Melissa officinalis

 As plantas de florescência atraem dezenas de abelhas, que se alimentam de pequenas flores brancas, e o nome de gênero Melissa é derivado da palavra grega para abelha.

A melissa é uma daquelas plantas com uma longa história de uso medicinal. Pequenos ensaios laboratoriais relatam propriedades antivirais, antioxidantes e calmantes. As folhas, que têm um leve aroma de limão, são usadas para fazer remédios.

A melissa é usada para problemas digestivos, inchaço, ansiedade, gases intestinais (flatulência), vômitos e cólicas; Para dor, incluindo cólicas menstruais, dor de cabeça e dor de dente; E para transtornos mentais, incluindo histeria e melancolia.

Muitas pessoas acreditam que a melissa tem efeitos calmantes para que tomá-lo para a ansiedade, problemas de sono e inquietação. A melissa também é usada para a doença de Alzheimer, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, vias aéreas inchadas, batimento cardíaco rápido devido ao nervosismo, pressão arterial elevada, feridas, tumores e picadas de insetos.

 

Melissa officinalis extrato tem um efeito terapêutico em pacientes com leve a moderada doença de Alzheimer.

Pubmed 12810768 Publicado 01 / 07/ 2003   Estudo Humano

 

O óleo de Melissa officinalis pode ser adequado para o tratamento tópico de infecções herpéticas.

Pubmed 18693101 Publicado 01/09/ 2008   Estudo In Vitro

 

Obs: há mais estudos como estes acima relacionados, mostrando a eficácia da melissa na prevenção e no tratamento de diversas doenças e já estão disponíveis apenas para os alunos do curso de Fitoterapia online e dos colaboradores financeiros do site tiaxica.com
 

Ao clicar nos números grifados você será direcionado ao resumo da publicação científica.

 

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade