A cada 40 segundos morre um brasileiro de doenças cardíacas

    Em 2015, as doenças do coração vitimaram 346.896 pessoas no Brasil. Segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Cardiologia, as mortes deverão aumentar em cerca de 4% em 2016.

    As doenças cardíacas e dos vasos sanguíneos já mataram mais de 258 mil brasileiros este ano.  As doenças cardiovasculares  são a ceifadora de vida da existência moderna e são a primeira causa de óbitos no Brasil – e também no mundo – e, até o dia 28/09/2016, mataram 258,3 mil brasileiros, um óbito a cada 40 segundos. Mais de 17 milhões de mulheres no Brasil têm doenças cardiovasculares conforme dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Embora a ciência moderna ainda não produziu uma pílula salvadora, podemos nos sentir confiantes de que através da combinação de plantas medicinais e suplementos nutricionais com um estilo de vida saudável, que inclui exercícios, uma alimentação saudável e o controle do estresse, é possível driblar o assassino número 1 da vida moderna.    

 

     Mesmo se houver uma forte tendência para a ocorrência de problemas cardíacos na família, a doença cardíaca pode ser evitada através de vários meios. O coração é um órgão com um mecanismo maravilhoso que, na maior parte sem reparos, dará serviço de bombeamento até cem anos. Mas o sistema cardiovascular já sofre uma significativa redução de sua capacidade funcional a partir dos quarenta anos.
 

 

Porque se morre de infarto?

O que podemos fazer?

Como esta a sua artéria?

Como os chás podem ajudar?

Como esta a artéria dos brasileiros?

Podemos fazer alguma coisa para evitar?

Pessoas de 20, 30 anos com artérias de 70 anos.

Os fitonutrientes podem proteger o seu coração?

Não adianta tomar remédio e não fazer a parte preventiva. 

Reformar a maneira de comer vai acabar com a doença cardíaca?

Quando elimina alguns alimentos, paramos de danificar as artérias?

Cirurgia, angioplastia são apenas soluções mecânicas para um problema biológico. 

Há evidências de que a alimentação saudável traz benefícios em doença da artéria coronária?

“A revolução da saúde nunca vai acontecer por causa de um novo remédio, e sim pela educação nutricional”

Nutrição à base de plantas nos proporciona um caminho para escapar da epidemia de doença arterial coronariana.

 

 Não há falta de conselhos para proteger o coração.

      Você já ouviu o médico dizer: Cuide da pressão arterial e dos níveis de colesterol, mantenha o peso e uma alimentação saudável e saiba lidar com o estresse.  No entanto, parece que nem todos estão dispostos a seguir esses conselhos para proteger o coração. Com todas as recomendações de especialistas e por conta da desinformação sobre o funcionamento do sistema cardiovascular, as pessoas em geral ignoram esses conselhos importantes e desobedecem a eles.

      As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil. Elas ainda são a maior causa de diminuição da longevidade. Doença coronária e acidente vascular cerebral estão entre as três causas de emergências nos pronto socorros.

Tomar as medidas apropriadas é a chave para evitar as doenças cardiovasculares. Se uma pessoa leva um estilo de vida saudável, pode reduzir o risco de desenvolver uma doença cardiovascular em até 82%.

 

      Evite frituras todo mundo já ouviu isso um dia, especialmente quem já se consultou um cardiologista ou um nutricionista. Mas não é essa a única forma de manter a saúde do seu coração. Algumas fitosubstâncias importantes atuam prevenindo doenças, reduzindo o colesterol “ruim” e podem até diminuir a necessidade de remédios – nos casos em que é necessário fazer uso deles.

 

Porque se morre de infarto?

    O infarto não vê raça, sexo, nem idade. Atinge todo mundo, pobres e ricos. Mas os fumantes, obesos, hipertensos, estressados, sedentários, diabéticos e nervosinhos e até os mal humorados estão mais sujeitos a esse mal.

A cada minuto morre alguém do coração.

 A hipertensão é responsável por quase 50% das mortes por infarto e 80% por AVC. O Brasil poderá ter 80% a mais de hipertensos até 2025. Esse foi o resultado de uma pesquisa realizada pela Escola de Economia de Londres, do Instituto Karolinska (Suécia) e pela Universidade do Estado de Nova York. Os números da hipertensão são alarmantes. Se agirmos no controle da  hipertensão ja estamos fazendo algo para evitar.

 

      Para explicar o que ocorre podemos, fazer uma comparação com o encanamento da nossa casa. “A água chega por meio dos canos às torneiras se não tiver nada obstruindo o seu caminho, certo. Mas com o passar do tempo e a falta de manutenção começa a haver acúmulo de sujeira e isso reduz o diâmetro dos canos e até lhe causa entupimento.

Com o coração é a mesma coisa. As doenças isquêmicas se instalam com a formação de placas de gordura na parede das artérias, causando estreitamento, como nos canos que exemplifiquei. O estreitamento dificulta a passagem de sangue e as células do coração se tornam isquêmicas, sem oxigênio suficiente e adoecem”. E, quando as placas de gordura são muito grandes e obstruem totalmente o fluxo sanguíneo, a pessoa pode enfartar. “O infarto ocorre porque essa placa, que com o passar do tempo diminui o diâmetro das artérias, dificulta a passagem de sangue. Assim, as células cardíacas morrem.”

 

 

A doença cardíaca é a que mais mata no Brasil!

      O entupimento gradual, endurecimento e danos causados ​​às paredes interiores dos nossos vasos sanguíneos são a principal causa de ataques cardíacos e derrames. Este processo de aterosclerose, o endurecimento das artérias, resultando em pobre circulação para as extremidades, o cérebro e outros órgãos. Doenças como a demência senil, dor nas pernas e até mesmo impotência erétil têm sua origem na aterosclerose.

    O acúmulo de placas de gordura nas paredes internas dos nossos vasos sanguíneos, as vezes, começa na infância e progride gradualmente ao longo da vida devido a práticas alimentares modernas.

 

Podemos fazer alguma coisa para evitar?

       A resposta é simples: não há alternativa senão firmar um compromisso inabalável com a melhor, mais econômica e, ao mesmo tempo, mais eficaz forma de luta contra as doenças ceifadoras de vidas: a prevenção. Alguns principais fatores de risco para doença coronariana são conhecidos, como hipertensão arterial sistêmica, tabagismo, dislipidemias, obesidade, sedentarismo e diabetes. Se fizermos algo que controle esses fatores já estamos fazendo alguma coisa para evitar o infarto. Podemos controlar por alimentação e mudança de hábitos de vida associados à medicação, o colesterol, a homocisteína, o fibrinogênio e a polipoproteína.

       Como o infarto pode ser fatal em qualquer idade e “aparece sem aviso prévio”, nada melhor do que fazer prevenção. Aparecer sem aviso prévio é o que dizem, mas o coração dá sinais, sim. Essa coisa que os familiares de quem morre de infarto diz; ele não estava sentindo nada, não convence. As pessoas não são ensinadas a perceber os sinais. O Coração emite sinais antes do infarto acontecer. O coração manda sinal de que há algo novo causou seus descompassos, sim.

        Os cardiologistas, Dean Ornish e Caldwell Esselstyn têm mostrado que as mudanças de estilo de vida e o uso de plantas medicinais podem eliminar os riscos e sintomas de doenças cardíacas - em questão de semanas e, em alguns casos, dentro de dias.

 

       As doenças cardiovasculares ainda são a maior causa de diminuição da nossa longevidade e são perfeitamente previsíveis. Todos nós sabemos que infarto cardíaco é, em grande parte, passíveis de prevenção. Ainda assim, essa continua sendo a maior causadora de morte.

       As doenças cardiovasculares não só no nosso meio, mas em todo o mundo constituem a principal causa de morte e representam os mais altos custos em assistência médica. As doenças cardiovasculares representam quase um terço dos óbitos totais e 65% do total de mortes na faixa etária de 30 a 69 anos de idade, atingindo a população adulta em plena fase produtiva. A grande maioria dessas mortes ,segundo especialistas, são evitáveis.  No Sistema Único de Saúde (SUS), essas doenças foram responsáveis, em 2002, por mais de 1,2 milhão de internações e representaram 10,3% do total de internações e 17% dos gastos financeiros.

      Apesar da indiscutível evolução da cardiologia nas últimas décadas, com o desenvolvimento de tecnologias para a detecção precoce das doenças, o advento da biologia molecular e engenharia genética, o conhecimento mais detalhado da fisiologia e da fisiopatologia, novos medicamentos e tratamentos menos agressivos para as patologias do coração, a taxa de mortalidade por doenças cardíacas continua elevada.

 

 As mortes de famosos movimentou a procura por cardiologista

     José Wilker, 67 anos, Luciano do Valle, 66 anos, e Jair Rodrigues, 75 anos são as celebridades que morreram vítimas de infarto em pouco mais de um mês. Com as mortes desses famosos houve uma corrida a procura de cardiologista e a mídia estimulou essa corrida. Mas se temos mortes prematuras até de médicos cardiologistas por infarto significa que, apesar de toda a evolução a cardiologia não resolve tudo. É claro, que o fato de uma pessoa se especializar em determinada área da medicina não a torna imune à possibilidade de morrer de algum mal relacionado com a matéria.

Logo após a morte desses famosos a midia especulava, quem será o próximo famoso que vai morrer repentinamente?

      Dê infarto súbito é difícil prever, mas eles vão morrer de AVC, de infarto e de câncer, é óbvio, porque estas são as três doenças que mais mata no Brasil. Agora, dos anônimos é fácil prever, um deles pode ser alguém do seu circulo familiar ou de amizade. Isso porque a cada minuto morre alguém do coração no Brasil e muitos Jair, José, Luciano, Maria.... morrem.

 

Sem contar o AVC (derrame) que causa milhares de morte.

     A cada minuto alguém morre de AVC. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) se não houver mudança de hábito de vida esse índice deverá manter-se assim ou aumentar mais.

      Enquanto ignoram outras soluções, milhões de pessoas vão continuar morrendo. Quando se dá pouca atenção aos principais fatores que contribuem para o desenvolvimento das doenças cardivasculares ou jogam a culpa no fator hereditário é uma forma conveniente para escapar das coisas óbvias que podemos fazer para evitá-las.

      Se as pessoas não começarem a se preocupar com a saúde, o número de casos de doenças relacionadas ao hábito alimentar continuará crescendo. Está na hora de pensar no que estamos fazendo de errado. Estamos desprezando coisas que podem ajudar a evitar essas mortes prematuras? 

     Se temos a capacidade para chegar aos 100 anos bem saudáveis e morremos aos 70, então, morremos 30 anos antes. É difícil aceitar que alguém morra aos 70 anos, porque há recursos para nos ajudar a viver mais. Se implementar em nosso dia a dia, vamos manter o nosso nome fora das estatísticas de mortalidade do coração.

 

      Algumas plantas medicinais e suplementos nutricionais ajudam para manter o coração saudável fornecendo-lhes substâncias e nutrientes de que ele necessita para funcionar bem.

 

 

 

 

 

 

 

 

Na maioria das vezes as doenças cardiovasculares podem ser prevenidas.

     A boa noticia é que nós podemos contar com as ervas medicinais para ajudar nessa prevenção. Embora a ciência moderna ainda não tenha produzido uma pílula salvadora, podemos nos sentir confiantes de que, por meio da combinação de plantas medicinais e com um estilo de vida saudável, que inclui atividade física, uma alimentação saudável e o controle do estresse, é possível driblar o matador número um da vida moderna.

     As consequências da doença da artéria coronária podem ser minimizadas. Algumas plantas medicinais podem ajudar a manter o coração saudável, fornecendo-lhes substâncias e nutrientes de que ele necessita para funcionar bem.

 

A saúde do coração

Um Guia natural para a Saúde do Coração deve reunir pesquisas e informações relevantes para a saúde do coração.

     Fornecer  informações sobre as alternativas naturais que podem ajudar na prevenção e no tratamento para a saúde do coração. As evidências e os artigos sobre os efeitos das fitossubstâncias presentes nas plantas medicinais e alimentares se acumularam sobre o tema. Podemos contar com as ervas medicinais para ajudar nessa prevenção.

Para a prevenção ou para o tratamento das doenças cardiológicas necessitamos das ações farmacológicas das Fitossubstâncias que agem como:

  • Antiaterogênica,
  • Anticoagulante,
  • Fibrinolítica,
  • Hipolipidïaca,
  • Neocardiogênica,
  • Bloqueadoras de Canais de Cálcio,
  • Enzima conversora, inibidora da Angiotensina

 

 

Há, plantas que por meio de suas Fitossubstâncias garantem a vida do coração curando-o e prevenindo as doenças que o acometem trazendo benefícios surpreendentes.

Reduzindo a viscosidade do sangue.

Melhorando a taxa de sobrevivência após um ataque cardíaco.

Prevenindo as arritmias devido à falta de oxigênio ao coração.

Ajudando a manter as artérias abertas após angioplastia com balão.

Reduzindo a ocorrência de ataque cardíaco e pressão arterial elevada.

Contendo antioxidantes que impedem a oxidação do LDL colesterol.

Ajudando a manter o equilíbrio do fluxo de sangue dentro e fora do coração.

Previnindo a aterosclerose e iniba a progressão de lesões ateroscleróticas.

Melhorando a produção de óxido nítrico um promotor importante do fluxo sanguíneo.

Protegendo o coração dos pacientes com doença cardiovascular de danos durante a cirurgia.

Aumentando a circulação sanguínea no coração e no cérebro, reduzindo a pressão arterial elevada.

Tenha se mostrado mais eficaz do que a nitroglicerina para melhorar a função cardíaca e a circulação.

Diminua a incidência de dor de angina no coração, devido à dilatação dos vasos sanguíneos e efeitos antioxidantes.

Iniba a queda nos níveis de potássio no interior das células do coração, que pode causar instabilidade elétrica e arritmias.

Reduza os danos celulares após um  ataque cardíaco, proteger células nervosas e cerebrais dos danos de acidente vascular cerebral.

Desempenhe um papel no metabolismo de cálcio, que pode afetar a entrada de cálcio nas células musculares do coração, onde é essencial na geração e transmissão de impulsos nervosos.

 

Regeneração celular do coração.

     Até recentemente se acreditava que o tecido cardíaco era incapaz de ser regenerado. Pesquisas indicam que há uma classe de compostos conhecidos como substâncias neocardiogênicas que são capazes de estimular as células cardíacas para regenerar o tecido cardíaco.

     Há outras plantas medicinais e alimentares que também ajudam o coração, trazendo benefícios antioxidantes que impedem a oxidação do LDL colesterol. Por conta dessa ação, pode prevenir a aterosclerose e inibir a progressão de lesões ateroscleróticas, reduz a viscosidade do sangue aumenta a circulação e reduz a pressão arterial elevada.

  

 

Ervas medicinais podem prevenir a fibrilação ventricular do coração

   Um composto de plantas, que está em teste, em coelhos, não só curou a fibrilação, quanto teve ação preventiva. Uma arritmia seguida de fibrilação ventricular é gravissimo e leva a uma parada cardiaca. O desfibrilador, equipamento que libera uma descarga elétrica, no peito do paciente, hoje é a única salvação para quem passa por uma situação dessas porque faz a desfribilação. Pesquisadores da USP acreditam que o futuro talvez não esteja na desfibrilação, mas na prevenção da fibrilação ventricular.

 

Pessoas de 20, 30 anos com artérias de 70 anos.

     Não colabore para as estatísticas de doenças cardíacas, reverta e viva mais. Para isso, é importante que saiba a idade das suas artérias, isto é, se a idade interior delas é mais jovem, mais velha ou se corresponde à sua idade biológica. Segundo projeções realizadas nos Estados Unidos, a atual geração de crianças pode ser a primeira na história a viver menos que os pais, pois já temos jovens de 20, 30 anos com artérias de 70 anos. Isso mostra que as doenças cardíacas não são problemas apenas dos idosos. É claro, que a sua incidência aumenta com o progredir da idade, mas uma série de países industrializados contabiliza um terço dos 'ataques cardíacos' em pessoas com menos de 50 anos de idade.
 

  

 

      Medidas simples ajudam no combate das duas doenças que mata várias pessoas por minuto. Mas há pessoas que, ainda hoje, pensam que as doenças são inevitáveis e até acreditam que saúde seja uma dádiva e não responsabilidade de cada um.

Conhecendo os mecanismos desencadeantes das doenças cardíacas podemos tratá-los e certamente evitá-los. 

      As pessoas devem ser ensinadas a evitar o precipício que elas vão cair se não mudar o seu hábito alimentar, pois há alimento conhecido por causar ou promover o desenvolvimento de doença vascular, então porque comer os alimentos que vai dar-lhe uma doença cardíaca.

 

A melhor forma de varrer os entulhos de dentro das artérias é usar chás medicinais, comer mais legumes e frutas.

As fitossubstâncias das ervas e das plantas alimentares e condimentares podem agir como uma varroura e vão varrer as substâncias nocivas que acumulam nas artérias.

 

Como esta as artérias dos brasileiros?

Como esta as suas artérias?

Se temos o mesmo hábito alimentar dos americanos não deve ser diferente de lá.

     O cardiologista americano, Dr. Caldwell, vem denunciando a alimentação cotidiana da maioria dos americanos como sendo causadora de graves problemas de saúde, isto é, trata-se de uma alimentação brutalmente nociva. Para ele a dieta norte-americana típica garante que milhões de pessoas irão perecer de falência do seu sistema cardiovascular. Por conta do hábito alimentar milhões de pessoas serão submetidas a cirurgias de ponte de safena.

    Um dos seus argumentos dele fala por si só: atualmente os jovens norte-americanos já apresentam artérias precocemente envelhecidas; o que prenuncia uma má qualidade de vida se alcançarem os 60 ou 70 anos. Seu argumento é forte: autópsias de soldados durante as guerras da Coréia e do Vietnã mostraram os efeitos da dieta americana que é entupidora de artéria mesmo nas pessoas jovens. As artérias dos soldados asiáticos estavam limpas, livres de depósitos gordurosos.

     Mas quase 80% dos jovens americanos abatidos na guerra mostraram evidência a olho nu de doença arterial coronariana – entupimento e danos que, caso os soldados sobrevivessem à guerra, piorariam em sua saúde arterial e, portanto, em sua qualidade de vida a cada década que passasse. Em anos recentes, pesquisadores observaram que a medida que pessoas que residem em regiões com baixa incidência de doença cardiovascular adotavam um modo mais ocidental de vida e dieta, crescia dramaticamente a incidência de doenças, especialmente a doença coronariana” (p. 15 do seu livro de 2007, Prevent and revert heart disease). Entendemos que as artérias dos brasileiros podem estar envelhecida, pois temos os mesmos hábitos alimentares dos americanos.

A  alimentação (dieta) ocidental, ajuda a causar mais de 20 doenças diferentes ou efeitos adversos à saúde, incluindo vários tipos de câncer letal.  Leia mais em: comer-para-viver  

mal-comidos

o-alimento-cura-

 

Estamos impotentes contra o infarto?

      A resposta é "não", mas, se quiser colocar um fim a este risco, as pessoas precisam muito melhorar a sua alimentação e as informações sobre saúde que atualmente estão recebendo. As pessoas devem ser informadas de que elas têm uma escolha para se proteger.

      Com remédios para baixar o colesterol você pode reduzir a morte por ataque cardíaco em cerca de 30 por cento. Esse é um número significativo que vai acrescentar anos de vida para muitos.

    Não dá para ficar satisfeito com a redução do risco em apenas 30% por cento, porque segundo, os médicos cardiologistas Dean Ornish, Caldwell Esselstyn há recursos capazes de nos ajudar a reduzir o risco de um ataque cardíaco em 80% por cento. Estas são metas realistas que podem ser alcançadas com informações e orientações precisas, afirmam eles em seus livros. Muitas substâncias naturais são eficazes na redução dos agentes causadores de infarto.

    Nós podemos ganhar a guerra contra as doenças cardíacas, fazendo algumas mudanças abrangentes e profundas no nosso hábito alimentar e no estilo de vida. Seguindo as recomendações de um bom Programa de Vida Saudável, todos podem melhorar a sua saúde cardíaca, segundo os médicos cardiologistas Dean Ornish, Caldwell Esselstyn.

 

“A revolução da saúde nunca vai acontecer por causa de um novo remédio, e sim pela educação nutricional”

    Com essa frase o cirurgião americano Caldwell Esselstyn defende que só uma dieta à base de vegetais pode reverter doenças cardíacas. Dr Caldwell está revolucionando a medicina americana com um programa de alimentação vegetariana e com isso tem encontrado resultados surpreendentes, inclusive com a reversão de problemas cardíacos já em estado grave.

    Ele declara que nem remédios nem cirurgias curam problemas cardíacos, mas a alimentação correta pode não só evitar o bisturi, como reverter ou prevenir qualquer tipo de doença cardíaca, como declara no seu site e no documentário: Forks over Knives (garfadas no lugar de bisturis). A cada vez que ingerimos certos alimentos machucamos um delicado revestimento das artérias, o endotélio. Entre os argumentos usados, Dr. Esselstyn diz que uma alimentação errada vai danificar o endotélio arterial que é o revestimento das artérias.

 

   O seu método é o tema do documentário “Forks over Knives”, lançado nos EUA, que conta a história de pacientes que venceram problemas cardíacos e evitaram cirurgias ao adotar um programa de alimentação vegetariana. A revolução da saúde, segundo Dr. Caldwell, nunca vai acontecer por causa da descoberta de um remédio ou de um novo procedimento cirúrgico.

 

 Os avanços da cardiologia podem de "nada adiantar", como a colocação de stents e pontes de safena.

    A Cardiologia intervencionista oferece apenas benefícios parciais, uma vez que esses procedimentos não removem as causas do problema. As cirurgias e angioplastias são apenas soluções mecânicas para um problema biológico.  Com o tempo, é preciso colocar outro stent, fazer outra ponte, tomar mais remédios, e, no fim, a pessoa morre do coração assim mesmo.

    Todas estas abordagens têm risco significativo de complicações graves, incluindo a morte. E mesmo se elas forem bem sucedidas, vão oferecer apenas um alívio temporário dos sintomas. Não faz nada para evitar o seu desenvolvimento ou para curar a doença.

 

Um bom programa alimentar, propõe que garfos vão evitar os bisturís nas nossas vidas.

     Infelizmente, nos últimos anos o tratamento mecânico de doença dominou os procedimentos médicos. Há alguns sinais de mudança. Médicos e pesquisadores concordam cada vez mais que as mudanças de estilo de vida são essenciais para a saúde em geral.  Um número crescente de médicos estão cientes de que a alimentação desempenha um papel crucial na saúde, e que as mudanças nutricionais, tais como a alimentação vegetariana podem ter efeitos dramáticos no desenvolvimento e na progressão da doença.

 

Nutrição à base de plantas nos proporciona um caminho para escapar da epidemia de doença arterial coronariana.

    Para os cardiologistas Dr. Caldwell e Dean Ornishi, o que faz diferença na hora de lutar contra as doenças cardíacas não são os remédios e os métodos invasivos, mas sim o que entra pela boca. Segundo eles, o índice de pessoas que sofrem do coração será reduzido drasticamente quando as pessoas tomarem consciência do que comem. Isso vai vai acontecer quando as pessoas estiverem informadas do ponto de vista nutricional, para evitar as comidas que vão fazê-las perecer por uma doença.

   Se a pessoa quer saúde mesmo, e não apenas alívio de sintomas deve seguir uma dieta vegetariana, praticar exercícios físicos diariamente, ter hábitos saudáveis, etc., somente assim é possível reverter algumas enfermidades sem o uso de medicamentos convencionais e cirurgia.

Em seu site o cirurgião cardiologista americano Caldwell Esselstyn, afirma o seguinte: Se você come a dieta típica ocidental, cheia de carne, óleo e laticínios, você vai ver que, entre mil pessoas, algumas terão infarto aos 40 anos, outras aos 50, outras aos 60, 70 ou 80.

 

Há evidências ​​de que a alimentação saudável traz benefícios que vão muito além da doença da artéria coronária.

    Se a pessoa comer para salvar o seu coração, ela vai salvar-se de outras doenças que vem com a extravagância alimentar: derrames, hipertensão, obesidade, osteoporose, diabetes tipo II, e até deficiência mental senil, também. A pessoa ganhará proteção de uma série de outras doenças que têm sido associadas a fatores dietéticos, incluindo artrose, impotência e câncer de mama, próstata, cólon, reto, útero e ovários.

O ideal é agir de forma preventiva para evitar as doenças cardiovasculares e a alimentação é uma grande aliada. Existem alimentos que naturalmente contribuem para um bom funcionamento do organismo e protegem a saúde do coração. A pessoa deve optar por alimentos que ajudem a diminuir a pressão arterial, reduzam o colesterol ruim (LDL), os triglicérides e auxiliem na melhora do colesterol bom (HDL) e da circulação”

 

     Clyde Yancy cardiologista americano, afirmou num congresso de cardiologia no Canadá, que todo homem e mulher podem viver até aos 100 anos, desde que siga algumas regras simples.Tenho certeza que muitas pessoas podem chegar a ser centenárias e ao mesmo tempo, ainda ajudar a salvar a economia do seu país em muitos bilhões de dólares ao reduzir o custo do tratamento das doenças e economizando elas próprias também muito dinheiro que poderão ser gasto com medicamentos.

 

     Baixar o colesterol com medicamentos pode reduzir mortes por ataque cardíaco em cerca de 30% por cento. Esse é um número significativo que vai acrescentar anos de vida para muitos.

Devemos ficar satisfeito com a redução do risco de 30% por cento? Como ficar satisfeito com uma redução do risco em apenas 30% se podemos reduzir o risco de um ataque cardíaco em 90% ou mais disse os cardiologistas Dr. Caldwell e Dean Ornishi

     Nós podemos ganhar a guerra contra a doença cardíaca, fazendo algumas mudanças simples e profundas, na alimentação e no estilo de vida. 

 

As ocorrências cardiovasculares que mais matam

Infarto agudo do miocárdio: Ocorre quando o fluxo sanguíneo para o coração se interrompe durante um período de tempo suficiente para danificar o miocárdio. A causa mais comum é a obstrução das artérias coronárias. O infarto agudo do miocárdio é provocado pela falta de sangue e oxigênio no músculo cardíaco, devido à obstrução da artéria coronária, levando ao quadro de dor no peito, sudorese, falta de ar e mal estar. Ao sinal dos primeiros sintomas, a busca por ajuda médica é crucial, pois a cada minuto que passa o risco de óbito aumenta em 10%.

Doença vascular periférica: Decorre do depósito de gordura com obstrução das artérias periféricas do corpo. Nos membros inferiores, por exemplo, ocorre redução do fluxo de sangue para as pernas, com queixas de dor e de dificuldade para caminhar associadas à queda da temperatura local com dormência.

Acidente vascular cerebral: As placas de gordura depositadas nos vasos sanguíneos cerebrais podem obstruir um vaso cerebral intracraniano, levando ao quadro de dor de cabeça, tontura e paralisia de um braço, perna e face. Dependo da extensão da lesão, pode comprometer a fala e os processos neurológicos. O socorro imediato pode diminuir as sequelas e a chance de óbito.

Morte Súbita: Compreende o quadro de óbito de forma súbita, ou seja, quando não há chance de socorro, sendo causado, principalmente, pelo infarto agudo do miocárdio.

Angina instável: existem três tipos de angina: estável, instável e variável. A angina instável é a mais perigosa porque não corresponde a padrões previsíveis. Isso pode acontecer devido a um esforço físico ou mesmo em um estado de calma e não reage ao repouso ou a medicamentos. Geralmente é um sinal de que um ataque cardíaco acontecerá em breve.

Fibrilação atrial: isso acontece quando a frequência cardíaca é rápida e irregular devido a batidas atriais descoordenadas. É uma doença que está em aumento devido ao envelhecimento da população.

Insuficiência cardíaca: ocorre quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para o resto do corpo. Pode ser de dois tipos:

Diastólica: chama-se assim quando os músculos cardíacos estão rígidos e não se enchem de sangue com facilidade;

Sistólica: ocorre quando o miocárdio não consegue bombear sangue suficiente para o resto do corpo.

Ataque cardíaco: O termo médico para se referir a isso é infarto do miocárdio.

Atenção: Os sintomas para identificar essas doenças são variados e podem se manifestar de diversas maneiras, dependendo de cada pessoa. Se você tiver qualquer suspeita ou propensão a doenças cardíacas deve consultar o Cardiologista regularmente.

Agir a tempo: Saiba os sinais de alerta de um ataque cardíaco. Se você ou alguém que você conhece pode estar tendo um ataque cardíaco, procure imediatamente chamar uma ambulância e vá para o hospital o mais rápido possível. Não tente dirigir-se, chame alguém  para levá-lo. Quanto mais cedo você chegar a um hospital, o mais pode ser feito para evitar qualquer dano.

Estes sinais de alerta podem incluir dores no peito ou desconforto ou dor no pescoço ou braços, náuseas, suor frio, desmaios ou vertigens, ou falta de ar.

 

Doenças das artérias, das arteríolas e dos capilares cerebral, coronária e pulmonar.

Inclui: arteriosclerose, ateroma, degeneração, doença vascular arteriosclerótica, deformações, aterosclerose da aorta, aterosclerose da artéria renal, espasmo de artéria cerebral

Aterosclerose. Afeta a maioria dos adultos em diferentes graus de extensão, sob a forma de depósitos de gordura nas paredes das artérias, representando a doença arterial mais frequente. Pode afetar as artérias de todo o corpo humano, incluindo o cérebro, o coração os membros inferiores.

Arterites. Grupo de doenças em que a inflamação das paredes arteriais conduz a estenoses das mesmas, e por vezes também a oclusões.

 

Aqui a lista de algumas ocorrências, doenças e males que afetam o coração:

    Aneurisma da aorta ou Aneurisma Aórtico - Angina do peito -  Arritmias cardíacas -  Artérias obstruídas - Arteriosclerose - Ataque Cardíaco - Ateroembolismo -  Aterosclerose - Atrial Flutter - AVC hemorrágico - AVC isquêmico - Bradicardia - Calcificação arterial - Calcificação da aorta - Calcificação da carótida - Hiperatividade noradrenérgica -  Cardiomegalia - Cardiomiopatia - Cardiomiopatia hipertrófica - Cardiomiopatia restritiva - Cirurgia de revascularização (ponte de safena) - Coagulação - Colesterol alto - Dano endotelial - Derrame Cerebral - Disfunção endotelial - Doença arterial coronariana

- Doenças cardiovasculares - Doenças induzida por estatinas - Ecstasia da Artéria Coronária - Endurecimento Arterial falta de elasticidade - Enfarte do miocárdio - Espasmo de artérias coronárias - Estenose aórtica - Estenose da carótida - Estreitamento da artéria carótida - Fibrilação Atrial - Fibrinogênio elevado

- Fibrose do miocárdio - Hiperlipidemia - Hipertensão Arterial - Hipertrofia cardíaca - Hipertrofia Ventricular - Hipotensão - Infarto do Miocárdio - Insuficiência Cardíaca - Isquemia miocárdica - Miocardite - Necrose miocárdica - Parada Cardíaca - Peroxidação lipídica - Taquicardia - Triglicerídeo elevado

- Trombose - Trombose venosa profunda

 

Com o envelhecimento, algumas doenças chegam.

  Espessamento da Mídia Intima
    Placa de ateroma Arterial
    Calcificação Arterial
    Endurecimento Arterial: Elasticidade
    Aterosclerose
 Alongamento aórtico, estenoses, fibroses, cardiomegalia é a área cardíaca aumentada, calcificações de artérias, de vasos e de válvulas, ateromas (ateromatose) de artérias cardíacas, artérias cerebrais, artérias renais, artérias abdominal, artérias pulmonares e artérias carótidas.

    Essas condições clínicas relacionadas acima passarão a constar nos exames das pessoas a partir de certas faixas etárias. Podemos dizer, portanto, que algumas doenças é como cabelo branco, quanto mais a pessoa envelhece, maior é a chance de tê-las. Com o envelhecer, vários problemas de saúde começam a aparecer, e a pessoa pode começar a apresentar uma ou vários desses problemas.

Praticamente todas as pessoas os desenvolvem à medida que envelhecem, porém envelhecer não é a única causa deles.

Todos esses problemas são acelerados com passar dos anos, trazendo mais riscos a vida dos acometidos deles. São efeitos negativos do envelhecimento, mas podem ser retardados o seu aparecimento se os fatores ocasionadores deles forem prevenidos. Primeiramente, é preciso conhecer todos os fatores que promovem e aceleram essas doenças. Existem formas de prevenir, desacelerar ou frear os seus avanços e até de consertar alguns danos.

Leia mais: envelhecer-com-saude/

 

A idade pode causar outras alterações para o coração.

     O envelhecimento pode causar alterações no coração e dos vasos sanguíneos. Mas muitos dos problemas que as pessoas mais velhas têm no coração e vasos sanguíneos são causados por uma doença e não pelo envelhecimento. Mas, as mudanças que acontecem com a idade pode aumentar o risco de uma pessoa de doença cardíaca.
     O efeito cumulativo de todas as alterações relacionadas com a idade pode ser resumida a isto: a capacidade dos vasos sanguíneos para expandir e contrair diminui e as paredes arteriais engrossam. Os mais graves efeitos do envelhecimento são sobre os vasos sanguíneos, facilita a aterosclerose, a hipertensão, e outros processos para fazer os danos e, por sua vez, tem um efeito maior sobre envelhecimento nos vasos.

    Os vasos sanguíneos podem tornar-se mais rígidos, e algumas partes da parede do coração vão engrossar. Suas válvulas  que abrem e fecham para controlar o fluxo de sangue dentro do seu coração pode tornar-se mais espessa, rígida e calcificada. Um problema relacionado ao envelhecimento é o endurecimento das artérias. O tamanho do coração pode aumentar. Mas, mesmo assim, levando um estilo de vida saudável para o coração pode ajudar a evitar ou retardar a esses acontecimentos.

Nessa matemática de viver mais e nem sempre da melhor maneira, quem sente é o coração. Por isso, ele mata tanto. Ao longo da vida, nem todos se preocupam com ele, e, quando dá sinais de complicações, às vezes, é tarde demais. 

 A boa notícia é que existem coisas que você pode fazer para retardar, evitar ou reverter o seu risco.

 

      A incidência de doença cardíaca e acidente vascular cerebral sobe abruptamente depois de 60 anos, sendo responsável por mais de 40% por cento de todas as mortes entre as pessoas de 65 a 74 anos e quase 60% por cento nos idosos acima de 85 anos.

    Pessoas de 65 anos ou mais são muito mais propensas do que as pessoas mais jovens a sofrer um ataque cardíaco e de ter um acidente vascular cerebral, ou desenvolver doenças coronárias e hipertensão arterial,inclusive levando à insuficiência cardíaca. A doença cardiovascular é, por conseguinte, uma das principais causas de deficiência, limitando a atividade e a minar a qualidade de vida de milhões de pessoas a cada ano.
 

 

     Muitas são as intervenções que podem retardar ou prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares em pessoas de idade. Todos  podem tomar medidas adequadas para manter seu sistema cardiovascular mais saudável o maior tempo possível. De fato, estudos contundentes sugerem que uma boa nutrição e a ingestão de algumas Fitossubstâncias podem retardar o envelhecimento dos vasos sanguíneos, mesmo em pessoas que são geneticamente de risco.

 

    Como vimos as doenças cardiovasculares são as que mais afetam as pessoas de idade, por conta disso, é importante acentuar o uso das Fitossubstâncias que podem ajudar na prevenção e na regeneração:

- atividade antifibrótica,

- previne a restenose,

- protege contra a isquemia,

- regeneração do miocárdio,

- regule o metabolismo lipídico,

- diminua a rigidez arterial,

- baixe proteína C-reativa alta,

- melhora a espessura da artéria,

- melhorias no perfil lipídico sérico,

- diminuição da espessura da aorta,

- diminua a agregação de plaquetas,

- previna o espessamento das artérias,

- estimula a regeneração do miocárdio,

- reduza a progressão da aterosclerose,

- diminua e previna a hipertrofia cardíaca,

- antitrombótica e os efeitos fibrinolíticos,

- evite a diminuição da espessura da aorta,

- age como bloqueadora do canal de cálcio,

- confira melhorias na função cardiovascular,

- pode reduzir a progressão da aterosclerose,

- pode proteger contra a insuficiência cardíaca,

- tenha efeitos antispamodica e vasodilatadores,

- potenciais efeitos de anticoagulação do sangue,

- efeitos benéficos sobre marcadores inflamatórios,

- regrida a lesão do miocárdio após oclusão da artéria.

- tenha a capacidade de estabilizar a placa vulnerável,

- tenha um papel protetor em doenças cardiovasculares,

- tenha atividades antiespasmódica e broncodilatadoras,

- atue como um agente antifibrótico eficaz no miocárdio,

- pode exercer ações preventivas contra a aterosclerose,

- suprima o espessamento da camada íntima das artérias,

- tem um efeito regenerativo sobre o miocárdio infartado,

- tenha efeitos benéficos sobre marcadores inflamatórios,

- diminuição o desenvolvimento de lesões ateroscleróticas,

- efeitos melhorados antisenescência e antiateroscleróticos,

- melhorar a permeabilidade da artéria coronária e carótida,

- melhora a contração vascular aumentada em aortas diabética,

- retardar a progressão da espessura da carótida íntima-média,

- seja capaz de proteger o músculo cardíaco de lesão isquêmica,

- pode melhorar o potencial de regeneração em tecidos isquêmicos,

- eficaz para controlar a inflamação e sobre marcadores inflamatórios,

- contribuir para a regeneração da fibra muscular e reparação muscular,

- pode ter um papel terapêutico na atenuação da hipertensão pulmonar,

- influencie na capacidade de regeneração de tecidos cadíacos e vasculares,

- possa ser uma alternativa de tratamento para a aterosclerose prematura,

- inverta disfunção vasomotora endotelial em pacientes com doença arterial,

- tenha efeito benéfico sobre a progressão de placas ateroscleróticas da carótida,

Há uma série de ensaios clínicos e diversos estudos, que demonstraram evidências e efeito benéfico de várias fitossubstâncias que atuam nas condições clínicas relacionadas acima.

 

Doenças não acontecem por acaso.

     O estresse emocional, alimentos industrializados, toxinas ambientais e os medicamentos que deveriam curar e nos faz ficar doente. As combinações desses fatores negativos levam ao estresse oxidativo, que causa câncer, doenças cardíacas, artrite, etc  ameaçam a toda forma de vida.

     Pensando a partir deste ponto de vista, substâncias comuns e simples encontradas nas plantas alimentícias e medicinais podem ser empregadas para corrigir esse desastre na química das nossas células, de modo que os mecanismos de auto-cura podem acontecer.

 

Doenças ocorrem por estilos de vida não saudáveis

    Você não é uma vítima de seus genes, mas sim de suas escolhas alimentares erradas. Dados apontam que 80% das mortes por doenças cardíacas tiveram relação com a alimentação incorreta.

A alimentação moderna contem muita gordura e açúcar.

Estes comportamentos são motivados pela globalização da propaganda e do comércio de alimentos pouco saudáveis. Além disso, a rápida urbanização e a inatividade física também contribuem.  Segundo a OMS, 36 milhões morrem de doenças crônicas a cada ano.

A má alimentação e a falta de exercício resultam na obesidade e são consideradas as principais causas do aumento dos casos de diabetes, das doenças cardíacas e do derrame cerebral.

   De acordo com a ONU, os governos precisam apoiar os agricultores que produzem alimentos saudáveis e incentivar as pessoas a comer produtos saudáveis e a praticar atividades físicas, evitando alimentos com alto teor de gordura e açucares.

   Muitas pessoas não sabem que estão causando danos a sua saúde, geralmente morrem prematuramente de ataques do coração, derrame, ou problemas renais e muitas perdem a visão ou são obrigados a amputar um membro do corpo por causa do diabete.

 Essas pessoas desconhecem que a solução de muitas doenças esta nas plantas medicinais e numa alimentação saudável.

    Podemos reverter doenças, reduzir a pressão arterial elevada, os níveis alto de colesterol, prevenir doenças cardíacas e câncer tudo isso sem depender de remédio.      

   Acredite ou não, há pessoas que não dependem de medicação para eliminar seus sintomas, melhorar a sua saúde, e reverter os danos das suas doenças.

 

Estar informado sobre a sua história pessoal e familiar é um caminho para a saúde e prevenção de doenças cardio e cérebro-vasculares

Sabia que um jovem com 20 ou 30 anos pode ter doença aterosclerótica, um dos fatores de risco mais importantes para eventos cardiovasculares como o enfarte ou o AVC, equivalente à de uma pessoa com 50 ou 60 anos?

A doença aterosclerótica resulta da elevação dos níveis de colesterol, nomeadamente o LDL-C (mau colesterol), sendo acelerada por estilos de vida modificáveis tais como o tabagismo, sedentarismo, excesso de peso e uma má alimentação.

Sabia que o colesterol LDL (mau colesterol) elevado não escolhe idades?

O colesterol elevado não existe apenas em pessoas de idades mais avançadas. Mesmo crianças, adolescentes e jovens adultos podem ter níveis de colesterol elevados desde o seu nascimento. O colesterol elevado pode ser mesmo encontrado num jovem magro e ativo com estilos de vida saudáveis.

 

Sabia que as doenças cardiovasculares, apesar de também ser uma “herança indesejada”, pode ser evitada e tratada?

   Por se tratar de uma doença que passa de geração para geração, pode dizer-se que é uma “herança indesejada”. Contudo o seu diagnóstico precoce permite um tratamento eficaz com uma sobrevida igual à da população em geral.

    Visto ser uma doença silenciosa, é importante estar informado e conhecer a sua história pessoal e familiar. Saber mais e a tempo é um bom princípio para o tratamento já que lhe permite identificar se tem a doença, ou se algum familiar a tem, e agir preventivamente. Mas mesmo se houver uma forte tendência para a ocorrência de problemas cardíacos na família, a doença cardíaca pode ser evitada através de vários meios.

   A modificação de estilos de vida pode não ser suficiente para corrigir valores elevados de colesterol, sendo muitas vezes necessárias medidas terapêuticas específicas. Nesse sentido, deve procurar apoio de da Fitoterapia é importante.

 

A doença aterosclerótica não é exclusiva das artérias do coração e nem das do cérebro.

Trata-se de uma doença sistêmica e generalizada, podendo afetar qualquer órgão e ser responsável por vários sintomas.

 

A prevenção de doenças cardiovasculares e o tratamento está no seu armário da cozinha ou no seu quintal.

 

Fitoterapia acelerar a recuperação após um ataque cardíaco

    Um ataque cardíaco pode ser devastador, mas o processo de cicatrização é muitas vezes lento, os tecidos cardíacos lesados tem dificuldade de recuperação. Mas uma pesquisa constata que a Fitoterapia pode acelerar este processo de regeneração.

Pesquisa da Universidade da Escola de Medicina da Carolina do Sul e da Universidade de Guangzhou de Medicina Chinesa da China mostrou que há ervas que tem a capacidade de tratar doenças do coração. Os pesquisadores realizaram uma extensa revisão de estudos que investigou diferentes ervas medicinais e doenças cardíacas.

Os pesquisadores dividiram os diferentes tratamentos em três tipos diferentes. A primeira foi a pesquisa que utilizou uma única erva no tratamento.  Seguidos dos que usaram várias fórmulas de ervas e extratos e em seguida dos que usaram os medicamentos que tinham sido produzidos a partir de extratos de ervas.

      A fim de se relacionar mecanismos de ataque cardíaco considerados na medicina convencional, os investigadores centraram-se nos efeitos dos estudos relativos aos radicais livres, superóxido dismutase, óxido nítrico sintase, heme oxigenase, glutationa e outros.

  

    Os pesquisadores descobriram que uma série de tratamentos provou ser anti-inflamatórios. Isso significa que ambas as ervas individuais e as de múltiplas decocção reduziu a inflamação entre as artérias e do coração após um ataque cardíaco.  As pesquisas também demonstraram que algumas ervas acelera a reparação dos tecidos do coração e artérias que tenham sido danificados pelo ataque cardíaco. Os pesquisadores confirmaram estes efeitos, vendo que as ervas reduziram diretamente as citocinas inflamatórias, tais como IL-6, TNF-alfa e sintomas de inflamação, tais como a PCR. Outro mecanismo que os pesquisadores descobriram foi que algumas ervas ajudou a evitar a morte celular (apoptose) entre os tecidos cardíacos - que tipicamente ocorre após um ataque cardíaco.

    Alguns dos aspectos mais interessantes é que várias ervas mostraram ser capazes de promover o crescimento de novos vasos sanguíneos, o que ajuda a tecidos danificados por um ataque cardíaco. Isto é chamado de angiogênese.

    A pesquisa também descobriu que algumas ervas são úteis após um ataque cardíaco para aumentar a circulação e outras foram capaz de estimular a recuperação após ataque cardíaco.

   Os pesquisadores concluíram que é necessário que haja mais estudos, mas as evidências apresentadas mostram que a Fitoterapia por abrandar ou prevenir danos às células e tecidos, reduzindo a inflamação e estimulando o crescimento de novos vasos sanguíneos para acelerar a cura, pode ser usada para ajudar vítimas de ataque cardíaco.

 

Placa aterosclerótica ou placa de ateroma

        A formação de placa aterosclerótica tende a ocorrer em locais de lesão, tais como em bifurcações onde as forças de cisalhamento são máximas e em locais de movimento tais como as artérias coronárias encaixadas na superfície em movimento do ventrículo esquerdo.

    A aterosclerose, uma condição de doença resultante do acúmulo de depósitos de placas gordurosas dentro das paredes arteriais, é a principal causa subjacente de isquemia (restrição do sangue), levando à obstrução das artérias periféricas, insuficiência cardíaca congestiva, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral em humanos. Pesquisas emergentes indicam que fatores como inflamação e infecção também podem desempenhar um papel fundamental na progressão da aterosclerose.

 

    A aterosclerose é muitas vezes referida como a arteriosclerose ou o endurecimento das artérias e é agora uma das principais causas de morte! Esta foto mostra a artéria sendo obstruída pelas placas de ateroma e cálcio. Mas você podemos prevenir a arteriosclerose.

Como a aterosclerose pode ser evitada?

    A aterosclerose pode tratada com dificuldade. Mas podemos fazer a prevenção da aterosclerose com certas medidas naturais. Há alimentos e ervas que tem um efeito tão positivo em suas artérias, de modo que a aterosclerose não seja gerada e será varida do interior de suas artérias.

    Todos nós queremos viver uma vida longa, mas para viver mais temos que evitar o entupimento das artérias. Na realidade, a melhor forma de varrer os entulhos das artérias é usar uns chás medicinais, comer mais legumes e frutas.

As fitossubstâncias das ervas e das plantas alimentares e condimentares vão varrer as substâncias nocivas que acumulam nas artérias.

 

    Os depósitos, chamados de placas ateroscleróticas, endurecem ao longo do tempo e assumem uma consistência de cimento. As artérias perdem a sua flexibilidade e tornar-se mais rigidas, assim a oxigenação do corpo é cada vez mais restrito. Ao mesmo tempo, o risco para o aumento da trombose, angina de peito, acidente vascular cerebral e ataques cardíacos.

    As doenças das artérias podem provocar estenoses significativas que comprometem o fluxo de sangue causando uma deficiente irrigação dos tecidos respectivos. As doenças arteriais podem ainda dar origem a uma oclusão e causar a morte ou necrose desses tecidos, ou a um aneurisma, que pode levar à ruptura da artéria.

 

  • Efeitos da dieta da linhaça sobre a regressão da placa aterosclerótica. Pubmed PMID: 23585134 Publicado 11 / Abr / 2013 Tipo de Estudo : Estudo Animal
  • A vitamina C protege as células do músculo liso vascular humano contra a apoptose induzida por LDL moderadamente oxidada. Pubmed: 10521368 Publicado 01 / Out / 1999 Tipo de Estudo : Estudo In Vitro
  • O alho inibe a formação de placas arterioscleróticas, in vitro. Pubmed PMID: 15638070 Publicado 01 / Nov / 2004 Tipo de Estudo : Estudo In Vitro
  • Policosanol pode beneficiar a composição e a estabilidade da placa e poderia explicar os efeitos protetores do policosanol sobre o desenvolvimento da aterosclerose Pubmed PMID: 16099319 Publicado  Sep 01, 2005 Tipo de Estudo : Estudo Animal
  • A EPA é incorporada em placas ateroscleróticas avançadas e a placa EPA está associada com maior estabilidade uma diminuição da inflamação da placa Pubmed PMID: 20542512  Publicado  01 / Set / 2010 Tipo de Estudo : Estudo Humano
  • O alho reduz uma multiplicidade de fatores de risco associados à arteriosclerose e reduz significativamente o risco de ataque cardíaco e derrame. Pubmed PMID: 10483684 Publicado 01 / Jan / 1999 Tipo de Estudo : Estudo Humano
  • Os ácidos graxos ômega-3 e suplementação de vitamina D resulta em uma redução substancial nas pontuações de cálcio coronário e retardou o crescimento da placa. Pubmed PMID: 19092644 Publicado 01 / Jul / 2009 Tipo de Estudo : Estudo Humano
  • A homocisteína plasmática prevê a progressão da aterosclerose. Pubmed PMID: 15939068 Publicado 01 / Jul / 2005 Tipo de Estudo : Estudo Humano

Obs: há outros trabalhos mostrando outras fitossubstâncias que ajudam na prevenção e na diminuição da da calcificação arterial, mas está disponível apenas para os assinates do site tiaxica.com

 

 

       A calcificação é uma desordem indesejável, que ocorre frequentemente nos vasos do coração. Em geral, a formação de lesões vasculares calcificas envolve eventos físico-químicos e moleculares complexos.

Neste tópico vamos abordar as calcificações das arterias, mas pincelei um pouco que há outras calcificações

A calcificação (hidroxiapatite) é iniciada por lesão e é progredida por fatores promotores e / ou déficit de sinais inibitórios.
A calcificação patológica em tecidos moles (calcificação ectópica) pode ter consequências graves. A hidroxiapatita é a fase mineral comum presente em todas as calcificações teciduais. Em geral, o desenvolvimento de calcificações teciduais requer uma lesão pré-existente como indutor (nucleante heterogéneo), enquanto que uma progressão posterior requer a presença de outros factores promotores (tais como hipercalcemia e / ou hiperfosfatemia) e / ou uma deficiência nos fatores repressores de calcificação (inibidores de cristalização e mecanismos de defesa celular).

 

 

 A Calcificação das artérias

    Calcificação dos tecidos moles (tecido conjuntivo, ligamentos, músculos, artérias) é encontrada em muitos estados de doenças, e geralmente é identificado em lâminas de patologia de tecidos.

Por que isso acontece?

Sempre que há morte celular ou necrose tissular (morte das células), o corpo estimula (invoca) um processo de calcificação, que é considerado como parte de um processo de cura. Estudos de patologia têm mostrado formas de cálcio em áreas de ruptura de uma placa.

     À medida que envelhecemos, os depósitos de cálcio tendem a se acumular em nossos tecidos moles, como as artérias. A calcificação pode levar ao desenvolvimento de isquemia do miocárdio, enfarte do miocárdio, a função miocárdica diminuída, insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência das válvulas cardíacas e arritmias cardíacas. Ocorre que, à medida que envelhecemos, a placa de cálcio vai ampliando e obstrui o fluxo de sangue, causando um ataque cardíaco. Outro cenário comum é a ruptura da placa que expõe os detritos inflamatórios da placa para circular no sangue. Isto pode resultar em formação de coágulos ( trombose ), resultando em um ataque cardíaco e morte súbita, possivelmente.

    A Calcificação da artéria coronária é comum, é grave e está significativamente associado com doença isquêmica cardiovascular em pacientes com doença renal em pessoas idosas. A calcificação arterial é, na verdade, uma forma de formação dura na parede da artéria desencadeada por um processo inflamatório.

A quantidade de cálcio nas artérias coronárias prediz o risco de ataque cardíaco. 

O cálcio se acumula de forma constante na placa e sua presença é verificável através de exame microscópico desde os primeiros estágios da formação doença.

   Ter um acúmulo de placas de cálcio nas artérias significa aumento do risco de ataques cardíacos e morte por doença cardíaca de acordo com as conclusões do estudo Multi-Ethnic de Aterosclerose (MESA) financiados pelo National Heart, Lung, and Blood Institute.

   Dr. James Howenstein diz "calcificação em tecidos celulares é um sinal de danos nos tecidos, envelhecimento celular e morte celular eminente.

 O escore de cálcio coronário é uma ferramenta para medir e acompanhar o risco de doença cardíaca, e é mais valioso e preciso do que outros marcadores tradicionais, tais como o colesterol total.

A AHA (American Heart Association) negou durante anos que escore de cálcio é um marcador válido para o risco de doença cardíaca. Mas a AHA se retratou e, finalmente, admitiu que o escore de cálcio coronariano prediz confiavelmente o risco de ataque cardíaco.
O cardiologista, Dr. Matt Budoff, diz que a quantidade total de cálcio coronário (escore Agatston) prevê eventos de doença coronariana além fatores de risco padrão.  Dr. Detrano, em um artigo recente no NEJM (New England of Medicine), também disse que o escore de cálcio coronário é um forte preditor de incidente doença cardíaca coronária e fornece informações preditivas além da fornecida por fatores de risco padrão.

 

 

Na juventude, à esquerda, há a formação de um placa mínima. Idade 20-30 anos

  À direita com o passar do tempo a placa cresce. Idade 50-70 anos.

 

 

 

Reverter a calcificação
O objetivo do tratamento principal é a redução do índice de cálcio na Artéria Coronária, e, por inferência, a redução no volume da placa e na redução da mortalidade cardiovascular por essa causa. Para isso tem que se fazer modificação da alimentação e suplementar com os nutrientes e fitonutrientes que vão ajudar nesse processo.

 

 

Estudo mostraram alguns fatores de riscos para a calcificação das artérias

  • A deficiência de vitamina D apresentou associação positiva significativa com a presença de calcificação coronariana.

Pubmed PMID: 27315115 Publicado 16 de Jun, 2016 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • Evidências mostram que a deficiência de Vit. K pode contribuir para o desenvolvimento de placa cardiovascular (aumento da espessura da camada íntima) e a suplementação pode reverter ou prevenir o processo de calcificação.

Pubmed PMID: 17138823  Publicado 01 / Abr / 2007  Tipo de Estudo : Estudo Animal

  • Os depósitos de carbonato de cálcio foram encontrados nas paredes das principais artérias na aterosclerose. 

Pubmed PMID 6639399 Publicado 1 de Janeiro de 1983 Tipo de Estudo : Estudo Animal

  • Efeito da fluoração da água sobre o desenvolvimento de calcificação vascular medial em ratos urêmicos.

Pubmed PMID: 24561004 Publicado Abr 05, 2014 Tipo de Estudo : Estudo Animal

  •  Pacientes com maior perda de dentes têm maior prevalência de calcificação da artéria carótida.

Pubmed PMID: 27566532 Publicado 26 / Ago / 2016 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  •  Os suplementos de carbonato de cálcio estão associados à calcificação aórtica em pacientes em hemodiálise.

Pubmed PMID: 19016145  Publicado 01 / Jan / 2008  Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • Altos níveis de consumo de bebidas adoçadas com açúcar estão associados a uma maior prevalência e grau de cálcio da artéria coronária. Pubmed PMID: 27297845 Publicado  30 / Jun / 2016 Tipo de Estudo : Estudo Humano
  • A terapia com estatinas foi associada a maior progressão da calcificação das artérias coronárias.

Pubmed PMID: 28036114 Publicado: 29 / Dez / 2016 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • O uso de estatinas está associado a um aumento da prevalência e extensão das placas coronárias que possuem cálcio.

Pubmed PMID: 22981406 Publicado 23 / Ago / 2012 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • O uso mais freqüente de estatinas está associado à calcificação acelerada das artérias coronárias  em uma subpopulação, a calcificação aórtica, em pacientes com DM2 com aterosclerose avançada.

Pubmed PMID: 22875226 Publicado 07 / Ago / 2012 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • A progressão da calcificação das artérias coronárias em pacientes em pré-diálise é paralela à quantidade de carbonato de cálcio que consomem.

Pubmed PMID: 17805238 Publicado 01 / Nov / 2007 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • Existe uma associação de captação de fluoreto vascular com calcificação vascular e doença arterial coronariana.

Pubmed PMID: 21946616 Publicado 01 / Jan / 2012 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • O uso de varfarina aumenta o risco de calcificação valvular.

Pubmed PMID: 19793187 Publicado 01 / dez / 2009 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • A rigidez arterial e a calcificação vascular na doença renal em estágio final são adversamente afetadas pela dose de carbonato de cálcio ingerida.

Pubmed PMID: 10862640  Publicado 01 / Jul / 2000 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • A aterosclerose calcificada está diretamente implicada nas patogêneses da aorta abdominal e das artérias ilíacas.

Pubmed PMID: 18515037 Publicado 01 / Jul / 2008 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

 

 

Você pode ver abaixo uma lista extensa de abordagens nutricionais para manter suas artérias saudáveis e livre das calcificações. Se você em clicar no PMID será direcionado para as publicação científicas.

 

  • Extrato de alho envelhecido suplementado com vitaminas B, ácido fólico e L-arginina retarda a progressão da aterosclerose subclínica: um ensaio clínico randomizado. Estudos anteriores demonstraram que extrato de alho envelhecido reduz múltiplos fatores de risco cardiovascular. Este estudo foi desenvolvido para avaliar se a terapia de extrato de alho envelhecido com suplementos afeta favoravelmente os biomarcadores inflamatórios e de oxidação, a função vascular e a progressão da aterosclerose em comparação com o placebo. AGE + S está associado a uma melhora favorável nos biomarcadores oxidativos, função vascular e redução da progressão da aterosclerose. Pubmed PMID: 19573556   Publicado 01 / Feb / 2004 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • O extrato de alho envelhecido com suplemento é associado com o aumento do adiposo marrom, diminuição do tecido adiposo branco e predizer a ausência de progressão na aterosclerose coronariana. O extrato de alho envelhecido com suplemento é associado com o aumento do adiposo marrom, diminuição do tecido adiposo branco e predizer a ausência de progressão na aterosclerose coronariana. Pubmed PMID: 23453866  Artigo Publicado Data : 28 / fev / 2013  Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • A suplementação com vitamina K inibe a progressão da calcificação da artéria coronária em homens e mulheres idosos. Pubmed PMID: 19386744 Publicado 01 / Jun / 2009 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • A alta ingestão de menaquinona na dieta (vitamina K2) está associada à redução da calcificação coronariana.

Este estudo mostra que a alta ingestão de menaquinona na dieta, mas provavelmente não a filoquinona, está associada à redução da calcificação coronariana. Por conseguinte, ingestão de menaquinona adequada pode ser importante para prevenir doenças cardiovasculares. Pubmed PMID: 18722618  Publicado 01 / Abr / 2009 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • O magnésio pode ter um efeito favorável na calcificação da artéria coronária.

Pubmed PMID: 19469885  Publicado 01 / Out / 2009  Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • Os ácidos graxos ômega-3 e suplementação de vitamina D resulta em uma redução substancial nas pontuações de cálcio coronário e retardou o crescimento da placa.

Apesar de grande variação na resposta, a redução substancial da CCS foi alcançada em 44% dos indivíduos e retardou o crescimento da placa em 49% dos indivíduos que aplicam um programa amplo de tratamento. Pubmed PMID: 19092644  Publicado 01 / Jul / 2009  Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • O fitato inibe a calcificação vascular.

O presente estudo descobriu que o fitato atuou como um inibidor da calcificação vascular. Assim, a ação dos polifosfatos pode ser importante na proteção contra a calcificação vascular. Pubmed PMID: 17587727 Publicado 1 / Jul / 2007 Tipo de Estudo : Estudo Animal

 

  • A vitamina K pode ser eficaz na prevenção e tratamento da osteoporose e calcificação arterial.

Pubmed PMID: 16030366 Publicado 01 / Ago / 2005 Tipo de Estudo : Revisão

 

  • Inositol hexafosfato (fitato) inibe a calcificação do sistema cardiovascular.

Pubmed PMID: 16146720 Publicado 01 / Jan / 2006


Aboramos aqui as alguns dos estudos para calcificação Vascular e calcificação Arterial, mas contamos com resumos de Pesquisa para calcificação ectópica,  limitado aos assinantes do site.
Calcificação ectópica
Cálculo renal Pedras nos rins
Calcificações Cerebrais
Calcificações esplênicas
Cálculos biliares
Calcificação da Glândula Pineal

Obs: há outros trabalhos mostrando outras fitossubstâncias que ajudam na prevenção e na diminuição da da calcificação arterial, mas está disponível apenas para os assinates do site tiaxica.com

 

 

     A rigidez arterial é maior em pessoas com diabetes mellitus, obesidade e outros fatores de risco cardiovascular e aumenta com a pressão arterial e a idade É um importante fator de risco para infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, doença renal terminal e outras doenças cardiovasculares.

 É surpreendente quando você considera que todos os elementos comestíveis estudados até agora são capazes de melhorar a disfunção endotelial. Você pode ver abaixo uma lista extensa de abordagens nutricionais para manter suas artérias saudáveis. Se você em clicar no PMID será direcionado para as publicação científicas.

O óxido nítrico (NO) por exemplo, desempenha um papel fundamental na manutenção do tônus ​​vascular, contribuindo para a regulação funcional da rigidez arterial. É importante o uso de fitossubstância que o estimule.

As Fitossubstâncias, os fitonutrientes e as vitaminas que ajude a prevenir a rigidez e melhore a elasticidade devem ser acentuado o seu uso por meio dos alimentos e das ervas medicinais ou de uma suplementação enriquecida nessas substâncias.

 

Você pode ver abaixo uma lista extensa de abordagens nutricionais para manter suas artérias saudáveis e prevenir a rigidez arterial. Se você em clicar no PMID será direcionado para as publicação científicas.

  • A ingestão diária de cacau chocolate pode ser benéfica para a rigidez arterial.

A relação do consumo habitual de Cacau (chocolate) com a Rigidez Arterial em uma amostra baseada numa comunidade.O consumo de chocolate e cacau tem estabelecido benefícios cardiovasculares. Sabe-se menos sobre os efeitos do chocolate sobre a rigidez arterial, um marcador de doença cardiovascular subclínica. O objetivo deste estudo foi investigar se as ingestões de chocolate estão independentemente associadas à velocidade da onda de pulso, após ajuste para fatores cardiovasculares, de estilo de vida e dietéticos. A ingestão de chocolate pode ser benéfica para a rigidez arterial. Estudos adicionais são necessários para explorar os mecanismos subjacentes que podem mediar os efeitos observados do consumo habitual de chocolate na rigidez arterial. A maioria dos estudos vasculares que examinaram o cacau / chocolate têm focado suas associações com a função endotelial. As propriedades antioxidantes dos flavonóides têm sido usadas para explicar as melhorias demonstradas na dilatação mediada pelo fluxo da artéria braquial como resultado do consumo do cacau ou chocolate em adultos saudáveis. Menos estudos examinaram associações entre chocolate e produtos de cacau e rigidez arterial.

Pubmed PMID: 27493901   Publicado 30 / Jun / 2016 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  As vitaminas K1 e D têm um efeito benéfico nas propriedades elásticas da parede do vaso arterial.

Estudo conclui que há efeitos benéficos das vitaminas D e K sobre as propriedades elásticas da parede do vaso em mulheres pós-menopáusicas: um estudo de acompanhamento  Pubmed PMID: 14961167  Publicado 01 / Feb / 2004 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  A suplementação multicomponente derivada de Chlorella diminui a rigidez arterial em indivíduos de meia-idade e idosos.

Concluímos que a suplementação multicomponente derivada de Chlorella diminui a rigidez arterial em indivíduos de meia-idade e idosos. Pode estar associada ao aumento da produção de óxido nítrico pelo endotélio vascular. Este estudo testou a hipótese de que a suplementação derivada de Chlorella melhora a rigidez arterial através do aumento na produção de óxido nítrico. Alterações na rigidez arterial e na produção de óxido nítrico.

Pubmed PMID: 26566309 Publicado 31 / Out / 2015 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  • A suplementação de melancia reduz a rigidez arterial e a pressão arterial sistólica aórtica.

Efeitos da suplementação de melancia na rigidez arterial e na amplitude de reflexão da onda em mulheres na pós-menopausa.  As mulheres na pós-menopausa aumentaram a rigidez arterial. A suplementação de melancia reduz a rigidez arterial e a PAS aórtica pela redução da amplitude de reflexão da onda de pressão em mulheres obesas pós-menopáusicas com hipertensão.

Pubmed PMID: 23615650  Publicado 30 / Abr / 2013 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  O extrato de alho envelhecido e a coenzima Q10 têm um efeito benéfico na elasticidade vascular e na função endotelial causada por alto estresse ocupacional.

Efeitos benéficos do extrato de alho envelhecido e da coenzima Q10 sobre a elasticidade vascular e na função endotelial: o ensaio clínico randomizado da FAITH. O extrato de alho envelhecido (AGE) está associado a uma diminuição significativa na progressão da placa aterosclerótica e na melhora da função endotelial. Do mesmo modo, a coenzima Q10 (CoQ10) tem efeitos benéficos significativos na função endotelial. Um estilo de vida estressante é um fator de risco bem conhecido para a presença ea progressão da aterosclerose. Este estudo investigou o efeito de AGE mais CoQ10 na elasticidade vascular medida pela velocidade da onda de pulso (PWV) e função endotelial medida pelo monitoramento térmico digital (DTM) em bombeiros. A combinação de alho envelhecido e CoQ10 foi associada independentemente com efeitos benéficos significativos sobre a elasticidade vascular e a função endotelial nesses bombeiros com alto estresse ocupacional, destacando o importante papel do alho envelhecido e CoQ10 na prevenção aterosclerótica desses indivíduos. Pubmed PMID: 22858191  Publicado 31 / Jul / 2012  Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  A ingestão regular de alho em pó atenuou os aumentos relacionados com a idade na rigidez aórtica.

Efeito protetor da ingestão regular de alho sobre as propriedades elásticas da aorta em idosos. Estudos epidemiológicos têm sugerido que o alho pode ter efeitos protetores contra doenças cardiovasculares. Foi realizado um estudo observacional transversal para testar a hipótese de que a ingestão regular de alho atrasaria o endurecimento da aorta em relação ao envelhecimento. Estes dados suportam fortemente a hipótese de que a ingestão de alho teve um efeito protetor sobre as propriedades elásticas da aorta relacionadas com o envelhecimento em seres humanos.

Pubmed PMID: 9355906 Publicado: 21 / Out / 1997 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  A suplementação com óleo de peixe melhora a elasticidade arterial em pacientes hipertensos com excesso de peso.

A suplementação com óleo de peixe certamente melhoraria a elasticidade arterial grande, mas nenhum efeito sobre a PA em hipertensos com sobrepeso. Estudos adicionais são necessários para confirmar os benefícios da suplementação com óleo de peixe em aumentos relacionados com a idade na rigidez arterial. Após 8 semanas de seguimento, a elasticidade da artéria grande no grupo de óleo de peixe, em comparação com sua linha de base, foi significativamente melhorada. Pubmed PMID: 17805229 Publicado: 01 / dez / 2008 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  O consumo de suco de uva por mulheres pós-menopáusicas de meia-idade e saudáveis é benéfico para a rigidez arterial.

Pubmed PMID: 26016866 Publicado 26 de maio de 2015 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •   As isoflavonas, tomadas por via oral, reduziram a pressão arterial e a rigidez arterial central, indicando redução do risco cardiovascular. Pubmed PMID: 16730732  Publicado: 1 de Maio de 2007 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  A suplementação de l-citrulina a curto prazo pode melhorar funcionalmente a rigidez arterial, independente da pressão sanguínea, em seres humanos.

Efeitos de curto prazo da suplementação com L-citrulina na rigidez arterial em homens de meia-idade.
Estes achados sugerem que a suplementação de L-citrulina a curto prazo pode melhorar funcionalmente a rigidez arterial, independente da pressão sanguínea, em seres humanos. Pubmed PMID:
21067832 Publicado 08 / Nov / 2010 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  O balanço de α-tocoferol e γ-tocoferol pode ser importante na manutenção da complacência arterial.

Pubmed PMID: 26271527  Publicado 10 / Ago / 2015 Tipo de Estudo : Estudo Humano

 

  •  O programa de yoga foi mais eficaz do que a caminhada rápida na redução da rigidez arterial, juntamente com a pressão arterial em indivíduos idosos.

Os resultados do estudo sugere que um programa de yoga foi mais eficaz do que a caminhada rápida na redução da rigidez arterial, juntamente com a pressão arterial em idosos com Pressão aumentada. A Yoga também pode reduzir significativamente a atividade simpática e melhorar a função endotelial com o aumento da biodisponibilidade de óxido nítrico. Pubmed PMID: 26275649  Publicado 31 / Jul / 2015 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  •  O consumo de chá preto melhora a função endotelial e a elasticidade arterial em indivíduos saudáveis.

Flavonóides podem proteger contra doenças cardiovasculares. O chá é uma das principais fontes de flavonóides.Esse estudo é o primeiro mostrando a ingestão de chá preto, a dose usada melhorou a DMF e fez a diminuição da rigidez arterial periférica em voluntários saudáveis. Nossos dados sugerem que os bebedores de chá podem se beneficiar dos efeitos protetores cardiovasculares exercidos pelo chá.
Pubmed  PMID:
19516176  Publicado 01 / Abr / 2009 Tipo de Estudo : Estudo Humano

  • Imagine como seria bom se pudéssemos resolver a disfunção endotelial décadas antes de progredir para aterosclerose?

Obs: há outros trabalhos mostrando outras fitossubstâncias que ajudam na prevenção e na diminuição da rigidez arterial, mas está disponível apenas para os colaboradores finaceiros do site tiaxica.com

 

   O magnésio é o mineral de rejuvenescimento e impede a calcificação dos nossos órgãos e tecidos, que é característica do envelhecimento e a degeneração do nosso corpo.

   A dose inadequada de magnésio interfere com o metabolismo celular e acelera o envelhecimento da maior parte dos tecidos humanos. Estudos recentes têm mostrado que baixo consumo de magnésio acelera a senescência das células endoteliais humanas e fibroblastos.

 

Nutrição à base de plantas nos proporciona um caminho para escapar da epidemia de doença arterial coronariana.

Para Dr. Caldwell e Dean Ornishi, o que faz diferença na hora de lutar contra as doenças cardíacas não são os remédios e os métodos invasivos, mas sim o que entra pela boca. Segundo ele, o índice de pessoas que sofrem do coração será reduzido drasticamente quando as pessoas tomarem consciência do que comem.

Se a pessoa quer saúde mesmo, e não apenas alívio de sintomas deve seguir uma dieta vegetariana, praticar exercícios físicos diariamente, ter hábitos saudáveis, etc., somente assim é possível reverter algumas enfermidades sem o uso de medicamentos convencionais e cirurgia.

 

Os comerciantes do coração.

Temos aqueles cirurgiões que, à mais leve respiração curta ou dor no peito, procuram implantar ponte de safena ou Stent. E temos os distribuidores de medicamentos tão letais quanto os ataques cardíacos que deveriam adiar ou prevenir.

Houve grande confusão quando foi divulgada uma pesquisa provando que as pontes de safena são ineficazes para a maioria das pessoas com oclusão coronária - e quando os repórteres de TV denunciaram os medicamentos que podem causar a morte como efeito colateral.

Ambos procuram convencer todo mundo de que a alimentação saudável e ervas medicinais - um tratamento preventivo eficaz e econômico para a oclusão coronária - é charlatanismo.

Oferecem conselhos nutricionais absurdos a respeito de colesterol e dietas, recomendações muitas vezes conflitantes, imprecisas ou até mesmo prejudiciais a saúde.

Embora revolucionária, a ideia de que o consumo de determinados nutrientes e fitonutriente pode limpar as veias do corpo humano ainda é polêmica na comunidade médica. Os especialistas afirmam que, sozinhos, nenhum alimento é capaz de transformar as artérias doentes em saudáveis. Contudo, adicionar certos alimentos na dieta do dia a dia pode prevenir o entupimento das veias e o aumento do colesterol ruim no corpo, o que evitaria doenças.

O corpo é uma máquina maravilhosa, mas não infalível. Mas muitas das doenças mais comuns de que padecemos podem ser evitadas através de ações simples que, se praticadas regularmente, podem nos ajudar a ter um corpo saudável e cheio de vitalidade.

 

    Os médicos dizem que a doença cardiovascular não pode ser curada, mas pode ser controlada, principalmente com medicamentos. Em certo sentido, os médicos estão certos - doença cardiovascular não pode ser curada pela medicina tradicional.

   No entanto, a doença cardiovascular pode ser prevenida por uma boa alimentação e pelo uso de ervas medicinais. A doença cardíaca é em grande parte, causada por alimentação inadequada e deficiências de fitonutrientes importantes e outros compostos essenciais necessários para a saúde cardiovascular.

 

 

Conhecer para prevenir.  Regras que ajudam o coração.

Controle o colesterol - Nível alto no sangue leva ao depósito de gordura nas artérias e aumenta o risco de doença cardíaca e derrame.

Siga uma alimentação saudável - A nutrição adequada é um dos itens mais importantes para melhorar e manter a saúde. É importante consumir uma grande quantidade de fibras, leguminosas, frutas e legumes frescos.

Controle a pressão arterial - Pressão arterial elevada é, muitas vezes, chamada de "assassino silencioso".  O controle dela serve para reduzir o risco de derrame em 40% e o risco de ataque cardíaco em 25%.

Mantenha o peso na medida certa - Excesso de peso - um fator de risco para doença cardíaca e derrame. Obesidade pode reduzir a expectativa de vida em quase quatro anos.

Controle a diabetes - Diabetes aumenta o risco de pressão alta, aterosclerose, problemas cardíacos e acidente vascular cerebral e amputação de membros inferiores.

Não fume - Milhares de pessoas morrem prematuramente a cada ano por causa do uso do tabaco, e milhares de não-fumantes podem enfrentar o mesmo destino por causa do tabagismo passivo. Quando uma pessoa deixa de fumar, o risco de doença cardíaca e acidente vascular cerebral começam a diminuir.

Evite o estresse - O estresse também é um inimigo do nosso corpo e as tensões emocionais são responsáveis por um grande número de doenças cardiovasculares. Quem vive uma rotina estressante libera altos níveis de hormônios, como a adrenalina, que provocam aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, podendo até mesmo levar a pessoa a ter um infarto. Outro hormônio liberado durante as situações de tensão emocional é o cortisol, que em nível elevado pode causar elevação da glicose, que predispõe a doenças cardiovasculares. Sob estresse crônico, nossas capacidade energetica se esgotam, abrindo caminho para doenças crônicas, como obesidade, hipertensao, câncer.

Leve uma vida ativa - Falta de atividade física nos rouba em média quatro anos de vida. Pessoas que são fisicamente inativas têm duas vezes mais risco para doença cardíaca e derrame. O sedentarismo é caracterizado por um estado muito reduzido de atividade física, em que o movimento do corpo é mínimo. Trata-se de uma situação altamente prevalente nas sociedades modernas, nas quais o conforto proporcionado pelos avanços tecnológicos veio substituir muitos afazeres, gerando o comodismo, a preguiça.
 O estilo de vida sedentário está associado a muitas doenças, como a pressão alta, obesidade e diabetes tipo 2, que levam ao maior risco cardiovascular, como angina, infartos, tromboses etc.
    A solução para as pessoas sedentários é a inclusão da prática regular de exercícios físicos. O benefício sobre a pressão alta é espetacular, pois além de diminuir a pressão leva à ingestão de doses menores de medicamentos. Ao provocar a baixa de peso, o exercício físico também altera a concentração e o metabolismo das gorduras, como o colesterol e triglicérides, reduzindo o risco de aterosclerose.
 O principal benefício advindo da prática regular do exercício físico é modificar os fatores de risco de doenças cardiovasculares, além de melhorar, de forma saudável. a qualidade de vida. Em qualquer fase da existência, a ordem é evitar o comodismo e afastar a preguiça.

 

 

Pergunte ao seu médico.

Qual é a minha pressão arterial?

Qual é o meu risco de doença cardíaca?

Se eu acho que estou tendo um, o que devo fazer?

Que eu preciso para ajudar a proteger o meu coração?

O que é um plano de alimentação saudável para o meu?

Como posso saber se estou tendo um ataque cardíaco?

Quanta atividade física que eu preciso para ajudar a proteger o meu coração?

Qual é o meu nível de açúcar no sangue, e se  isso significa que esta em risco para o diabetes?

Quais são os meus números de colesterol? (Estes incluem o colesterol total, LDL, HDL e triglicéridos).

 

 

Quando eliminamos alguns alimentos, paramos de danificar as artérias?

    Somos treinados para pensar que cuidados médicos eficazes envolvem equipamentos caros, testes, medicamentos e procedimentos. Os alimentos podem ser muito mais poderosos do que alta tecnologia para tratar as artérias que tem uma notável capacidade de autorecuperação e, consequentemente, de curar o coração.

Eu acredito que a doença arterial coronariana é evitável, e que, mesmo depois que ela estiver em andamento, o progresso pode ser parado e seu dano invertido.

 

Suco de romã para limpar as artérias

  Estudos tem demonstrado que o uso do suco de romã pode evitar notoriamente a obstrução das artérias ou reverter os efeitos que esta patologia gera.
  Artérias entupidas podem resultar, por exemplo, em um ataque cardíaco. Por isso é tão importante mantê-las “limpas” e “desentupidas” para melhor qualidade de vida.

  As gorduras más que comemos diariamente é prejudicial para nossa saúde, e é justamente isso que entope lentamente as artérias, até obstruí-las completamente fazendo com que o sangue não consiga fluir adequadamente até o coração e aos demais órgãos.

  A pessoa que bebe um suco de romã, ou tem a sorte de comer um doce de romã, pode entender por que é tão eficaz na limpeza do sistema circulatório. Após um ano, a placa de entupimento das artérias carótidas dos pacientes que tomaram o suco foi reduzido em até 30%, enquanto que o entupimento das artérias do grupo que não tomou o suco aumentou 9%. Isto foi revelado por um estudo, publicado na revista Clinical Nutrition, feito com pacientes com aterosclerose.

 A romã tem potentes propriedades antioxidantes, o que reduz a probabilidade do colesterol LDL oxidar e tornar-se aterogênico.
  Pesquisadores de Nápoles (Itália) e de Los Angeles (Califórnia) demonstraram que as grandes quantidades de antioxidantes presentes no suco de romã superam a qualquer outra fruta, como, por exemplo, o mirtilo, as laranjas e as amoras (os melhores que se conhece). Além disso, é ótimo para combater os danos nas artérias, causados geralmente por aterosclerose.

 Sabemos que o óxido nítrico se apresenta em pequenas quantidades em nosso corpo e age ligado ao relaxamento muscular e à vasodilatação e também atua na regulação da pressão arterial e do fluxo sanguíneo. Desse modo, a romã protege o óxido nítrico, reforçando, com certeza, sua ajuda na prevenção dos problemas cardiovasculares.
  Mas para essa limpeza recomenda-se que você consuma um copo de suco de romã por dia, pelo menos, por três meses. Não fique apenas no consumo do suco de romã, lembre-se de que para a saúde cardiovascular ficar bem, tudo em seu corpo deve estar em equilíbrio. Por isso, recomendamos que tenha uma alimentação saudável, com vegetais e frutas frescas; evite as gorduras e os alimentos processados.

   Plantar um pé de romã no quintal da casa, além de trazer beleza, vai oferecer as romãs para desentupir as artérias. Não há desculpa, podemos plantar até no vaso.

leia mais em  o-alimento-cura

 

Semente de gergelim pode salvar o coração.

Comer Gergelim diminui o risco de doença cardíaca

Por que comer a pasta de semente de gergelim (Tahini) ou a semente moída?

Uma pesquisa mostra que semente de gergelim pode salvar a sua vida.

Segundo estudo ela é capaz de reduzir os marcadores sanguíneos de risco de doença cardiovascular em 39% em apenas seis semanas.

Comer um pouco de pasta de gergelim (tahine) por dia tem grande impacto sobre os fatores de risco para as doenças cardíacas.

Tahine é uma pasta feita com gergelim, rica em cálcio, proteínas e vitaminas.

Um alimento que em apenas 6 semanas reduz em 39% os fatores de risco para as doenças cardíacas não pode faltar em nossa alimentação diária Leia mais: o-alimento-cura

 

Comer Gergelim diminui o risco de doença cardíaca

Não há como negar que a doença cardíaca é uma grande preocupação no mundo moderno.

     É indiscutível que a sua chance de morrer de doença cardiovascular é maior do que de outras doenças. Mas a medicina moderna se fixa em suprimir os fatores de risco, tais como níveis altos do colesterol e de pressão arterial com drogas em vez de identificar e resolver as causas reais deste mal.

    Por que não usar soluções baseadas em alimentos que melhoram a pressão arterial que são de fácil acesso. É incrível pensar que uma intervenção tão simples como os alimentos que podem ter um efeito tão poderoso em reduzir um dos principais fatores de risco associados à morte prematura no mundo desenvolvido, a pressão alta.

Precisamos de alternativas baseadas também em alimentos que ajudam e o gergelim preto pode ser o candidato perfeito.

Apenas meia colher de chá de gergelim preto por dia.

   Um estudo publicado em 2011 no Journal Nutrition intitulado anti-hipertensivo e efeitos antioxidantes do gergelim preto na refeição em humanos pré-hipertensos, descobriu-se que em pessoas em fase de pré-hipertensão, dando-lhes 2,52 gramas de farinha de gergelim preto (que é menos de meia colher de chá) por dia durante 4 semanas resultou em reduções significativas da pressão sanguínea sistólica em comparação com o grupo placebo. Estes resultados sugerem o possível efeito anti-hipertensivo da farinha de gergelim preto em melhorar e diminuir o estresse oxidante. Estes dados mostraram esse efeito benéfico da farinha de gergelim preto pode ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares. OBS: moer em casa o gergelim.

    O gergelim preto, provavelmente possui muitos dos mesmos benefícios à saúde identificados no gergelim branco, que incluem cerca de 90 benefícios a saúde. A diferença é que a semente de gergelim preto contém a substância melanina conhecida como allomelanin que tem potente ação antioxidante e outras propriedades terapêuticas. Isso também pode explicar por que o gergelim preto foi é conhecido nos tempos antigos dentro da tradição islâmica como o "remédio para tudo”. Leia mais: o-alimento-cura

 

Especiarias dilata artérias e impede danos ao coração

     Você sabia que uma única porção da culinária de especiarias em forma de caril pode dilatar as artérias, impedindo os danos cardiovasculares associados à ingestão de alimentos não saudáveis?

Enquanto as especiarias são consideradas agentes culinários para a melhoria estética do prato ou o sabor dos alimentos, elas também são medicinais, e em certos aspectos pode realmente diminuir os danos de coisas que gostamos de comer que pode não ser tão bom para nós como seus gostos e texturas agradáveis ​​nos fazem crer.

Um estudo recente publicado no Nutrition Journal, mostrou que uma única porção de caril melhorou a função endotelial pós-prandial em indivíduos saudáveis ​​do sexo masculino como mostrado em um ensaio clinico controlado. Além disso, revelou que certas receitas culinárias, às vezes, passadas por inúmeras gerações pode ter valor indispensável para a nossa saúde.

Os pesquisadores concluíram que caril impediu os efeitos negativos da refeição que geralmente ocorrem em pós-refeição na função endotelial ao impedir que o revestimento interno dos vasos sanguíneos (endotélio) se contraia e iniba o fluxo normal de sangue por todo o sistema cardiovascular. Eles supuseram que a atividade antioxidante das especiarias provavelmente são responsáveis ​​pelos resultados positivos observados, possivelmente por evitar o aumento do açúcar no sangue e / ou estresse oxidativo.

A razão pela qual esta descoberta é altamente relevante para as preocupações sobre a função cardiovascular é porque aterosclerose - o chamado "endurecimento das artérias" - leva décadas para desenvolver dentro do sistema, muitas vezes completamente sem sintomas, e uma das características predisponentes deste processo patológico é a disfunção endotelial, muitas vezes começando com a incapacidade dos vasos sanguíneos de relaxar completamente.

Existe uma lista de abordagens nutricionais para manter suas artérias saudáveis.

Bom seria se as pessoas cuidassem do revestimento endotelial antes que progrida uma aterosclerose? Adicionar os temperos certos nas refeições pode ajudar a neutralizar a cardiotoxicidade altamente letal que esta embutida na refeição ocidental padrão.

Considere que a qualidade das especiarias e a forma que você as consomem pode fazer toda a diferença para a sua saúde. leia mais em

o-alimento-cura-

 

 

leia mais em

o-alimento-cura

comer-para-viver 

mal-comidos

leia tambem


O livro Salvando Seu Coração do médico cardiologista Dr. Dean Ornish

Nós podemos ganhar a guerra contra as doenças cardíacas, fazendo algumas mudanças abrangentes e profundas no nosso hábito alimentar e no estilo de vida. Seguindo as recomendações de um bom Programa de Vida Saudável, todos podem melhorar a sua saúde cardíaca, segundo os Médicos Cardiologistas Dean Ornish e Caldwell Esselstyn.

 

 

Reverter a calcificação
      O objetivo do tratamento principal é a redução do índice de cálcio na Artéria Coronária, e, por inferência, a redução no volume da placa e na redução da mortalidade cardiovascular por essa causa. Para isso tem que se fazer modificação da alimentação e suplementar com os nutrientes e fitonutrientes que vão ajudar nesse processo.

 

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade