eugenol e mais opções de receitas de Cravo em www.tiaxica.com/cravo-da-india

 

Por que o Cravo é tão eficaz para melhorar a imunidade?

 Aumenta a função do sistema imunológico.

O Cravo-da-índia contém grandes quantidades de antioxidantes, que ajudam o sistema imunológico a combater os danos oxidativos e os radicais livres. O Eugenol também tem a capacidade de ajudar a aliviar infecções e combater bactérias causadoras de doenças no corpo.  O Cravo está cheio de minerais, vitaminas e fibras. Mas o principal ingrediente que torna o Cravo muito poderoso para aumentar a imunidade é a substância Eugenol que também é o que dá ao Cravo seu odor forte. O Eugenol provou ser eficaz contra muitas bactérias e vírus nocivos e também é eficaz no combate a fungos.

 

Chá de Orégano

1 colher de sobremesa de folhas

300 ml de água

modo de fazer

  1. Ferva água e o Orégano
  2. Cubra a panela com uma tampa bem vedada para reter os princípios ativos.
  3. Ferva por dois minutos.
  4. Tomar apenas 100 ml por vezes. Frio ou morno.

Veja mais sobre o potencial terapêutico do Carvacrol e do Orégano em www.tiaxica.com/oregano

O Orégano combate bactéria resistente a antibióticos.

 

Chá de folha de Louro

6 folhas de Louro

400 ml de água

modo de fazer

     > As folhas secas devem ser trituradas no liquidificador e as verdes picadas e colocadas em frasco de vidro, no qual derrama água quente (90 ºC). O frasco tapado imediatamente e mantido nessa condição por pelo menos 10 minutos para obter as substâncias ativas. Após ser esfriado à temperatura ambiente, o chá deve ser coado ou filtrado através de um pano de algodão para remover resíduos.

Tomar apenas 50 ml por vezes. Frio ou morno. O restante deixar para fazer bochecho

Para enxaguatório bucal ou gargarejo, a folha de Louro oferece benefícios anti-inflamatórios e antibacterianos.

 

>>    As pesquisas científicas sobre os benefícios do Laurus Nobilis está em andamento e novas descobertas serão anunciadas. Mas ainda há muito trabalho a ser feito à medida que a pesquisa avança atravéz de ensaios clínicos. No entanto, você não precisa esperar pelos resultados dos trabalhos de pesquisas ou dos ensaios clínicos para se beneficiar dos compostos de Laurus Nobilis. Você pode aproveitar os muitos benefícios em infecções bacterianas, resfriado comum, gripe, infecções por fungos e infecções virais.

Inalação de vapor > O chá da folha de louro pode ser usado ​​para liberar a respiração.

Expectorante > Aliviar a congestão devido ao resfriado comum, gripe ou bronquite.

A folha de Louro exibe propriedades antivirais contra a replicação de SARS-CoV e HSV-1.

>>   Os pesquisadores verificaram a eficácia do Laurus Nobilis como agente antifúngico, antibacteriano e antiviral e como tratamento eficaz para a muitas doenças. >> Além disso, estudos recentes sobre os benefícios medicinais de compostos derivados de bagas, de folhas e casca do Loureiro estão apontando o caminho para possíveis curas para algumas das formas mais mortais de doenças infecciosas como SARS e MRSA.

       Estudo In Vitro feito pelo departamento de Microbiologia Molecular, Faculdade de Medicina e Ciências Farmacêuticas, Universidade de Okayama, Tsushima, Okayama, Japão, foi descoberto que um extrato das folhas de Laurus nobilis L. apresentou atividade antibacteriana contra Staphylococcus aureus resistente à Meticilina (MRSA). Purificado dois flavonoides como compostos efetivos e os identificado como kaempferol 3-O-alfa-L- (2 '', 4 '' - di-Ep-coumaroyl) -hamnosida (C2) e kaempferol 3-O-alfa-L - (2 '' - Zp-coumaroil-4 '' - Ep-coumaroil) -ramnosídeo (C3). Ambos os compostos mostraram forte atividade antibacteriana não apenas contra o MRSA, mas também contra enterococos resistentes à Vancomicina. PMID: 21387914

Departamento de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Farmácia e Ciências da Saúde e Nutrição, Universidade da Calábria, PMID: 18357554

 

Chá de folha de Verbena

6 folhas

300 ml de água

modo de fazer

  As folhas devem ser trituradas e colocadas em frasco de vidro, no qual derrama água quente (90 ºC). O frasco tapado imediatamente e mantido nessa condição por pelo menos 10 minutos para obter as substâncias ativas. Após ser esfriado à temperatura ambiente, o chá deve ser coado ou filtrado através de um pano de algodão para remover resíduos.

Esta é a Verbena officinalis que contem Verbalina

 

Tomilho

Chá Tomilho

folhas

300 ml de água

modo de fazer

  As folhas devem ser trituradas e colocadas em frasco de vidro, no qual derrama água quente (90 ºC). O frasco tapado imediatamente e mantido nessa condição por pelo menos 10 minutos para obter as substâncias ativas. Após ser esfriado à temperatura ambiente, o chá deve ser coado ou filtrado através de um pano de algodão para remover resíduos.

 


 

Casaca de Laranja, de Limão e de Tangerina podem ser raladas para ser acrescentadas aos chás de Gengibre, de Cravo, de Orégano, de Louro e de Tomilho. Nessas casas, há uns flavonoides, que são muito importantes para anossa saúde.

 

Chá de Cravo, Canela e casca de Limão

 

 Sabugueiro

Pesquisadores dizem que as propriedades antivirais do sabugueiro podem ser valiosas na prevenção e tratamento generalizados da gripe e outras doenças virais.

Flores e frutos de Sambucus nigra, são bem conhecidos por suas propriedades de combater  gripes e resfriados. Utilizados medicinalmente por séculos para reduzir sintomas de resfriado e outras doenças, os pesquisadores acreditam que o Sabugueiro pode ser uma das melhores substâncias antivirais naturais e pode ser usado para tratar efetivamente o resfriado comum e a gripe A e B.

Terapias antivirais de base ampla, como a suplementação com Sabugueiro, impedem a entrada de proteínas virais importantes nas células hospedeiras. Além disso, o extrato de Sabugueiro também é antimicrobiano e trabalha para combater infecções bacterianas (como pneumonia) que freqUentemente se desenvolvem como complicações da gripe.

Os principais benefícios do Sabugueiro para a proteção de infecções virais

O resfriado e a gripe comuns são responsáveis por mais de 20 milhões de consultas médicas por ano, causando muitos dias de faltas às aulas e ao trabalho. Embora os remédios convencionais tratem do alívio temporário dos sintomas, os pesquisadores acreditam que o extrato de Sabugueiro pode ser usado para reduzir efetivamente a duração de resfriados e casos de gripe. Os principais benefícios da suplementação com Sabugueiro incluem benefícios de ativação imunológica.

O suco de Sabugueiro estimula a produção de citocinas, uma proteína que atua para regular a imunidade e a inflamação. Em um estudo, as potentes propriedades de fortalecimento imunológico do Sabugueiro demonstraram ser eficazes contra 10 cepas únicas do vírus influenza.

Extrato de Sabugueiro contém propriedades antimicrobianas poderosas

O suco de Sabugueiro é rico em Antocianinas, um tipo de flavonoide que possui propriedades antimicrobianas e antivirais. Muitos pacientes com influenza grave A ou B são suscetíveis a infecções bacterianas como pneumonia, com taxas de pneumonia de até 65,7% entre pacientes hospitalizados com influenza.

Devido às suas potentes propriedades antimicrobianas, a suplementação de Sabugueiro é um poderoso composto natural na prevenção de influenza e subsequentes infecções bacterianas.

Devido às potentes capacidades antivirais e antimicrobianas do extrato de Sabugueiro, muitas pessoas adicionam xaropes ou chás de Sabugueiro à sua rotina diária, especialmente durante os meses de inverno ou no pico da estação de gripe.

Embora a maioria dos produtos de Sabugueiro seja segura, os pesquisadores descobriram que o consumo de Sabugueiro cru ou das folhas ou casca da planta de Sambucus pode causar efeitos gastrointestinais adversos, como náusea, vômito e diarréia. Por esses motivos, é melhor evitar a ingestão de Sabugueiro cru.

 

Além de melhorar a respiração o caldo feito com Mostarda e Rabanete contribui para eliminar as secreções pulmonares.

Modo de fazer >>>Emague um dente de Alho e frite-o em uma colher de sopa de óleo. Acrescente 2 colheres de fubá branco e meio litro de água. deixe cozinhar por 10 minutos. Desligue o fogo e acrescente a Mostarda cortada e uns pedaços de Rabanete e sal a gosto. 

Rabanete e folha de Mostarda >>>> Mucolíticos

Se pegarmos um resfriado ou uma gripe e tivermos muco e congestão, é uma boa ideia lembrar o Rabanete e a Mostarda, porque amolecem o muco e favorecem a expectoração. Eles têm a propriedade de reduzir o congestionamento das vias aéreas. 

Os benefícios deste caldo são múltiplos. O benefício mais importante é que ambos os vegetais são úteis para ajudar os pulmões. Dessa forma, seu consumo é um recurso eficaz em infecções que atinge a respiração.

A Mostarda e o Rabanete são indicados para pessoas que sofrem de asma, sinusite ou bronquite.

 

Derreter sabonete ou sabão de coco no chá de Cravo para assepsia das mãos.

Chá de cravo.

10 gramas de cravos moídos

600 ml de água

Deixe ferver por 10 minutos. Coar.

Cortar 200 gramas de sabonete ou sabão de coco em pedaços e acrescentar ao chá.

Levar ao fogo baixo para derreter.

OBS: feito com o chá fica mais escuro. Esse dá primeira foto foi feito com extrato de cravo, por isso, fica mais claro.

 

Aumentar a imunidade

A ciência apoia o poder da Ehinacea no tratamento de infecções do trato respiratório superior e muito mais.  Echinacea é uma pequena planta com grande poder de cura. Os nativos americanos usam Echinacea há mais de 400 anos para tratar infecções e feridas. Antes da introdução dos antibióticos, era usado para escarlatina, sífilis, malária, e difteria. O uso pela comunidade médica nos EUA diminuiu, mas tornou-se cada vez mais popular na Europa e principalmente na Alemanha.

O Echinacea é tão eficaz quanto o oseltamivir no tratamento precoce de infecções por vírus influenza com diagnóstico clínico e confirmado virologicamente, com risco reduzido de complicações e eventos adversos. Parece ser uma opção de tratamento atraente, particularmente adequada para o autocuidado.

 A Equinácea ou Echinacea possui atividade antiviral contra vírus influenza in vitro e tem sido tradicionalmente usada no tratamento de resfriados e gripes.

Echinacea pode até ser mais eficaz do que medicamentos para gripe. Em um estudo clínico randomizado, duplo-cego, duplo-manequim, multicêntrico, controlado, os pesquisadores compararam um chá quente de Echinacea com oseltamivir (Tamiflu), o tratamento padrão-ouro para a gripe. No julgamento, 473 pacientes com sintomas precoces de influenza receberam oseltamivir ou a formulação de Echinacea. Os resultados mostraram que a Equinácea era tão eficaz quanto a droga contra a gripe, e tinha muito menos complicações ou eventos adversos. PMID: 26265958

Echinacea reduz o risco de infecções e complicações recorrentes do trato respiratório: uma metanálise de ensaios clínicos randomizados. E pode impedir que um resfriado retorne. Uma meta-análise de seis estudos descobriu que pessoas com maior suscetibilidade ou estresse, ou imunidade enfraquecida, reduzem pela metade o risco de uma infecção respiratória recorrente por Echinacea. Eles também tiveram menos complicações como pneumonia, infecções de ouvido e amigdalite. PMID: 25784510

Aumentar a imunidade

Em um estudo piloto australiano, 11 indivíduos saudáveis ​​tomaram comprimidos de Echinacea diariamente por 14 dias. No final do período de teste, os pesquisadores observaram sinais de aumento da atividade imunológica, incluindo aumento da contagem de células brancas. Eles também encontraram um efeito antioxidante da Echinacea. PMID: 15985050

 

Glicirrizina, um componente ativo das raízes de Alcaçuz e replicação do coronavírus associado à SARS (Síndrome respiratória aguda grave).

       O surto de SARS justifica a busca de compostos antivirais para tratar a doença. No momento, nenhum tratamento específico foi identificado para a infecção por coronavírus associada à SARS. Este estudo avaliou o potencial antiviral de ribavirina, 6-azauridina, pirazofurina, ácido micofenólico e Glicirrizina contra dois isolados clínicos de coronavírus (FFM-1 e FFM-2) de pacientes com SARS admitidos no centro clínico da Universidade de Frankfurt, Alemanha. De todos os compostos, a Glicirrizina foi a mais ativa na inibição da replicação do vírus associado à SARS. Os resultados sugerem que a Glicirrizina deve ser avaliada para o tratamento da SARS. Publicação do artigo 14 de junho de 2003 - Tipo de Estudo: Estudo In Vitro

SARS > Síndrome respiratória aguda grave

A SARS apareceu em 2002 na China. Espalhou-se pelo mundo em alguns meses, embora tenha sido rapidamente contida. SARS é um vírus transmitido por gotículas que penetram no ar quando alguém com a doença tosse, espirra ou fala.

 

Ao contrário do que seria considerado pelas mídias, os coronavírus não são algo desconhecido. De fato, os coronavírus humanos são responsáveis ​​por 15 a 30% dos resfriados comuns a cada ano. Foram observados casos mais graves de infecções por coronavírus durante surtos de síndrome respiratória aguda grave (SARS) e síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS), duas infecções por coronavírus que levaram à pneumonia em alguns indivíduos infectados.

Em um artigo publicado no Chinese Journal of Preventive Medicine afirma que o novo coronavírus de 2019 é realmente menos patogênico que o SARS-coronavírus.

Substâncias naturais que demonstram inibição viral do SARS-coronavírus provavelmente também são eficazes contra o coronavírus de 2019, considerando que as duas estão intimamente relacionadas e compartilham a mesma infecção mediada pela enzima conversora de angiotensina II. Em outras palavras, o SARS-coronavírus e o novo coronavírus de 2019 são estrutural e mecanicamente semelhantes e podem ser direcionados pelas mesmas substâncias.

Raiz de Alcaçuz. Foi demonstrado que a Glicirrizina, um constituinte ativo das raízes de alcaçuz , exibe uma atividade inibidora potente contra a replicação do SARS-coronavírus . Além disso, a Glicirrizina parece ser mais eficaz nos estágios iniciais da replicação do coronavírus.

       Um estudo sobre a atividade inibidora da Glicirrizina contra o coronovírus associado à SARS, publicado em Lancet em junho de 2003, recebeu pouca cobertura da mídia, apesar de sua profunda importância para a saúde humana. Lembre-se de que, apenas alguns meses antes disso, a Organização Mundial da Saúde emitiu um comunicado de imprensa (16 de abril de 2003) afirmando que o recente surto de Síndrome Respiratória Aguda Súbita (SARS) letal na Ásia foi causado pelos mesmos coronovírus usados ​​neste estudo.      

       Com o mundo ainda se recuperando da histeria e "preparação" globais da SARS, ou seja, estocando produtos farmacêuticos como o Ribavirin, apesar de sua conhecida falta de eficácia, você pensaria que mais atenção seria dada a pesquisas promissoras desse tipo.

       No inovador estudo da Lancet, intitulado "Glicirrizina, um componente ativo das raízes de Alcaçuz e replicação do coronavírus associado à SARS", os pesquisadores alemães resumiram sua intenção da seguinte maneira:

       "O recente surto de SARS justifica a busca de compostos antivirais para tratar a doença. Atualmente, nenhum tratamento específico foi identificado para a infecção por coronavírus associada à SARS".

As potentes propriedades antivirais do Alcaçuz não se limitam aos coronavírus associados à SARS, mas também foi estudada em outro vírus com potencial epidêmico e pandêmico e potencialmente letal.

>>>> Em um estudo em animais, datado de 1997 e publicado na revista Antibacterial Agents and Chemotherapy, intitulado: Glycyrrhizin, um componente ativo das raízes de Alcaçuz, reduz a morbidade e mortalidade de camundongos infectados com doses letais do vírus influenza.

O Alcaçuz seu uso deve ser com cuidado, devido à sua capacidade de estimular a elevação da pressão arterial em indivíduos suscetíveis quando consumidos em excesso.

>> Na União Europeia, a recomendação é que as pessoas consumam não mais que 100 mg por dia, o que equivale a 50 gramas de doces de Alcaçuz, e no Japão, onde a Glicirrizina é frequentemente usada como substituto do açúcar, um limite recomendado é estabelecido em 200 mg por dia. Isso deve lhe dar uma ideia do que é uma dose diária geralmente considerada segura e coloca em perspectiva uma dose "terapêutica" de 600 mg.

 

 

>>> As pessoas idosas são altamente suscetíveis a infecções por vírus, bactérias e por fungos devido às suas condições crônicas e ter várias doenças, aos efeitos adversos remédios farmacêuticos e geralmente tomam vários medicamentos e, infelizmente, ao sistema imunológico enfraquecido.
 

 

         Em relção ao virus corona recebi vídeos com informações infundadas e coisas sem nexo orientando o uso de plantas. Isso me preocupou e motivou fazer um tópico sobre o assunto e até gravar um áudio. Sempre incentivo os seguidores do site tiaxica.com a tomar cuidados com informações com alegações sem fundamento. 

       O desespero perante o vírus pode levar as pessoas a pseudoterapias e as falsas expectativas se propagam com facilidade através das redes sociais.  Quem compartilha isso pela Internet age assim por acreditar que estão certos e tão sendo bonzinhos ao compartilhar. Isso, às vezes, motiva as pessoas a gastar dinheiro com coisas ineficaz.

Os falsos conselhos sobre Coronavírus que você deve ignorar

          O coronavírus está surgindo em mais países ao redor do mundo e atualmente não há cura conhecida. Infelizmente, isso não impediu uma série de conselhos de saúde, variando de inúteis, os relativamente inofensivos e os que são completamente perigosos. Em muitos casos, esses tipos de remédios não são prejudiciais em si, desde que não o impeçam de seguir conselhos médicos. Mas eles têm o potencial de ser. Por exemplo,o excesso de consumo do alho pode causar males hepáticos.

Muitas postagens que recomendam comer alho para evitar infecções estão sendo compartilhadas nas redes socias, Facebook e WatsSap. Embora seja "um alimento saudável e ter algumas propriedades antimicrobianas", mas o excesso de consumo do alho, por exemplo, pode causar males hepáticos.

Água de limão

Uma postagem, copiada e colada por várias contas do Facebook, cita um "médico chines" que recomenda essa água para eliminar qualquer vírus que possa ter entrado na boca.   "Não há mecanismo biológico" que apoie a ideia de que você pode e eliminar um vírus tomando água de limão.

Infecções como os corona vírus entram no corpo pela boca e através das narinas quando você inspira.

 

Contato



Atenção: Segunda à sexta-feira das 9 hs às 12 hs, de 13 hs às 17 horas.

Não atendo no sábado, domingo e nem a noite. Recebemos centenas de WhatsApp
por dia e respondemos por ordem de chegada. Não passamos tratamento pelo WhatsApp
Pessoas de outros países atenham-se ao fuso-horário.

41 - 9 9806 5553 WhatsApp
Código do Brasil 55

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade