“A vida começa aos 40”

 

Ah, que maravilha, cheguei aos 40 anos e agora começa a melhor época da minha vida!.
 
   Não paro de ouvir e de ler que “a vida começa aos 40”. Aos 40, percebemos que começamos a envelhecer. Não acho que devemos negar isso, mesmo porque não adianta. A maior parte do que tentam nos vender nessa faixa etária onde “a vida começa” é justamente para o rejuvenescimento.
 
  Temos que aceitar que envelhecemos, mas devemos descobrir e buscar formas de  amenizar e frear os danos que já começam aos 40 anos. Podemos fazer muito para realmente deixar a vida começar aos 40.
 
   Para as mulheres é de certo modo mais difícil porque a exigência de que pareçamos jovens é maior. E para “manter” a jovialidade muitas se entregam aos bisturis para adiar o inevitável, nem sempre com resultados satisfatórios. Sem falar nas injeções na testa (botox). Em primeiro lugar esqueçam as promessas de juventude eterna com substâncias especiais (hormônios, pílulas disso e daquilo, cremes com ouro e outras como dietas rejuvenescedoras etc.) que melhoram apenas as contas dos doutores do rejuvenescimento e das empresas que vendem produtos para rejuvenescer.

 

Não, a vida não começa aos 40

 

Entendo que a frase é simpática. E bem intencionada, mas a vida não começa aos 40.
    A resposta está no início do processo de diminuição natural de algumas reações bioquímicas, que determinam progressiva lentidão no funcionamento metabólico do organismo. Certas doenças crônicas, como as cardiovasculares tem o seu aparecimento clínico em geral ao redor da faixa etária dos 40 anos.
Nesta idade, o corpo começa a dar sinais sutis de que os tempos áureos não são os mesmos. Por conta disso aos 40 anos, temos de nos preocupar muito mais com a saúde. 

 

    Muitas mudanças da pele e no corpo podem não ser resultado do envelhecimento por si só. Assim sendo, seria conveniente dizer que as mudanças observadas nessa fase são associadas ao envelhecimento em vez de causadas pelo envelhecer..

 

   Essas Filosofias baratas é uma maneira, talvez, de atenuar as coisas e não levar tudo a sério ou a ferro e fogo. Mas não adianta filosofar e tentar atenuar, temos que levar a sério, pois é exatamente aos 40 anos que muitas mudanças fisícas acontecem.
   É "'inevitável'' irmos perdendo algumas capacidades à medida que os anos passam. Vamo-nos dando conta disso em pequenas coisas, sobretudo quando nos aproximamos dos 40 anos.
  Nos 40 anos, mesmo que uma mulher seja saudável, ela tem que lidar com problemas de saúde aqui, ali e depois acolá. Tem de lidar com a perda progressiva da juventude. Tem de lidar com declínio físico e perdas inescapáveis. Tem de lidar com as letras que vão diminuindo de tamanho bem diante dos seus olhos. A pele e o corpo, cedo ou tarde, vão mostrar sinais de desgaste, por mais que se cuide.
 

 

   A percepção de que o corpo já não tem o mesmo vigor da juventude assusta.

    Nessa fase, é comum haver um discreto aumento nos problemas de saúde, bem como mudanças no que diz respeito ao desejo e ao desempenho sexual, aspectos que mexem diretamente com a autoestima, especialmente a masculina.

 

 Como o tempo passou!

Você tenta não pensar no assunto, mas está lá, na sua carteira de identidade.

   Ninguém admite que é por volta dos 40 que o fôlego para realizar algumas atividades diminui; a recuperação de uma noite de festa leva mais tempo; a disposição para o sexo não é mais a mesma e os cabelos começam a pratear. Certas doenças crônicas, como as cardiovasculares tem o seu aparecimento clínico em geral ao redor dessa faixa etária dos 40 anos.

 

Ao pensar nisso, fiz uma ronda pelos problemas aos quais estaremos mais susceptíveis, que nos afetaram nas várias etapas da vida.

 

Rugas - Infelizmente elas também começam aos quarenta anos.  Flacidez da pele aumenta a partir dos quarenta.

Bolsas embaixo dos olhos e olheiras - Aos quarenta, o aparecimento de bolsas e olheiras são mais frequentes.

Manchas, verrugas e marcas atróficas - Essas imperfeições começam a dar o ar da graça aos quarenta.

Cabelos branqueiam - O cabelo branco pode ocorrer até em pessoas de pouca idade, mas com o envelhecimento, além do branqueamento os cabelos diminuem, em número e volume e geralmente começam a cair.

Pernas – Nos quarenta já começam as varizes e varicoses. Também nessa fase os pés estão propensos a desenvolver calosidades, ressecamento e rachaduras.

 

Bolsas embaixo dos olhos e olheiras

   A região dos olhos sofre muito com a desidratação e a fragilidade dos capilares, isto é, pequenos vasos que irrigam a região dos olhos.

 Os problemas estéticos dessa região são: aparecimento de bolsas e olheiras. Além disso, a área dos olhos revela muito dos nossos hábitos, piorando em noites mal dormidas, ingestão de bebidas alcoólicas com frequência ou o hábito de fumar.

   Longos períodos de estresse retardam o processo de renovação da pele, destroem as fibras de colágeno e provocam a perda da elasticidade e viço. Hoje em dia, quem tem bolsas embaixo dos olhos, pode contar com recursos não invasivos.

     Há fitossubstancias para esse tipo de edema que ao serem aplicados antes de dormir, eliminam a inflamação dos tecidos e reduzem a ocorrência futura de bolsas nos olhos. Já existem cosméticos com ativos vegetais que descongestionam, melhoram a circulação ao redor dos olhos, diminuem o edema, suavizando olheiras e bolsas.

    Os cremes mais indicados contêm em suas formulações componentes que melhoram a tonicidade capilar dessa região, prevenindo, atenuando, ou até eliminando as bolsas e as olheiras, se em estágios não muito avançados. Manter essa região hidratada evita a progressão desses problemas, considerados estéticos.

 

Cicatrizes e manchas

    Os corretivos ganharam espaço para disfarçar olheiras, manchas, espinhas, vasinhos capilares e outras imperfeições. Hoje, com as imagens de alta definição podemos perceber no rosto dos apresentadores e atores de TV como eles estão tendo que usar maquiagens e corretivos bem pesados para disfarçar as imperfeições.

    A maioria destas imperfeições pode ser tratada com as plantas, que são capazes de eliminar espinhas, verrugas, marcas e manchas, diminuir bolsas debaixo dos olhos, olheiras, etc. Além de amenizar e até eliminar algumas marcas e manchas.

 

Aos 40 anos

     Os olhos dão sinais de cansaço, a massa muscular começa a diminui e as nossas defesas enfraquecem.

 Presbiopia - A chamada 'vista cansada' começa a partir dos 40 anos. Dá dor de cabeça e dificuldade em ver ao perto, porque o cristalino fica menos elástico com a idade e os músculos oculares perdem flexibilidade.

   A solução - Não existe uma cirurgia que a corrija de forma permanente. As intervenções (presbylasik e introdução de lente intraocular) ainda não dão garantias.

   Uma alimentação rica em alguns nutrientes colaboram para retardar.  Suplementos compostos de algumas fitossubstâncias promovem benefícios.

 

 As urgências urinárias.

A bexiga desce porque não encontra resistência do assoalho pélvico, que é o conjunto de músculos que sustenta a bexiga, útero e todos os órgãos pélvicos. Acontece em vários graus, e em algumas mulheres, chega a se exteriorizar pela vagina. São frequentes  a partir dos 40 anos devido aos chamado prolapso urogenital, que consiste no descaimento da bexiga ou do útero devido a flácidez que é a perda de capacidade de suporte dos tecidos pélvicos. A falta de nutriente também contribui segundo um estudo da  universidade de Viena, a falta no corpo causa o relaxamento da musculatura da bexiga.

A solução - Alimente-se bem e tome suplementos para estimular o funcionamento a musculatura da região.

Fazer exercícios para fortalecer esta musculatura pélvica. Veja no link  exercícios pélvicos

 

Osteoporose

    Há perda de densidade óssea que muitas vezes acontece de forma invisível e só é detectada quando há alguma fratura. O sexo feminino é o mais afetado, sobretudo devido à "deficiência hormonal pós-menopausa". É aconselhável a realização de uma densitometria óssea periódica, para detctar ou não a perda de densidade dos ossos.

A solução - Fazer exercício fisíco, apanhar sol e ingirir alimentos ricos em cálcio, magnésio, vitamina  D e  suplemento ........... 

 

Doenças cardiovasculares e os acidentes vasculares cerebrais

     As doenças cardiovasculares e os acidentes vasculares cerebrais (AVC), enfartes do miocárdio e derrames são a principal causa de morte nos países ocidentais e estão ligadas ao estilo de vida e à alimentação. A acumulação de gorduras na parede dos vasos sanguíneos, aterosclerose, evolui silenciosamente e pode causar danos fatais. Colesterol alto, hipertensão, obesidade, sedentarismo, diabetes e tabaco são os principais fatores de risco.

A solução

   Tornar-se adepta de alimentos saudáveis e passar a comer peixes ricos em ômega3 e a usar o azeite de oliva, que são gorduras saudáveis, e evitar as carnes vermelhas, manteigas e margarinas. Comer legumes e frutas em todas as refeições. Farinha de linhaça, nutriente funcionais e alguns chás medicinais colaboram para a prevenção. E nunca, nunca se esquecer de fazer uma atividade física. Não ceder à tentação de ter  uma vida sedentária. Mexer-se.

 

A partir dos 40 anos a memória e o raciocínio se arruínam

    A memória e o raciocínio começam a enfraquecer a partir dos 40 anos de idade, antes do que era estimado até agora, segundo um estudo publicado pela revista médica britânica "British Medical Journey" (BMJ).  Até o momento, a diminuição das faculdades mentais se situava somente a partir dos 60 anos de idade. No entanto, a nova pesquisa divulgada pela BMJ evidência que essa deterioração começa a se desenvolver muito antes.

 

A prevenção e um estilo de vida saudável são os melhores passaportes para uma boa saúde em qualquer idade.

   Embora não se tem uma fórmula infalível para evitar essas degenerações, sabemos que mudanças simples de hábitos - adotar uma dieta saudável, não fumar, manter o colesterol e a pressão do sangue sob controle - reduzem e até podem retardar algumas degenerações.

Podemos reforçar as medidas preventivas que passa por hábitos saudáveis e o uso de suplementos ricos em fitossubstâncias que contribuem.

 

Cheguei aos 40 anos e agora?

É o começo da descida da ladeira e o truque não é a negação.

     E, já que se pode viver mais, é preciso também prolongar a vitalidade e a saúde dos órgãos. O caminho para isso é encontrar algo que permita às pessoas não só desacelerar, mas alongar sua vida profissional, com melhor qualidade de vida.

Nesse espaço, sem ignorar a Biologia, vamos abordar coisas que podem nos ajudar a frear a descida da ladeira.

    Nunca é demais repetir: a biologia é biologia, é o que as ferramentas da medicina estética, do envelhecimento e da cosmetologia moderna parecem ignorar, esquecendo o papel da saúde global da pele e dos órgãos que precisa ser considerado.

Eles tem centralizados seus procedimentos nas altas tecnologias e menosprezado recursos que realmente oferecem resultados.

Aguardem!

 

 

Aguardem!

Estamos apenas começando este tópico que promete mostrar que podemos fazer muito para realmente deixar a vida começar aos 40.

 

Leia também em paredeenvelhecer

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade