Funções biológicas da Luteína

       A Luteína tem duas funções importantes no corpo humano. Primeiro, é um filtro natural de luz azul. Ela protege os olhos e a pele de danos decorrentes no cotidiano devido à exposição à luz do dia e iluminação artificial em casa, na escola, no trabalho e em outros lugares. Em segundo lugar, a Luteína é um antioxidante. Ela fornece proteção contra danos oxidativo de “radicais livres” produzidos por luz ultravioleta, fumaça de cigarro, poluição, e subprodutos naturais de todo metabolismo de célula no corpo humano. Os olhos são particularmente vulneráveis, pois a lente e a retina não sofrem renovação biológica.

      A luteína é um potenciador da saúde ocular usada em suplementos alimentares e alimentos funcionais. Os estudos clínicos em pacientes com essas doenças oculares sugerem que os suplementos de Luteína podem aperfeiçoar o estado de Luteína no olho e ajudar a melhorar a visão. Como todos os carotenóides, a luteína não é produzida pelo corpo humano.

     Ela precisa ser ingerida com a dieta ou na forma de suplementos alimentares para apoio à saúde. Suplementos de Luteína são uma adição útil para a alimentação e podem proporcionar benefícios significativos para a saúde.

 

 

Luteína

        Os estudiosos dos benefícios dos carotenóides à saúde,afirmam que os principais benefícios associados à luteína, além das evidências na redução do risco de desenvolvimento da Degeneração macular, destacam-se os efeitos benéficos na proteção contra a aterosclerose, a catarata, o câncer e outras doenças.

       Segundo Dagnelie et al.,20 este pigmento protege os fotoreceptores foveal ao filtrar a luz azul prejudicial à mácula, reduzindo em 40% a incidência da luz danosa à retina. A perda da sensibilidade visual, ocorrida em pessoas com idade avançada e baixa densidade do pigmento macular nos tecidos oculares, pode ser a precursora de algumas doenças dos olhos, incluindo a degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

 

A Luteína e sua importância para saúde dos olhos

 

No centro da retina, região de elevada acuidade visual, é possível a visualização de uma mancha amarela chamada mácula, pigmento da retina responsável pela visão nítida das imagens. Essa cor amarela explica-se pela presença de luteína e zeaxantina, os dois únicos carotenóides presentes no olho, em quantidade muito maior do que em qualquer tecido humano.

 Cientistas acreditam que o pigmento da mácula protege a retina. A densidade do pigmento na mácula tem sido usada como parâmetro para uma vida saudável.

 

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é uma doença ocular grave capaz de causar cegueira nas pessoas com mais de 65 anos.

Esta doença afeta cerca de 30 milhões de pessoas no mundo todo. É responsável por 50% dos casos de cegueira no Reino Unido e é a maior causa de cegueira a partir dos 50 anos nos Estados Unidos. 45 Segundo Schalch, 52 estima-se que no Brasil exista cerca de 1 milhão de casos de DMRI.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia estima que aproximadamente 2,9 milhões de brasileiros, com mais de 65 anos, apresentam casos de degeneração macular.

 

Ao tomar conhecimento da importância da luteína na defesa do organismo contra doenças degenerativas e da sua capacidade protetora devemos aumentar o seu consumo por meio dos alimentos e dos chás que á contem em sua composição.

        Um exemplo da importância da Luteína e dos carotenóides para a nossa saúde, mostra que em alguns países já estão enriquecendo a alimentação das galinhas com plantas ricas nessas substâncias,para que o ovo produzidos por elas venha com concentrações delas. A indútria farmacêutica também tem incluido nas formulações dos seus suplementos vitaminícos essas substâncias.

 

Alimentos e ervas ricos em Luteína

As melhores fontes naturais de luteína são vegetais verdes e folhosos, como couve, espinafre, chicória, aipo, e alface. Outras importantes fontes na alimentação de luteína são legumes verdes, tubérculos vermelho-alaranjado, ervas frescas e gema de ovo.

A flores de Calêndula, de Capuchinha e de Tagete são as plantas que mais contem Luteína

A alimentação ocidental habitual supre cerca de 4mg de luteína + zeaxantina por dia na proporção de 7:1. A baixa ingestão de luteína é bastante comum na população em geral. O consumo alimentar varia muito de uma pessoa para outra, dependendo se elas estão recebendo alimentos ricos em luteína suficientes.

Nem todas as frutas e vegetais ricos em carotenóides suprem o corpo humano com luteína. Se alimentos ricos em luteína não são uma parte regular na sua alimentação diária, você pode não estar recebendo a quantia suficiente de luteína para manter uma densidade do pigmento macular saudável em seu olho. Isso o coloca em um risco mais elevado de doença ocular.

Suplementos de luteína podem ajudar a manter a sua densidade do pigmento ocular e reduzir riscos de doença ocular.

 

Ovo caipira tem grandes concentrações de Luteína

 

 

 

A luteína é um realçador ideal da saúde da pele.  Ela absorve a luz azul prejudicial que penetra  profundamente  na  pele,  ajudando a prevenir danos aos tecidos e apoiar o próprio sistema de proteção da pele. Como outros carotenóides antioxidantes e vitaminas, a luteína também diminui o dano oxidativo causado pela radiação ultravioleta nas camadas superiores da pele.

Suplementos de luteína melhoram a saúde da pele em locais que aplicações tópicas não podem alcançar.

Concentrações de luteína na pele podem ser úteis na manutenção de sua função, dando uma aparência saudável e prevenindo o envelhecimento prematuro da mesma.

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade