Inflamação na raiz da maioria das doenças

        Inflamação foi associada em várias condição de saúde. Pesquisadores estão investigando os efeitos da inflamação crônica sobre a saúde e as possíveis medidas e aplicações preventivas.

        É "um campo emergente", diz o Dr. David Heber da UCLA. É um novo conceito para a medicina. Por que é um novo conceito? Porque a medicina moderna se concentra no tratamento de sintomas, não abordando a causa raiz de um problema. Artrite é a inflamação das articulações. Doença cardíaca é a inflamação das artérias. Em vez de tomar um medicamento para reduzir a dor nas articulações ou reduzir o colesterol, seria melhor agir centrando em formas de reduzir a inflamação no corpo.

A inflamação vem sendo reconhecida como a "base subjacente de um grande número de doenças".

        Especialistas dizem que a doença de Alzheimer, câncer, doenças cardiovasculares, diabetes, pressão arterial elevada, níveis elevados de colesterol e doença de Parkinson podem estar relacionados com Inflamação crônica no corpo.

 

         O que é inflamação?

       Inflamação nem sempre é ruim; É a defesa natural do corpo contra células danificadas, vírus, bactérias, etc. Ele visa remover esses invasores nocivos e curar-se.  Inflamação às vezes, pode ser confundido com infecção, mas os dois não são a mesma coisa. A infecção pode causar inflamação, porque a infecção é causada por substâncias nocivas, como bactérias ou fungos. Na verdade, a inflamação é a resposta do corpo à infecção. Desta forma, a inflamação é boa. Mas não sempre.

       Existem dois tipos diferentes de inflamação. Um tipo é inflamação aguda; O outro é a crônica. Enquanto inflamação aguda começa rapidamente e geralmente desaparece em poucos dias, a inflamação crônica pode durar meses ou anos como resultado da falha para eliminar a causa e a menor exposição repetida ao agente causador dela.

Não confundir inflamação com infecção.

Inflamação é o processo de reação do organismo a uma agressão que pode ter várias causas como traumas, lesões, doenças reumatológicas.

Quando o processo inflamatório tem como origem bactéria, fungo, vírus ou parasitas passa a ser uma infecção.

 

A inflamação sistêmica crônica é uma causa subjacente de muitas doenças aparentemente não relacionadas à idade.

        À medida que os seres humanos envelhecem, a inflamação sistêmica pode causar efeitos degenerativos devastadores em todo o corpo. Este fato é muitas vezes negligenciado pelo médico, mas persuasivas evidências científicas mostram que a correção de uma doença inflamatória crônica permitirá que muitas das enfermidades do envelhecimento possa ser evitado ou revertido.

          As consequências patológicas da inflamação estão bem documentadas na literatura médica. A inflamação sistêmica tem sido implicada em doenças auto-imunes tais como artrite reumatóide, doença de Crohn, colite ulcerativa e lúpus eritematoso.

          A inflamação crônica também tem sido implicada na osteoartrite, doença cardíaca, Alzheimer, degeneração macular relacionada com a idade, doença pulmonar obstrutiva crônica, esclerose múltipla, acidente vascular cerebral e câncer

 

  A inflamação acelera a produção de radicais livres.

         Quando a inflamação é limitada, os radicais livres podem ser controlados por defesas antioxidantes; Na verdade, os radicais livres ajudam o corpo a se livrar de patogênos e abrir caminho para a cura. Mas quando a inflamação é crônica ou intensa, os radicais livres podem fazer mais mal do que bem. Eles podem causar danos significativos aos tecidos e desencadear reações prejudiciais.

Não ignore os perigos da inflamação sistêmica.

       Maneiras comprovadas existem para reverter os processos inflamatórios sistêmicos. Seguindo protocolos específicos de alimentos anti-inflamatórios e chás, a inflamação pode ser reduzida.

 

Anti-inflamatório ou antiflogístico

     É uma  substância ou medicamento que combate inflamação. Os anti-inflamatórios são medicações que são capazes de reduzir a inflamação da região afetada. Eles diminuem a migração das células de defesa para o local afetado melhorando os sinais inflamatórios.

 

 

  É perigoso, pode causar danos gastrointestinais, cardíacos, hepáticos e renais

     Os riscos para o uso desordenado de anti-inflamatórios são alarmantes e podem provocar riscos a saúde dos usuários. Estudos comprovam casos de insuficiência renal, problemas hepáticos (hepatite), cardiológicos, alteração da mucosa gástrica, úlcera e hemorragias pulmonares.

    "Mesmo quando usado com orientação médica oferece risco e pode ser fatal," isso porque os médicos não sabem a verdade por trás de algumas das drogas que eles recomendam.  Mas em algumas condições clinicas seu uso se faz necessário.

     As reações adversas à drogas de prescrição são estimados que matam mais de 100.000 cem mil americanos por ano, tornando essas reações a quarta causa de morte maior nos Estados Unidos, atrás de câncer, doenças cardíacas, e acidentes vasculares cerebrais. No Brasil não temos estatisticas, mas com certeza, não deve ser diferentes de lá.

                                                         É absolutamente verdade que a maioria de nós têm sido ajudados de forma quase mágica pelas "maravilhas" da farmacêutica moderna, mas a realidade é que a medicina moderna criou uma falta de responsabilidade ao confiar somente nessa modalidade terapêutica para curar o que nos aflige e vem nos expõndo a tantos riscos e até a morte, ignorando que há outros recursos, que também podem promover a cura.

We now have on our hands a modern epidemic, consisting not only of diseases that are clearly a result of diet and lifestyle, but also of diseases due to the side effects of drugs used in their treatment.

 

       Os anti-inflamatórios sintéticos promovem alívio das dores e redução do quadro de inflamação. Entretanto, no tratamento de doenças inflamatórias crônicas, seu benefício é insignificante, porque não controla a progressão da doença.

 

      O público está ciente dos efeitos colaterais que ocorrem com o uso de anti-inflamatório oral, estão receosos e anseiam por produtos não agressivos. Por conta disso vem crescendo a busca por anti-inflamatórios naturais que atenda esses anseios.

       Os anti-inflamatórios de uso tópico, além de eficazes tanto quanto à um medicamento via oral, tem menos riscos de reações adversas  e despontam  na preferência pelo fato de que a partir, dos 50 anos de idade, aumentam as queixas de dores articulares e musculares, tornam mais frequentes os processos inflamatórios. Em consequencia disso aumentará a frequência do uso de anti-inflamatório. 

 

   Os anti-inflamatórios naturais de uso tópico geralmente são compostos também com substâncias de ação analgésicas, antissépticas, emolientes e vascularizadoras.

 

  Tais medicamentos atuam por favorecer o desaparecimento dos edemas, desidratando os tecidos tumefeitos, por ativação da circulação local 

 

Os alimentos, além de nutrir são grandes aliados na batalha contra doenças inflamatórias.

     Os alimentos e as ervas medicinais anti-inflamatórios podem prevenir e bloquear a inflamação, fortalecendo o sistema imunológico e o equilíbrio de todas as funções básicas do organismo. 

 

Combater a inflamação na mesa de refeição

Uma dieta saudável vai um longo caminho para manter a inflamação à distância.

          Todos nós nos beneficiamos da inflamação, o processo pelo qual nosso sistema imunológico detecta e desativa moléculas estranhas ou micróbios. No entanto, quando a inflamação persiste em níveis baixos após o invasor ser erradicado, pode tornar-se nossa inimiga. Muitas das principais doenças que nos afligem - incluindo câncer, doenças cardíacas, diabetes, artrite, depressão e Alzheimer - têm sido associadas à inflamação crônica.

      Nossa alimentação diária desempenha um papel importante na inflamação crônica porque nossas bactérias digestivas liberam substâncias químicas que podem estimular ou suprimir a inflamação. Os tipos de bactérias que povoam nosso intestino e seus subprodutos químicos variam de acordo com os alimentos que comemos. Alguns alimentos incentivam o crescimento de populações de bactérias que estimulam a inflamação, enquanto outros promovem o crescimento de bactérias que a suprimem.

        É por isso que uma das ferramentas mais poderosas para combater a inflamação não vem da farmácia, mas do armário da cozinha. Muitos estudos experimentais mostraram que componentes de alimentos ou bebidas podem ter efeitos anti-inflamatórios, diz o Dr. Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia do Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública de Harvard.

      Escolha os alimentos certos, e você pode ser capaz de reduzir o risco de doença. Consistentemente escolher os errados, e você pode promover a inflamação crônica, que estabelece o cenário para uma série de doenças degenerativas.

 

Alimentos que promovem inflamação

         Não surpreendentemente, os alimentos que contribuem para a inflamação são os mesmos geralmente considerados ruins para a nossa saúde, incluindo refrigerantes e carboidratos refinados, bem como carne vermelha e carnes processadas.

          Alguns dos alimentos que foram associados com um aumento do risco de doenças crônicas, como diabetes tipo 2 e doença cardíaca também estão associados com o excesso de inflamação, diz Hu. A inflamação é um importante mecanismo subjacente para o desenvolvimento destas doenças".

           Esses alimentos não saudáveis ​​também são susceptíveis de contribuir para o ganho de peso, que é em si um fator de risco para a inflamação. No entanto, em vários estudos, mesmo após os pesquisadores levarem a obesidade em conta, a ligação entre alimentos e inflamação permaneceu, o que sugere ganho de peso não é o único promotor. Evidências crescentes sugerem que certos componentes ou ingredientes de alimentos processados, como os emulsionantes adicionados ao sorvete, podem ter efeitos independentes sobre a inflamação.

 

Alimentos para combater à inflamação

           Felizmente, você pode desfrutar de muitos dos alimentos e bebidas que as evidências científicas encontraram neles propriedades para reduzir   inflamação, e com eles, doença crônica. Incluem o seguinte:

Frutas e vegetais . A maioria das frutos  e vegetais contêm altos níveis de antioxidantes naturais e compostos polifenóis-protetores encontrados em plantas.

Nozes e sementes. Estudos também associaram nozes e sementes com marcadores reduzidos de inflamação e um menor risco de doença cardiovascular e diabetes.

Bebidas. Os polifenóis no café e os flavonóis no cacau tem propriedades anti-inflamatórias. O chá verde é rico em ambos os polifenóis e antioxidantes.

Alimentação anti-inflamatória

       As Diretrizes Dietéticas 2015-2020 para os americanos enfatizam enfocando uma dieta saudável em geral, em vez de individualizar alimentos como "bons" e "maus", você precisa equilibrar sua ingestão de alimentos inflamatórios e anti-inflamatórios. Em geral, uma alimentação saudável tem frutas, legumes, nozes, grãos integrais, peixes e óleos saudáveis.

Se seu prato é dominado por alimentos vegetais não processados ​​e estourando com cor, você está no caminho certo.

         Além de reduzir a inflamação, uma alimentação mais natural, menos processada pode ter efeitos visíveis na sua saúde. Uma alimentação saudável é benéfica não só para reduzir o risco de doenças crônicas, mas também para melhorar o seu humor e sua qualidade de vida global.

 

Alimentos ricos em antioxidantes ajudam a reduzir os danos causados pela inflamação.

Ao reduzir a inflamação, você coloca seu corpo em um estado que é propício para a cura de doenças e outras condições de saúde.

     O professor Greg Cole da UCLA tem estudado como controlar a inflamação e possivelmente prevenir a doença de Alzheimer com substâncias alimentares como curcumina, flavonóides de frutas, ácidos graxos ômega-3 e reservatrol.

 

Leia também em o-alimento-cura

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade