Colágeno previne rugas a flacidez e a perda de cartilagens
 
O colágeno imprescindível no tratamento da artrose.
 
   O colágeno é hoje um dos mais valiosos recursos oferecidos pela natureza. Sua utilização é cada vez mais popular entre os povos de todo o mundo. Durante anos, ele foi associado a dietas e agora revoluciona o campo da estética e da saúde, sendo uma fonte para a jovialidade, pois traz benefícios reais à saúde da pele e ao organismo como um todo. Por ser considerado responsável também pela saúde das cartilagens e articulações, é um suplemento que tem chamado atenção, sendo tema de vários trabalhos científicos. Tornou-se o mais potente recurso para, entre outros benefícios, suprir de elasticidade e firmeza os músculos e a pele.

 

     Estudos mostram que, por volta dos 25 anos, o organismo começa a diminuir a produção de colágeno, em contraposição à necessidade constante desse elemento, que, a partir dos 30 anos, sofre uma perda média de 1% ao ano e, aos 50 anos, passa a produzir apenas 35% do colágeno necessário para os órgãos de sustentação, mas a sua falta já se torna perceptível aos 40 anos.

      É nessa etapa da vida que começam a aparecer as rugas, pois a pele não tem mais a mesma elasticidade de antes e é nessa fase também que começa a fragilidade articular e óssea.

 

      O corpo é fabrica o seu próprio colágeno, mas, uma vez que a produção diminui com a idade, a oferta disponível de colágeno torna-se deficitária. Supõe-se que essa seja uma das principais causas do envelhecimento, uma vez que, com a diminuição do colágeno, os músculos ficam flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e ligamentos perdem sua elasticidade e força, e a cartilagem que envolve as articulações fica frágil. Há danos que não percebemos de imediato: as estruturas de sustentação dos tendões, ossos e cartilagens ficam fragilizadas porque dependem do colágeno. 

 

     Ele é um componente-chave da cartilagem, fornecendo-lhe força e, quando a sua produção no corpo reduz, ela é afetada, e assim são todos os sistemas orgânicos que contêm cartilagem, tornando-se visível o desgaste progressivo de várias partes do corpo.

Alguns órgãos podem sofrer deslocamento e apresentar mau funcionamento. Entre tantas funções, é compreensível que o envelhecimento também ocorra como consequência da queda da produção de colágeno.

 

      A sua deficiência também está associada à diminuição da espessura do fio capilar - o cabelo perde o viço com a desidratação - e à perda de elasticidade da pele, resultando em flacidez e no aparecimento de rugas e estrias. Um dos primeiros sinais visíveis, além das rugas, é o início de dores inexplicáveis nas articulações e o enrugamento prematuro das mãos que também é um sinal da deficiência de colágeno.

 

    Segundo um estudo da Universidade de Viena, a falta dessa substância no corpo também causa o endurecimento da bexiga, atrofia da vagina, problemas na próstata e diminuição da fixação de cálcio. A pele fica mais fraca, desidratada e sem elasticidade, culminando em flacidez e no aparecimento de estrias; o ganho de reserva lipídica é mais acentuado.

 

    Repomos o colágeno em nosso organismo por meio da alimentação.

Os alimentos de origem animal, tais como carnes, são a melhores fontes de colágeno. Entretanto, para adquirirmos a quantidade ideal que nosso organismo necessita, por meio da alimentação convencional seria impossível. Por meio da ingestão de suplementos alimentares desta natureza, o nosso organismo obtém de maneira significativa e eficaz os benefícios do colágeno.

 

O que é o colágeno?

     O colágeno é uma substância rica em proteínas fundamentais para nosso organismo. O corpo é dependente da sua capacidade de transformar um recurso num outro para reconstruir e reparar-se a si mesmo e a síntese proteica é um processo metabólico que requer colágeno como um catalisador.

 

       Sem uma boa oferta de colágeno, o corpo não pode se autorreparar, de forma que continua a decrescer.

No corpo humano, ele desempenha várias funções, como unir e fortalecer o tecido conectivo. O tecido conectivo é o que mantém as células juntas, umas das outras, para formar músculos, mucosas, tendões, ossos, pele, dentes, vasos sanguíneos e todas as estruturas do corpo formadas pelo colágeno. A integridade da parede dos vasos e de todos os tecidos formados por colágeno fica comprometida quando há deficiência.

 

      Ele contém, em sua composição, um mix de substâncias que está surpreendendo e mostrando resultados visíveis para fortalecer unhas, cabelos e pele, dando-lhes maior resistência, mais espessura, crescimento e brilho. O colágeno auxilia na calcificação, ossificação e nos processos de regeneração das cartilagens. O colágeno, na forma de precursor, tem sido a grande solução para ajudar na qualidade de vida para as mulheres no climatério, menopausa e pós-menopausa.

 

    As pesquisas mostram que o colágeno hidrolisado em pó contém uma série de fragmentos de proteínas que, quando ingeridos, são digeridos e absorvidos, fornecendo aminoácidos fundamentais para a manutenção de ossos e reconstituição ou regeneração de algumas articulações. Por estar presente nos ossos e nas articulações, ele é recomendado nos casos de artrose e osteoporose.

O colágeno é o aliado perfeito e indispensável do cálcio, pois ele também participa dos ossos e da fixação do cálcio, completando a atividade da vitamina D.

 

      O seu uso também é seguro nos indivíduos com articulações saudáveis, prevenindo o surgimento de lesões, como aquelas decorrentes da prática esportiva. A assimilação e a ação do colágeno ocorrem nos primeiros momentos da ingestão, pois ele é facilmente absorvido, caindo diretamente na corrente sanguínea, beneficiando todo o organismo e funcionando ainda como reserva orgânica no processo de regeneração e revitalização. A forma hidrolisada é resultante da quebra da proteína, o que torna os aminoácidos mais biodisponíveis, facilitando a absorção pelo organismo.

 

Quem pode tomar colágeno?

       Ele é recomendado para pessoas que desejam aumentar o consumo de proteínas e promover o aumento da produção de colágeno no corpo. Também é indicado para pessoas em processos de cicatrização e de recuperação de lesões, assim como em processo de emagrecimento. No processo de envelhecimento, o colágeno vai auxiliar a retardar o aparecimento de males como a artrose, a artrite e a osteoporose - enfermidades características da idade.

 

Qual é a idade ideal para iniciar o uso?

   É preciso repor substâncias cuja produção o organismo diminui ou deixa de produzir com o tempo. Especialistas acreditam que o consumo de um suplemento de colágeno é essencial depois dos cinquenta anos. Porém, por preparar o organismo para os impactos do tempo,os produtos com colágeno podem ser utilizados em qualquer faixa etária, pois, fisiologicamente, todos nós perdemos colágenos e a sua falta é a causa de muitas doenças. A ingestão por meio da alimentação nem sempre é suficiente, porque os nutrientes dos quais deveríamos receber colágeno, na maioria das vezes são jogados fora. Logo os efeitos negativos desse hábito alimentar deficiente deixam as suas marcas porque a alimentação atual, na maioria das vezes, não atende à demanda do organismo. Por esse motivo, ficamos expostos a muitas doenças que estão diretamente associados à alimentação. Com base nisso, podemos dizer que a suplementação de colágeno, dada a sua importância no organismo, seria ideal para resolver carência.

 

Quanto e quando tomar?

    A quantidade de colágeno varia de pessoa para pessoa, mas, em média, é de dez gramas. Devemos considerar a idade da pessoa, podendo a dose ser maior ou menor, se ela tiver uma alimentação deficiente em colágeno. Enquanto não houver nenhum estudo definitivo sobre qual é a melhor dosagem de colágeno, a quantidade geralmente sugerida é, em média, de dez gramas por dia, especialmente no intervalo das refeições. Quando é tomado nas doses aconselhadas, não apresenta problema de reação adversa e, de acordo com a Food and Drugs Administration (FDA), ele é considerado um alimento GRAS, ou seja, reconhecido e considerado como seguro à saúde humana.

 

É possível substituir o colágeno em pó por cápsulas?

    Sim. Ambos oferecem os mesmos benefícios. Porém, considerando que a dose média é de 10 gramas por dia, é preciso ingerir 20 cápsulas, já que cada uma delas contém apenas 500 miligramas. Se preferir na forma de pó, o custo será menor, sem contar que sua ação é mais rápida. Nesse caso, basta ingerir uma colher de sopa. O colágeno em pó, por ter um gosto muito forte, é difícil de ser tomado, mas já existem marcas com sabores.

 

Em qual suplemento de colágeno confiar?

   Diante da grande quantidade de produtos à base de colágeno no mercado, o consumidor deve escolher qualidade. A qualidade deve ser uma preocupação constante do consumidor e das empresas que comercializam produtos naturais em geral, selecionando apenas os produtos que obedecem aos critérios e às normas de boas práticas de fabricação da ANVISA, sendo sempre sujeitos a controle de qualidade.

Preço mais alto nem sempre é sinônimo de qualidade.

    Há centenas de produtos que dizem trazer essa substância, por isso é muito importante saber bem a origem dos produtos à base de colágeno. Combinações confusas e sem qualquer sentido, inclusive com ervas, são formuladas para criar um produto "único" ou de preço exorbitante.

 

     Algumas fórmulas concentram mais, outras até têm colágeno na composição, porém, em menor quantidade. Outras contêm tão pouco ingrediente ativo (colágeno) que são inúteis e ainda contam com rótulos enganadores, porque algumas empresas, num esforço para aumentar os lucros e manter os custos baixos, diluem os seus produtos com substâncias baratas e também adicionam ingredientes desnecessários, tais como leite em pó, pó de cálcareo, maltodextrina, celulose microcristalina, estearato de magnésio e outros.

 

   Um alerta: há várias ofertas de colágeno, mas devemos ter cuidado, pois mesmo as substâncias naturais devem ter a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

      É bom se lembrar de que há diferença entre o colágeno vendido em casas de produtos naturais e na internet. O risco de contaminação do colágeno fracionado nas lojas de produtos naturais é muito grande, por isso procure adquiri-lo acondicionado em potes fechados. Dessa forma, evita-se a contaminação microbiológica e o risco de o produto estragar também diminui. Sem contar que na maioria das marcas, contém o colágeno suíno misturado ao colágeno bovino.

 

    O consumidor exigente e informado sabe que, para obter resultados, é preciso haver na composição pelo menos uma concentração mínima de substâncias ativas e os produtos precisam ser realmente eficazes. As pessoas estão cansadas de pagar caro por produtos rotulados como naturais, mas que, na verdade, contêm poucos componentes realmente naturais, ou quando os têm, as concentrações são muito baixas. Tanto que se diz, que a melhora com o uso do colágeno é percebida após três meses. Se o colágeno for bovino e puro, usado na dosagem certa, a melhora é percebida em quinze dias.

 

Absorção do colágeno

   Para esclarecer o processo de absorção do colágeno, foram realizados dois estudos que o identificaram no tecido cartilaginoso e no sangue.

    Esses dois estudos mostraram que o colágeno em pó é totalmente absorvido logo após a sua ingestão e que ele não depende da vitamina C para ser absorvido. (OHARA et al., 2007; IWAI et al., 2005) no sangue (OESSER et al., 1999) a presença de peptídeos de colágeno no tecido cartilaginoso.

 

      A concentração de glicina e prolina no colágeno de boi é cerca de vinte vezes superior às encontradas nas demais proteínas.

No colágeno de outras origens ( suino, de rã, de peixe e de frango) ainda não se tem definição da quantia desses componentes.

A maioria dos colágenos comercializados no Brasil é uma mistura de bovino e de suíno.

 

 

Este  texto  sobre colágeno é uma parte do que falamos sobre ele e esta nas páginas do livro Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade.

 

    O colágeno, o ideal é que a versão em pó seja utilizada, já que as cápsulas não comportam a quantidade de colágeno recomendada por dia, isto é, 10 gramas

 

Se deseja uma orientação.

Veja no serviço de

consultoria

 

 

 Tenho um livro, com ensinamentos úteis para toda a vida e para toda a família.

   Neste livro consta alguns estudos que confirmam o uso tradicional de diversas substâncias naturais para fins medicinais e mostro que  podemos preservar a saúde e também prevenir doenças com o uso das ervas medicinais.

   Ganhe qualidade de vida ao aprender a se curar. As abordagens terapêuticas feitas com as ervas medicinais realizam curas e têm aliviado uma dor por mais intensa que seja (em poucos minutos), quando nem mesmo a mofina ou outros procedimentos ajudou.

 Informações inéditas e confiáveis sobre ervas medicinais que você não vai encontrar na internet, em nenhum outro livro. Veja mais em

meu-livro

 

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade