Colágeno: comprovado para um envelhecimento saudável

O colágeno é um suplemento alimentar importante que pode prevenir e curar doenças. À medida que as populações envelhecem, a demanda por soluções que podem ajudar a sustentar estilos de vida ativos e móveis por mais tempo está crescendo a uma taxa insaciável. Com extensa eficácia clinicamente comprovada, ampla aplicabilidade e propriedades funcionais únicas do colágeno na nutrição dao apoio aos objetivos de estilo de vida melhores.

O colágeno é hoje um dos mais valiosos recursos oferecidos pela natureza. Sua utilização é cada vez mais popular entre os povos de todo o mundo. Durante anos, ele foi associado a dietas e agora revoluciona o campo da estética e da saúde, sendo uma fonte para a jovialidade, pois traz benefícios reais à saúde da pele e ao organismo como um todo.

Por ser considerado responsável também pela saúde das cartilagens e articulações, é um suplemento que tem chamado atenção, sendo tema de vários trabalhos científicos.  

Tornou-se o mais potente recurso para, entre outros benefícios, suprir de elasticidade e firmeza os músculos e a pele. Estudos mostram que, por volta dos 25 anos, o organismo começa a diminuir a produção de colágeno, em contraposição à necessidade constante desse elemento, que, a partir dos 30 anos, sofre uma perda média de 1% ao ano e, aos 50 anos, passa a produzir apenas 35% do colágeno necessário para os órgãos de sustentação, mas a sua falta já se torna perceptível aos 40 anos. É nessa etapa da vida que começam a aparecer as rugas, pois a pele não tem mais a mesma elasticidade de antes e é nessa fase também que começa a fragilidade articular e óssea.

O corpo é fabricante do seu próprio colágeno, mas, uma vez que a produção diminui com a idade, a oferta disponível de colágeno torna-se deficitária. Supõe-se que essa seja uma das principais causas do envelhecimento, uma vez que, com a diminuição do colágeno, os músculos ficam flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e ligamentos perdem sua elasticidade e força, e a cartilagem que envolve as articulações fica frágil. Há danos que não percebemos de imediato: as estruturas de sustentação dos tendões, ossos e cartilagens ficam fragilizadas porque dependem do colágeno.

Ele é um componente-chave da cartilagem, fornecendo-lhe força e, quando a sua produção no corpo reduz, ela é afetada, e assim são todos os sistemas orgânicos que contêm cartilagem, tornando-se visível o desgaste progressivo de várias partes do corpo. Alguns órgãos podem sofrer deslocamento e apresentar mau funcionamento.  Entre tantas funções, é compreensível que o envelhecimento também ocorra como consequência da queda da produção de colágeno.

A sua deficiência também está associada à diminuição da espessura do fio capilar - o cabelo perde o viço com a desidratação - e à perda de elasticidade da pele, resultando em flacidez e no aparecimento de rugas e estrias. Um dos primeiros sinais visíveis, além das rugas, é o início de dores inexplicáveis nas articulações e o enrugamento prematuro das mãos que também é um sinal da deficiência de colágeno.

Segundo um estudo da Universidade de Viena, a falta dessa substância no corpo também causa o endurecimento da bexiga, atrofia da vagina, problemas na próstata e diminuição da fixação de cálcio.

A pele fica mais fraca, desidratada e sem elasticidade, culminando em flacidez e no aparecimento de estrias; o ganho de reserva lipídica é mais acentuado. 

Repomos o colágeno em nosso organismo por meio da alimentação. Os alimentos de origem animal, tais como carnes, são a melhores fontes de colágeno. Entretanto, para adquirirmos a quantidade ideal que nosso organismo necessita, por meio da alimentação convencional seria impossível. Por meio da ingestão de suplementos alimentares desta natureza, o nosso organismo obtém de maneira significativa e eficaz os benefícios do colágeno.

O que é o colágeno?  

O colágeno é uma substância rica em proteínas fundamentais para nosso organismo. O corpo é dependente da sua capacidade de transformar um recurso num outro para reconstruir e reparar-se a si mesmo e a síntese proteica é um processo metabólico que requer colágeno como um catalisador.  Sem uma boa oferta de colágeno, o corpo não pode se auto reparar, de forma que continua a decrescer. No corpo humano, ele desempenha várias funções, como unir e fortalecer o tecido conectivo. O tecido conectivo é o que mantém as células juntas, umas das outras, para formar músculos, mucosas, tendões, ossos, pele, dentes, vasos sanguíneos e todas as estruturas do corpo formadas pelo colágeno. A integridade da parede dos vasos e de todos os tecidos formados por colágeno fica comprometida quando há deficiência. Ele contém, em sua composição, um mix de substâncias que está surpreendendo e mostrando resultados visíveis para fortalecer unhas, cabelos e pele, dando-lhes maior resistência, mais espessura, crescimento e brilho. O colágeno auxilia na calcificação, ossificação e nos processos de regeneração das cartilagens. O colágeno, na forma de precursor, tem sido a grande solução para ajudar na qualidade de vida para as mulheres no climatério, menopausa e pós-menopausa.

As pesquisas mostram que o colágeno hidrolisado em pó contém uma série de fragmentos de proteínas que, quando ingeridos, são digeridos e absorvidos, fornecendo aminoácidos fundamentais para a manutenção de ossos e reconstituição ou regeneração de algumas articulações. Por estar presente nos ossos e nas articulações, ele é recomendado nos casos de artrose e osteoporose.

O colágeno é o aliado perfeito e indispensável do cálcio, pois ele também participa dos ossos e da fixação do cálcio, completando a atividade da vitamina D.

O seu uso também é seguro nos indivíduos com articulações saudáveis, prevenindo o surgimento de lesões, como aquelas decorrentes da prática esportiva. A assimilação e a ação do colágeno ocorrem nos primeiros momentos da ingestão, pois ele é facilmente absorvido, caindo diretamente na corrente sanguínea, beneficiando todo o organismo e funcionando ainda como reserva orgânica no processo de regeneração e revitalização. A forma hidrolisada é resultante da quebra da proteína, o que torna os aminoácidos mais biodisponíveis, facilitando a absorção pelo organismo.

Quem pode tomar colágeno?

Ele é recomendado para pessoas que desejam aumentar o consumo de proteínas e promover o aumento da produção de colágeno no corpo. Também é indicado para pessoas em processos de cicatrização e de recuperação de lesões, assim como em processo de emagrecimento. No processo de envelhecimento, o colágeno vai auxiliar a retardar o aparecimento de males como a artrose, a artrite e a osteoporose - enfermidades características da idade.

 

Qual é a idade ideal para iniciar o uso?

É preciso repor substâncias cuja produção o organismo diminui ou deixa de produzir com o tempo. Especialistas acreditam que o consumo de um suplemento de colágeno é essencial depois dos cinquenta anos. Porém, por preparar o organismo para os impactos do tempo, os produtos com colágeno podem ser utilizados em qualquer faixa etária, pois, fisiologicamente, todos nós perdemos colágenos e a sua falta é a causa de muitas doenças. A ingestão por meio da alimentação nem sempre é suficiente, porque os nutrientes dos quais deveríamos receber colágeno, na maioria das vezes são jogados fora. Logo os efeitos negativos desse hábito alimentar deficiente deixam as suas marcas porque a alimentação atual, na maioria das vezes, não atende à demanda do organismo. Por esse motivo, ficamos expostos a muitas doenças que estão diretamente associados à alimentação. Com base nisso, podemos dizer que a suplementação de colágeno, dada a sua importância no organismo, seria ideal para resolver carência.

 

Quanto e quando tomar?

A quantidade de colágeno varia de pessoa para pessoa, mas, em média, é de dez gramas. Devemos considerar a idade da pessoa, podendo a dose ser maior ou menor, se ela tiver uma alimentação deficiente em colágeno. Enquanto não houver nenhum estudo definitivo sobre qual é a melhor dosagem de colágeno, a quantidade geralmente sugerida é, em média, de dez gramas por dia, especialmente no intervalo das refeições.

Quando é tomado nas doses aconselhadas, não apresenta problema de reação adversa e, de acordo com a Food and Drugs Administration (FDA), ele é considerado um alimento GRAS, ou seja, reconhecido e considerado como seguro à saúde humana.

 

É possível substituir o colágeno em pó por cápsulas?

Sim. Ambos oferecem os mesmos benefícios. Porém, considerando que a dose média é de 10 gramas por dia, é preciso ingerir 20 cápsulas, já que cada uma delas contém apenas 500 miligramas. Se preferir na forma de pó, o custo será menor, sem contar que sua ação é mais rápida. Nesse caso, basta ingerir uma colher de sopa. Dose  Recomendada - Dez gramas ao dia satisfazem os requisitos para que um adulto possa desfrutar dos efeitos benéficos na saúde das articulações, ossos e pele. O colágeno em pó, por ter um gosto muito forte, é difícil de ser tomado, mas já existem marcas com sabores.

 

Quais são os benefícios do colágeno?

O colágeno é um componente do tecido ósseo tão importante que atualmente já se pode diagnosticar a probabilidade de se desenvolver osteoporose por meio da perda de colágeno, trinta anos antes de a osteoporose aparecer. Os benefícios do colágeno são concretos e efetivos. Após o uso da suplementação, percebe-se que as pessoas que fazem uso dele apresentam redução considerável da dor, diminuição do consumo de analgésicos e melhoria da mobilidade das articulações.

Diversos estudos científicos sugerem que o colágeno hidrolisado pode ter um efeito benéfico na saúde das articulações, pois seus fragmentos podem funcionar como mediadores, estimulando a síntese da matriz cartilaginosa. Contudo, a ativação destes fragmentos requer um fornecimento adequado dos componentes que o colágeno bovino contem mais que é a prolina e a glicina. A eficiência do colágeno pode diminuir os sintomas dolorosos de problemas osteomusculares.

Estudos que utilizam o colágeno também mostraram que ele é eficiente na diminuição dos sintomas da artrite reumatoide. Em apenas um mês as dores articulares e ósseas começam a diminuir.

Possível redução da pressão arterial em pessoas hipertensas e não em pessoas normais.

As fibras de colágeno são responsáveis pela firmeza e integridade das estruturas celulares, pela transmissão de força aos ligamentos, transmissão de luz pela córnea, melhoria da visão, distribuição de fluidos nos vasos sanguíneos e vasos linfáticos, melhora e reduz varizes.

 

O colágeno previne ou elimina a celulite?

O colágeno não age diretamente na celulite, porém, permite que a pele tenha mais elasticidade. Isso pode ajudar no tratamento. Ao ajudar o sistema linfático, pela regeneração dos vasos que processam o fluxo da linfa, leva a uma melhora da celulite. Ele pode ajudar tanto na prevenção e como coadjuvante nos tratamentos. Auxilia na drenagem linfática.

 

O colágeno pode evitar a flacidez?

O colágeno é uma proteína de sustentação, que dá rigidez e firmeza. Uma pele mais flácida pode apontar para uma falta de colágeno no organismo. Diversos estudos científicos concluem que a ingestão regular de colágeno hidrolisado melhora a pele deixando-a mais bem hidratada.

O consumo de colágeno durante o período de emagrecimento ajuda a manter a tonicidade e elasticidade da pele, prevenindo assim a flacidez. Seios e glúteos ficam mais firmes. Estudos recentes estão mostrando que ele é um eficiente aliado contra processos de flacidez e, quando aliado à atividade física, torna-se uma excelente fonte proteica, capaz de sintetizar a massa magra, mantendo, assim, o aspecto jovial do corpo.

O colágeno previne as estrias?

Ajuda, sim, a evitar o surgimento de estrias que ocorrem pelo estiramento da pele, pois aumenta a sua elasticidade e a tonicidade, por meio do estímulo da regeneração colágena e da renovação celular. Por conseguinte, qualquer suplemento alimentar que possa aumentar a reconstrução ou o processo de cicatrização é algo que devemos considerar fortemente. O colágeno é eficaz para melhorar o nível de umidade da pele, a sua maleabilidade e suavidade, reduzindo os sinais de estrias e, em muitos casos, até eliminando.

O colágeno pode turbinar o corpo?

Um corpo bem torneado, com músculos bem definidos, é fruto de uma combinação básica de alimentos e exercícios. Para evitar perda de massa muscular ou ainda aumentar a que já possuímos, contamos com um aliado muito especial, o colágeno. Ele é o principal veículo de constituição da musculatura saudável, cooperando para que o organismo alcance os resultados desejados com musculação, práticas de esportes em geral e exercícios localizados, em menor tempo, com menos esforço e ajudando no processo de preservação das articulações, dos discos intervertebrais, dos meniscos, que são forçados devido às repetições dos exercícios, diminuindo a incidência de lesões.

Vigor e energia também são outros benefícios que os atletas sentirão. 

Manter o tecido conjuntivo saudável é crucial para os esportistas que visam se mover de forma livre e eficiente e ficar livre de feridas. Os péptidos de colágeno são proteínas bioativas que suportam os tecidos conjuntivos, limitam o desconforto articular e podem prevenir lesões, estimulando células locais a produzir mais fibras de colágeno e matriz de tecido. A ciência mais recente também demonstra efeitos anti-inflamatórios. Sua única composição de aminoácidos oferece benefícios de desempenho e recuperação que vão muito além da regeneração muscular. Para os que buscam um suporte proteico de alto valor biológico e um complemento alimentar que estimule a massa muscular saudável, encontrarão no colágeno o suporte necessário. As proteínas de alto valor biológico ajudam a evitar o catabolismo proteico e a recompor as rupturas do tecido muscular que acontecem durante a atividade física.

Usado conforme as recomendações, o colágeno pode resultar em significativa perda de massa gordurosa, aumento da musculatura corporal, fortalecimento de articulações, diminuição do tempo de recuperação após exercícios físicos, melhora geral e bem-estar. No tecido cardiovascular, por exemplo, o colágeno dá às artérias maior poder de extensão protegendo-as de possíveis lesões por excesso de expansão.

 

Em qual suplemento de colágeno confiar?

Diante da grande quantidade de produtos à base de colágeno no mercado, o consumidor deve escolher qualidade. A qualidade deve ser uma preocupação constante do consumidor e das empresas que comercializam produtos naturais em geral, selecionando apenas os produtos que obedecem aos critérios e às normas de boas práticas de fabricação da ANVISA, sendo sempre sujeitos a controle de qualidade. Preço mais alto nem sempre é sinônimo de qualidade.

Há centenas de produtos que dizem trazer essa substância, por isso é muito importante saber bem a origem dos produtos à base de colágeno. Combinações confusas e sem qualquer sentido, inclusive com ervas, são formuladas para criar um produto "único" ou de preço exorbitante.

Algumas fórmulas concentram mais, outras até têm colágeno na composição, porém, em menor quantidade. Outras contêm tão pouco ingrediente ativo (colágeno) que são inúteis e ainda contam com rótulos enganadores, porque algumas empresas, num esforço para aumentar os lucros e manter os custos baixos, diluem os seus produtos com substâncias baratas e também adicionam ingredientes desnecessários, tais como leite em pó, pó de calcário, maltodextrina, celulose micro cristalina, estearato de magnésio e outros.

  Um alerta: há várias ofertas de colágeno, mas devemos ter cuidado, pois mesmo as substâncias naturais devem ter a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). É bom se lembrar de que há diferença entre o colágeno vendido em casas de produtos naturais e na internet. O risco de contaminação do colágeno fracionado nas lojas de produtos naturais é muito grande, por isso procure adquiri-lo acondicionado em potes fechados. Dessa forma, evita-se a contaminação microbiológica e o risco de o produto estragar também diminui.

 O consumidor exigente e informado sabe que, para obter resultados, é preciso haver na composição pelo menos uma concentração mínima de substâncias ativas e os produtos precisam ser realmente eficazes. As pessoas estão cansadas de pagar caro por produtos rotulados como naturais, mas que, na verdade, contêm poucos componentes realmente naturais, ou quando os têm, as concentrações são muito baixas. Tanto que se diz, que a melhora com o uso do colágeno é percebida após três meses. Se o colágeno for bovino e puro, usado na dosagem certa, a melhora é percebida em quinze dias.

Máscaras de colágeno ajudam a pele?

A aplicação na superfície da pele externamente tem pouco efeito. Para apresentar benefícios reais, o colágeno deve ser ingerido.

O colágeno é uma alternativa mais saudável à corrida desenfreada por métodos eficazes. Devido às suas propriedades bioquímicas e benefícios físicos, representa mais qualidade de vida na medida em que a boa aparência deve ser buscada como hábito de conservá-la essa aparência, coisa que passou a ser vista como uma demonstração de cuidado com a saúde.

 

Qual é a matéria-prima do colágeno?

Como não há colágeno de origem vegetal, a fonte é de origem animal, e os bovinos são os que melhor, bioquimicamente, sintetizam precursores de colágeno. O colágeno é extraído da pele, das cartilagens e dos ossos bovinos, da pele de suínos, de peixe e de rã.

O colágeno de boi é composto de dezoito aminoácidos. Os aminoácidos que estão em maior quantidade nele são: hidroxiprolina, ácido aspártico, treonina, serina, ácido glutâmico, prolina, glicina, alanina, valina, metionina, isoleucina, leucina, tirosina, fenilalanina, hidroxilisina, lisina, histidina, arginina. Essas substâncias são imprescindíveis para manter o corpo saudável, bem nutrido e pronto para o dia a dia, gerando bem-estar geral, cooperando para a jovialidade, o vigor e a energia.

A concentração de glicina e prolina no colágeno de boi é cerca de vinte vezes superior às encontradas nas demais proteínas. No colágeno de outras origens ainda não se tem definição da quantia desses componentes. A maioria dos colágenos comercializados no Brasil é misto de bovino e de suíno.

 

Colágeno hidrolisado bovino X suíno

Castro (2007) avaliou os efeitos antiulcerativo e antitumoral de colágeno hidrolisado bovino e suíno em ratos e camundongos respectivamente, o hidrolisado suíno apresentou em torno de 60% de inibição das lesões ulcerativas quando administrado em dose única e o hidrolisado bovino no experimento de dose dupla, a porcentagem de inibição das lesões ulcerativas gástricas foi de 70% e, no tratamento antitumoral, o hidrolisado bovino diminuiu a capacidade proliferativa celular.

Absorção do colágeno

Para esclarecer o processo de absorção do colágeno, foram realizados dois estudos que o identificaram no tecido cartilaginoso e no sangue. Esses dois estudos mostraram que o colágeno em pó é totalmente absorvido logo após a sua ingestão e que ele não depende da vitamina C para ser absorvido. (OHARA et al., 2007; IWAI et al., 2005) no sangue (OESSER et al., 1999) a presença de peptídeos de colágeno no tecido cartilaginoso.

Colágeno ajuda na artrose

À medida que a pessoa envelhece, os problemas de saúde relacionados a ossos e ossos, como artose, osteoartrite e osteoporose, se torna cada vez mais comuns, resultando em dores nas articulações, fraturas ósseas e limitações de atividade física.

Os peptídeos de colágeno - a forma hidrolisada de colágeno - são cada vez mais reconhecidos como uma solução natural altamente eficaz para a saúde óssea e articular. Numerosos estudos científicos sobre dor articular e mobilidade articular concluíram que os peptídeos de colágeno são particularmente benéficos no alívio da dor nas articulações. A habilidade única de Peptídeos de colágeno para ajudar a reduzir a dor articular e aumentar a mobilidade foi confirmada em um recente estudo de ensaio clínico controlado por placebo (2013).

A artrose é uma doença cada vez mais comum, que causa incapacidade progressiva, dor contínua e muitos custos. É um desgaste progressivo da cartilagem articular. Muitos fatores contribuem para a aceleração da perda do colágeno, e a má alimentação e a falta de exercícios são os principais elementos.  A cartilagem articular contém colágeno e glucosamina, que são componentes muito importantes que dão a "almofada" para o conjunto. A queda na produção de colágeno pelo organismo contribui para o desgaste das articulações e das cartilagens. Nos últimos anos houve grande aumento do interesse sobre o colágeno como a mais importante e fundamental proteína para o crescimento e regeneração correta do corpo.  Quando detectada a deficiência do colágeno, faz-se uma suplementação oral individualizada, amenizando assim o déficit provocado no decorrer dos anos de vida.

Eficiência comprovada para a saúde dos ossos e das articulações

Pesquisas científicas divulgadas na publicação "Bone" confirmam os benefícios do colágeno hidrolisado para a saúde dos ossos. Os ossos são um sistema metabólico dinâmico e vivo que depende da manutenção do equilíbrio entre a formação do tecido ósseo e a reabsorção óssea. As células chamadas osteoblastos formam o osso, ao passo que as células brancas, chamadas osteoclastas, fazem sua reabsorção. Um desequilíbrio pode resultar na osteoporose, que configura redução da densidade e da qualidade dos ossos. Estudos realizados no Laboratório INRA-AgroParisTech, sob supervisão do Dr. Daniel Tomé e publicados no Official Journal of the International Bone and Mineral Society, "Bone", de novembro de 2009, revelam novos benefícios do colágeno na prevenção da osteoporose. Os estudos in vitro e in vivo, conduzidos e publicados oficialmente em março de 2010 no periódico oficial "Bone" da International Bone and Mineral Society, demonstraram recentemente o interesse pelo colágeno na prevenção da osteoporose. Seus efeitos positivos na saúde das articulações também foram relatados em numerosos estudos. Estes têm demonstrado a eficácia do colágeno hidrolisado na redução da dor nas articulações em pessoas que sofrem de artrite ou até mesmo nos praticantes regulares de esportes.

Os pesquisadores realizaram pesquisas in vitro e informaram que o colágeno em cultura de medula óssea resultou em melhor diferenciação das osteoblastas. Esses resultados positivos foram depois confirmados in vivo em ratas ovarioctomizadas, usadas para simular uma osteoporose pós-menopausa, o que resultou em uma menor densidade mineral óssea. Os animais foram divididos em três grupos: um grupo de controle (não ovarioctomizadas), um grupo de ratas ovarioctomizadas, ambas recebendo uma dieta normal, e um grupo de ratas ovarioctomizadas que receberam uma dieta com colágeno. Depois de dose semanas, a densidade mineral óssea do grupo que ingeriu colágeno não foi significativamente diferente da do grupo de controle. Mas a densidade mineral óssea das ratas ovarioctomizadas que não ingeriu colágeno foi menor.

A confirmação dos benefícios do colágeno para a saúde dos ossos foi obtida pelas medidas do C-telopeptídeo do colágeno, o CTX, um marcador geralmente usado para reabsorção óssea. O CTX foi significativamente menor nos ratos que ingeriram o colágeno, o que indica uma redução da reabsorção óssea. Os pesquisadores concluíram que o colágeno pode restaurar a densidade óssea em osteoporose pós-menopausa simulada, estimulando o crescimento das osteoblastas e sua diferenciação. Isso demonstra a importância do colágeno como ingrediente bioativo para ajudar a prevenir a perda óssea durante o envelhecimento. Estudos in vitro e in vivo atestaram recentemente as vantagens dos peptídeos de colágeno na promoção da saúde óssea.

Seus efeitos positivos sobre a saúde das articulações foram também divulgados em numerosos estudos que ilustraram sua eficiência na redução das dores articulares em pessoas sofrendo de artrite e amantes dos esportes de ambos os sexos.

O colágeno surge como uma nova maneira de auxílio em tratamentos de osteoartrite, a doença degenerativa mais frequente no mundo. As nossas articulações estão sujeitas a diversos problemas, entre elas a osteoartrite, que, apesar das várias pesquisas, ainda não tem cura, mas o colágeno hidrolisado pode ser um poderoso aliado. Diversos estudos sugerem que o colágeno pode ter um efeito benéfico na saúde das articulações, pois seus fragmentos podem funcionar como mediadores, estimulando a síntese da matriz cartilaginosa. Contudo, a ativação desses fragmentos requer fornecimento adequado de prolina e glicina, componentes que o colágeno bovino traz três vezes mais. Os benefícios são concretos e têm sido efetivos. Após o uso da suplementação, percebe-se que as pessoas que fazem uso do colágeno apresentam redução considerável da dor, diminuição do consumo de analgésicos e melhoria da mobilidade das articulações.

O colágeno hidrolisado é suporte nutricional para:

Osteoartrose

Dor articular

Degeneração da matriz articular

Osteopenia

Perda de firmeza óssea

Controle de peso e nutrição esportiva

Colágeno previne rugas

À medida que envelhecemos, a estrutura de suporte rica em colágeno da pele, a derme muda. A atividade de fibroblastos - células responsáveis ​​pelo colágeno - diminui, o que leva a mudanças que tornam a pele velha. A mola principal de qualquer terapia antienvelhecimento da pele é alcançar uma pele saudável, lisa, sem manchas, translúcida e resiliente. Na prática, "parecer melhor" não significa "parecer mais jovem". 

Pele: realçando a beleza de dentro para fora Estudos intervencionistas indicam que, de fato, é possível adiar o envelhecimento da pele e melhorar as condições da pele através da administração de suplementos nutricionais especificos. 

A pele é o indicador visual primário da saúde do dia a dia e também apresenta sintomas externos de envelhecimento. Estudos clínicos verificaram que a ingestão regular de Colágeno Hidrolisado melhora a condição básica e a estrutura da pele (com a ingestão diária por 12 semanas).

Efeito do colágeno hidrolisado

Estudos realizados no Japão e na França confirmam o efeito do colágeno hidrolisado e destaca excelentes benefícios para a saúde da pele. Para  avaliar  a  eficácia  e  aceitabilidade  do  colágeno  hidrolisado,  dois  estudos  clínicos  e  aleatórios  de dupla  ocultação  (blind  tests)  versus  placebo  foram  conduzidos  em  80  mulheres  saudáveis  com  idade  entre 35 a 59 anos, o objetivo foi avaliar o efeito da ingestão de 10 g de colágeno hidrolisado através de medições dermofisiológicas e sua tolerância.

Estudo YNTKK-2008-4144“Blind  test”  controlado  com  suplementação oral   de   colágeno   hidrolisado   versus placebo.   Foi conduzido em Tókio (Japão) pela SOUKEN em 33 mulheres de 40 a 59 anos durante 8 semanas, no período de inverno. Dez gramas de colágeno hidrolisado foram ingeridos uma vez por dia na forma líquida.

A  hidratação  cutânea  foi  medida  do  instrumento  Corneometer  CM  825,  que  determinou  o  nível  de umidade  das  camadas  cutâneas  do stratum  corneum,  a  camada  mais  superficial  da  pele.  O  princípio  do 6 de 8 Corneometer  é  baseado  na  modificação  da  capacidade  elétrica  do  detector.

A  superfície  de  medição,  em contato com a pele, modifica sua capacidade elétrica de acordo com o nível de umidade da mesma. Resultado: o  nível  de  hidratação  da  pele  foi  elevado  em  cerca  de  28%  com  o  uso  de  colágeno hidrolisado. Estudo 2008 – A 00654 – 51 Avaliação  dos  efeitos  do  consumo  diário de  colágeno  hidrolisado  versus  placebo.  O  estudo  foi conduzido em Lyon (França) pela DERMSCAN em 47 mulheres de 35 a 55 anos, por duas semanas durante o inverno. Dez  gramas  de  colágeno  hidrolisado  foram  ingeridos,  5  gramas  pela  manhã  e  outras  5  gramas  à noite. O efeito antienvelhecimento foi medido utilizando o Skin Image Analyser (SAI) ou Roughness analyser ASA-03R. Um polímero de silicone  registra as impressões  da área estudada antes e  durante o momento da medição, para então as mesmas serem avaliadas em uma área de 1cm2. O instrumento foi utilizado com um probe de 2 mm para medir a maneira como a pele reage aos impulsos mecânicos. Este método fez a medição do grau de deformação e do tempo necessário para a pele retornar ao seu estado original.

Resultado 1: o  colágeno  hidrolisado suavizou as  rugas  em  26%  e  preveniu  a  formação  de  rugas profundas.

Resultado2: o colágeno hidrolisado aumentou a elasticidade da pele em 19%

Estudos clínicos verificaram que a ingestão regular de Colágeno Hidrolisado melhora a condição básica e a estrutura da pele (com a ingestão diária por 12 semanas).

Outra abordagem integral que previne a formação de rugas é a redução da inflamação por antioxidantes tópicos ou sistêmicos que devem ser usados ​​em combinação para aumentar seus efeitos protetores. 

 

    O colágeno, o ideal é que a versão em pó seja utilizada, já que as cápsulas não comportam a quantidade de colágeno recomendada por dia, isto é, 10 gramas

 

Mulher rejuvenesce cinco anos com uso de colágeno. 

A americana Tanith Carey, de 47 anos, fez um teste e conseguiu uma pele bem mais jovem em oito semanas

Um dos principais componentes da pele, o colágeno é uma proteína produzida naturalmente pelo corpo. Mas, a partir dos 25 anos de idade, as mulheres perdem cerca de 1% ao ano, o que provoca rugas e flacidez na pele. A americana Tanith Carey, de 47 anos, participou de um teste de reposição de colágeno. Ela conseguiu rejuvenescer cinco anos em oito semanas e revelou os resultados ao jornal inglês "Daily Mail".

Os tratamentos feitos por Tanith cuidam da pele de dentro para fora, e não de fora para dentro, como é mais comum. O primeiro passo foi descobrir os níveis de colágeno que Tanith tinha no organismo e se estavam adequados á sua idade. Em seguida, ela se consultou com uma nutricionista, que alertou para os três inimigos da proteína: o açúcar, o sol e o cigarro. Tanith deveria reduzir a ingestão de álcool e optar por aquelas que têm menos açúcar, como a wodka. A reposição começou a ser feita com colágeno líquido. "Toda manhã, eu bebia uma dose de colágeno que me ajudaria a conquistar uma pele mais elástica e a diminuir em 15% as linhas de expressão", contou Tanith.

Ela também tomou também suplemento com selênio que ajuda a estimular a produção de colágeno. Tahith fez ainda um procedimento chamado Sculptra para restaurar o contorno e o volume facial. "É uma injeção aplicada diretamente no rosto. Em mim, foi necessário no queixo e no contorno dos lábios." O teste ainda incluiu uma combinação de ultrassom com rádio frequência e um creme poderoso antirrugas. Após oito semanas, seus níveis de colágeno aumentaram de 61% para 64,1%. Tanith rejuvenesceu cinco anos em oito semanas Reprodução/Daily Mail

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade