Criar o hábito de tomar chás todos os dias traz benefícios impressionantes para saúde

 

 

 

 

 

Você sabe preparar chás medicinais?

 Muita gente desperdiça as propriedades terapêuticas da planta por não saber o modo correto de preparar um chá.

 

 

 

 

 

 

    Há um grande número de chás, mas as receitas mais fáceis e mais eficazes nem sempre são conhecidas no momento certo, para a condição certa. 
    O uso de plantas medicinais, quando feito da maneira correta, também garante menor uso de remédios alopáticos e menos tempo de sofrimento as pessoas. 
   Falamos da importância do uso correto, das contra indicações e danos que podem ser provocados pelo uso indiscriminado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

      Os chás, embora não sejam medicamentos, têm propriedades medicinais que lhes conferem ação na melhora ou mesmo na cura de algumas doenças, podendo, assim, resolver vários problemas de saúde.

 

 

     Por meio dos chás podemos repor substâncias e até fitonutrientes que participam de reações químicas do organismo. Os chás também ajudam o organismo a funcionar melhor, já que repõem substâncias que não são ingeridas por meio da alimentação.

 

    O modo de elaborar um chá teve início a partir das orientações empíricas, por isso ainda conta com muitos erros inclusive o de que o chá age lentamente.  Ao contrário. O chá, se bem elaborado, tem ação rápida e, algumas vezes, até imediata, contrariando essa ideia de que age lentamente.

 

    Para aproveitar as vantagens terapêuticas que eles fornecem, no entanto, é preciso saber a forma correta de preparo. Existem várias formas de prepará-los para se conseguir as substâncias desejáveis para obtenção do alívio ou cura de doenças. A mais comum é, sem dúvida, a infusão e a decocção.

 

Para que a pessoa usufrua das substâncias funcionais presentes nos chás, eles devem ser elaborados da forma certa.

   A escolha do chá e a elaboração correta são fatores muito importantes para alcançar os resultados desejados.

  Na preparação, deve-se ter o cuidado de observar a dosagem das partes vegetais e sua forma de preparo e de uso, pois as intoxicações sempre ocorrem em virtude de quantidades excessivas de ervas, do preparo errôneo e do uso inadequado.

 

       Vale salientar, que muita coisa que se fala e se distorce sobre ervas medicinais, tem a ver com as informações erradas que são ensinadas nos próprios cursos de fitoterapia, inclusive os oferecidos pelas faculdades e universidades, que para ministrar fitoterapia contrataram professores de farmácias para ensinar algo que eles não conhecem profundamente. 

 

Um aspecto importante é o conhecimento de como extrair do chá (erva) o seu princípio ativo.

   Ainda hoje, propagam-se informações incorretas, por exemplo, que as folhas e flores não podem ser fervidas ou que cascas e raízes tem de ser.

Isso não é regra.

    Há plantas que, independentemente de se usar folha ou flor, precisam ser fervidas para liberar o seu princípio ativo, bem como há cascas e raízes que liberam suas substâncias apenas sorvendo água quente sobre elas. A Flor da Camomila, por exemplo, precisa para liberar o Azuleno (um dos seus principios ativos) de um tempo de fervura. Esse é um dos exemplos, e faz cair por terra a informação errada de que as flores não podem ser fervidas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deu água na boca e uma vontade de tomar um chá?

Pois é preparar um chá pode não ser uma tarefa das mais simples, mas você pode fazer o chá, colocar em formas de gelo, assim terá o chá sempre à mão, basta colocar o gelo em um pouco de água e tomar.

Obs: deve-se fazer o chá mais concentrado para fazer gelo, isso porque o gelo vai ser diluído em água.

 

Em dias de calor uma chá geladinho.

Não é todos os dias que temos tempo de preparar um chá. Tomar um chá geladinho еm dias de muito calor é muito bom.

Para você que busca praticidade. Aposte nоs cubos de gelo feitos de chás. Podemos acrescentar os cubos de chá à água normal ou água com gás. Como fazer cubos de gelo com chás para facilitar no dia a dia.  

É simples, basta fazer o chá. Deixar esfriar, colocar nas formas de fazer gelo e levar ao congelador.

Gelo de chá de Gengibre

Veja mais opções em cubo-de-gelo-de-chas-e-frutas

 

Os cubos de gelos feitos de sumo ou poupa de frutas podem ser usados para dar sabor aos chás.

 

 

Chá de Calêndula

Nesse chá é preciso retirar apenas as petálas, como mostrado na foto para fazer o chá.

 

 

 

 

 

     Lembram daquela brincadeira de cochichar no ouvido, onde é falado para uma primeira pessoa um determinado assunto, para que esta repasse para a seguinte e assim sucessivamente, e, quando esta informação chega a última pessoa, já não tem nada a ver com o assunto inicial?

O mesmo aconteceu com as ervas, as receitas sofreram várias alterações nesse boca a boca.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     As ervas são superpotentes, o que as tornam muito eficazes no tratamento de doenças, mas precisam ser usadas com cuidado e conhecimento, pois podem ser prejudiciais porque também existem efeitos colaterais e contraindicações.

 

O chá moderno

         Os chás solúveis, pela praticidade do uso, conta com a adesão das pessoas que acreditam que essa modalidade oferece os mesmos benefícios do chá tradicional. Porém as substâncias da maioria dos chás nessa forma, não são liberadas. Na forma tradicional embora, mais trabalhoso, o efeito é melhor e mais agradável.

 

 

Infusão ou tisana


Consiste em despejar água fervida sobre a planta e depois abafar por quinze minutos ou até esfriar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Decocção ou Cocção:


   Consiste em cozinhar a planta. Este processo é mais usado para raízes, rizomas, caules e cascas; mas algumas espécies de plantas, dependendo da substância a ser extraída, como os taninos, até mesmo as folhas ou flores precisam ser fervidas, podendo variar de 3 a 12 minutos, sempre com recipiente tampado para evitar a evaporação das substâncias. Após a fervura, deixa-se repousar por dez minutos, com o recipiente tampado. Em seguida, coar.

 

Além de não ter consciência dos perigos, a população também não sabe como tirar o melhor proveito dos princípios ativos das plantas.

De um modo geral, a maioria das plantas, se utilizadas corretamente, não apresenta qualquer problema de reação adversa, desde que tomadas nas doses aconselhadas.

 

Dosagem:


    Pode-se tomar em média de duas a três xícaras ao dia; crianças até 12 anos, toma -se sempre a metade da dose. É necessário ter cuidado com as medidas, uma vez que mesmo as plantas benéficas podem ter efeitos colaterais ou reações adversas, quando tomadas em excesso. A experiência demonstra que as doses altas não são mais eficientes do que as doses mínimas.
Deve-se considerar a importância da afecção (crônica ou grave), podendo a dose ser mínima ou máxima.

 

  A receptividade ao chá ou fitoterápico pode variar de um indivíduo para outro; por isso o profissional especializado auxilia a regular e ajustar a dose.
  Embora dependamos do histórico clínico, da gravidade de cada caso, devemos ter a definição pelo menos da dosagem média; pois, quando se ultrapassa a dose, pode-se induzir a efeitos iatrogênicos, ou a reações não desejadas.

  Lembremos sempre a célebre frase de Hipócrates Primum non nocere - em primeiro lugar não deve prejudicar.

 

As ervas não estão isentas de risco.

O que pouco se discute, no entanto, são os riscos da ingestão excessiva das infusões preparadas com ervas, que podem ir de uma dor de cabeça a danos em órgãos vitais.

 

Quantidade de ervas

A quantidade de chá varia conforme a erva. No entanto, essa quantidade é, em média, de dez gramas para erva verde ou cinco gramas para erva seca, para três xícaras de água.

   Nos livros escritos por leigos e ou pseudos entendedores de ervas; cada autor coloca dosagens absurdas, que têm variado de 20, 30, 40 até 50 gramas, enquanto a dose média é de 3 a 10 gramas para ervas secas.
Há plantas que possuem princípios ativos tão severos que suas dosagens devem ser precisas.

 O fato das ervas serem naturais não elimina a necessidade de seu consumo com responsabilidade.
  Uma certa vez, vi num programa de tevê um profissional que dizia ser "entendido" em fitoterapia, ensinando uma receita com 50 gramas do guaraná em pó para 1 litro de água. Isto é um absurdo.

 

 

Observe a tabela de equivalências:


uma colher de café = 2 g -
uma colher de sopa = 5g.
uma xícara de café = 50 ml -
uma xícara de chá = 100 ml.

Em média, a proporção de erva para cada litro de água são quatro colheres de sopa de erva fresca ou duas colheres de sopa de erva seca.. Procure moer a planta para facilitar a medida.

 

 


Validade do chá


Em média, se bem tampado e guardado em geladeira, o chá dura até 10 horas depois do preparo; mas o ideal é preparar a quantidade suficiente para o dia.

 

 

Quantos chás podem ser tomados no mesmo dia?


Pode-se tomar vários. Para isso reduz-se a quantidade de xícaras de cada chá, que poderá ser uma ou duas xícaras de cada chá.
 

 

Quantas ervas podem misturar num chá?

Dependendo da erva até quatro. Dependendo da erva somente uma. O ideal é fazer cada chá em separado. Depois de esfriar, pode-se misturá-los.

 

Adoçar ?


Os chás geralmente não precisam ser adoçados.
Em alguns casos, pode-se usar o mel, aproveitando também suas propriedades; ex: gripes e tosses.
A adição de mel no chá e no xarope só deve ser feita depois de morno ou frio.

 

Natural não significa benigno.

Dizer também que são excelentes para a saúde porque são produtos naturais é um risco: há muitas coisas na natureza que pode matar. O fato de serem naturais não elimina a necessidade de se ter cautela em seus usos.

Da mesma forma, dizer que uma prática é segura e eficaz porque é milenar nem sempre é correto.

 

    Porém, é preciso se lembrar de que tudo aquilo que é ingerido é assimilado pelo organismo, principalmente os chás, pois suas substâncias vão atuar e repercutir no organismo como um todo, afetando um órgão de forma benéfica ou não.

 

Chá no saquinho

 

Compra-se o hibisco inteiro, retira as partes que estão estragadas e depois moe no liguidificador para trnsformar em pó.

 

   As misturas de plantas no chá ou num produto devem se restringir a um número reduzido de espécies de indicações e uso semelhantes ou com propriedades sinérgicas. Deve-se evitar uso de composições que contenham muitas plantas, isso em virtude das interações entre seus constituintes químicos.

 

 

       Os nomes das plantas mudam de região para região, de local para local por,  exemplo: o que algumas pessoas de outros estados do Brasil chamam de erva cidreira é o capim santo em outros. Uma mesma planta pode ter vários nomes populares, por isso muito cuidado e nunca use uma planta orientando-se unicamente pelo nome popular.

Melissa officinalis

 

Lippia Alba chamada de erva cidreira

São plantas com caracteristicas, aromas e ação terapêuticas completamente diferente.

 

Qualidade

 

     A qualidade deve ser uma preocupação constante dos consumidores, das empresas que comercializam e dos produtores que produzem erva medicinal, condimentares, plantas alimentícias e produtos naturais em geral, selecionando apenas produtos que obedecem aos critérios e normas de boas práticas de plantio ou de fabricação sendo sempre sujeitos á controle de qualidade.
    O consumidor precisa estabelecer critérios ao comprar ervas, o correto é certificar se que a empresa faz controle de qualidade da matéria-prima.
É indispensável um rigoroso controle da origem de plantas medicinais utilizadas.
Geralmente não se sabe de onde vem as ervas que está no mercado, á única garantia possível de qualidade será com a identificação da espécie vegetal e da sua origem.
Deixo algumas fotos abaixo mostrando os diferenças na qualidade.

 

Não existe a canela na forma apresentada na foto. Compre em paus e quebre-a com um martelinho. A canela moída contem muitas misturas.....

 

Não compre a noz moscada moida. Infelizmente, a noz também caruncha e é moida junto com as nozes boas.

 

Moer o cravo em casa, pois o cravo moido do comércio não é puro e tem impurezas, inclusive pedras.

 

Quanto ao guaraná em pó, peço que observem a diferença de um guaraná moido em casa e o guaraná em pó, comprado no comércio.

Infelizmente, como sempre no Brasil falta qualidade na maioria dos produtos naturais. Ocorre que o guaraná também caruncha e mofa os grãos.

Este da direita foi comprado no comércio de ervas, contem grãos mofados e carunchados, foi moído com a casca.

O da esquerda, selecionamos apenas os grãos saudáveis, retiramos a casca e foi moído em casa.

Sugestão compre o guaraná em grãos selecione os bons e moa no liquidificador. Dá trabalho, mas o resultado compensa.

 

Este pó de Cúrcuma é misturada com amido de milho e outras coisitas mais. É vendida em lojas de produtos naturais e no supermercado como condimento.

 

Está é a Cúrcuma pura, que é colhida á partir do segundo ano de plantio por ter uma concentração maior da Curcumina que é a substância que tem potencial medicinal. Reparem que a sua cor é bem alaranjada forte. Elaborada dentro dos padrões de higiene e limpeza, portanto, com alto grau de pureza.

 

Por conta da quantidade de impurezas, o gengibre é uma das plantas que eu não compro em pó

 

  
O consumidor brasileiro deve tomar cuidado e tentar comprar ervas ou fitoterápicos apenas de produtores confiáveis. Mesmo assim, há risco.
      Devido ao “desconhecimento” das condições corretas de conservação, armazenamento e transporte dos insumos de origem vegetal, as ervas medicinais também apresentam elevado risco de contaminação microbiológica.
Em analises realizadas em alguns revendedores foi encontrado fungos, insetos, terra e pedras, etc, as bactérias mais encontradas foram: Staphylococcus aureus, Salmonella spp, Escherichia coli e outras enterobactérias. Um dos grandes problemas no mercado de produtos naturais e fitoterápicos no Brasil está relacionado ao controle de qualidade.
    Fraudes e adulterações são muito comuns e ocorrem por diversos fatores tais como a falta de conhecimento dos produtores e distribuidores e a fiscalização ineficiente.
 

 

      Na escolha de produtos naturais, de um chá ou fitoterápico é importante alguns cuidados.

   É necessário aprender a identificar uma planta medicinal, pois nem sempre é possível contar com a ajuda de uma pessoa mais experiente. O mercado de fitoterápicos e de ervas brasileiro é enganoso, a começar pelos extratores, e revendedores a maioria não são confiáveis. Muitas pessoas que vendem plantas medicinais não as - conhecem e, às vezes, por engano ou má fé, vendem a planta errada.

 

Venda Livre
     Uma vez que as plantas medicinais são classificadas como produtos naturais, a lei permite que sejam comercializadas livremente, persistindo muitos erros, como: falta de registro; medicamentos apenas com protocolos ou com citação de artigos de leis federais que não estão mais em vigor; falta de qualidade; venda de espécies cujos efeitos foram negativos em estudos científicos; oferta de “compostos” com muitos elementos; medicamentos “camuflados” como alimentos; produtos citados como “isentos de registro”; produtos mal acondicionados, etc. São muitas irregularidades.           
    Diante dessa situação, é necessário fiscalização e campanhas com publicações de informativos sobre as normas dos chás e fitoterápicos, pois a população informada vai fiscalizar.

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade