Os fitonutrientes são substâncias encontradas nas plantas alimentícias e nas ervas medicinais e têm funções específicas no nosso organismo. A cada dia, cientistas descobrem novos fitonutrientes e sua ação na saúde, na longevidade e na jovialidade. São descobertas que possibilitam saber o poder protetor, de prevenção e até de cura das ervas, frutas, flores, condimentos e dos vegetais. Essas substâncias causam interesse pela possibilidade de combaterem o câncer, as doenças cardíacas, o envelhecimento e até contribuir para a longevidade e para jovialidade. Há centenas de substâncias chamadas de fitonutrientes.

 

    Já se sabe que uma alimentação equilibrada é peça chave para a prevenção e a manutenção da saúde e que, ao incluir um copo de um suco de frutas todos os dias, como parte de uma alimentação saudável e variada‚ é uma excelente maneira de aumentar a ingestão de importantes nutrientes vitais para a boa saúde.

 

      Mas vamos ser realistas, com o estresse da vida moderna, nem sempre é possível a ingestão de várias porções de frutas, legumes e vegetais. Também, há grupos de pessoas que não têm condições de se alimentar nesta quantidade, tais como os idosos, por sua condição fisiológica, dificuldade de mastigação; ou as crianças, que geralmente são avessas a esses alimentos. Há também as grávidas e os esportistas que precisam de quantidades bem maiores de nutrientes.

 

   Os médicos, pelo menos a maioria, devido ao desconhecimento sobre a eficácia dos fitonutrientes, e às vezes esperando maiores comprovações, e outros, sob posições retrógradas, deixam de experimentar ou até mesmo de sugerir um fitonutriente.

 

      Para todos esses grupos e todas as deficiências, há suplementos que podem fornecer os nutrientes escassos. A combinação de fitonutrientes, se forem escolhidos e usados de forma adequada, desempenha um papel muito importante, traz benefícios reais à saúde.

 

No livro Ervas medicinais Fonte de Saúde e longevidade relacionei alguns estudos cientifícos desses fitonutrientes.

 

Arginina Alfa Ceto Glutarato

 Potente vasodilatador

Introdução

Arginina-alfa-cetoglutarato é um precursor da síntese do óxido nítrico (NO), sendo este um potente vasodilatador, promovendo melhor irrigação sanguínea dos tecidos, nomeadamente do tecido muscular. Uma maior irrigação promove maior transporte muscular de nutrientes, oxigênio, mensageiros químicos, entre outros, e uma rápida eliminação das substâncias tóxicas acumuladas, como ácido láctico, amônia, etc., ocasionando assim, o aumento da massa muscular, melhorando todo o metabolismo muscular e a regeneração do músculo durante e após o exercício.

Desta forma, todos os processos metabólicos relacionados, nomeadamente, com a atividade física, são melhorados e potencializados. A AAKG também é usada como um suplemento nutricional à imunidade de auxílio, para ajudar no metabolismo de aminoácidos e na disfunção erétil.

Propriedades

 Estimular a vasodilatação e oxigenação muscular • Aumentar o desempenho desportivo e sexual • Conferir resistência • Máxima definição muscular • Aumentar massa muscular.

L-arginina é convertida para óxido nítrico, uma substância importante para a saúde arterial. Uma pesquisa feita por Furchgott e outros mostraram que o óxido nítrico (NO) relaxa o músculo liso arterial, dilatação das artérias coronárias em até 50%. No entanto, o óxido nítrico desapare depois de alguns segundos, por isso deve ser reabastecido em um taxa constante para manter as artérias abertas e relaxadas. Falta de óxido nítrico está associado com constrição de artérias, danos ao revestimento arterial, e crescimento de placa acelerado. L-arginina encolhe placa coronária, corrige "disfunção endotelial", melhora a sensibilidade à insulina, é anti-inflamatório.

Estudos

Alfa-ceto ácidos podem aumentar tolerância ao treinamento para atletas Os suplementos de alfa-ceto ácidos, análogos de aminoácidos, podem melhorar a tolerância ao exercício físico e aumentar o estado de tensão de recuperação, diz um novo estudo. Pesquisadores da Universidade de Ulm, na Alemanha, e da Universidade Southeast, em Nanjing na China, explicaram que a diminuição da tolerância ao exercício pode estar relacionada a um acúmulo de amônia no corpo, chamada de hiperamonemia. Há hipótese de que os alfa-ceto ácidos podem oferecer benefícios, porque são fontes de nitrogênio dos aminoácidos livres. Eles são convertidos no corpo por um processo chamado de transaminação, reduzindo assim os níveis celulares de amônia.

A fim de testar esta hipótese, os pesquisadores forneceram, diariamente, durante cinco semanas, suplementos de alfa-ceto ácidos para homens não treinados e descobriu-se que esta associação promove melhorias na tolerância ao exercício e efeitos do treinamento.

"O exercício físico é de grande importância para a saúde pública", escreveram eles no Jornal da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva. “Este estudo mostrou que a suplementação nutricional com alfa-ceto ácidos em indivíduos saudáveis, não treinados melhorou significativamente a tolerância ao exercício, os efeitos do treinamento, e o estado de estresse de recuperação”.

Por isso, as observações para comprovar os benefícios potenciais de suplementos de alfa-ceto ácidos em indivíduos durante formação ativa será de valor científico e clínico. Segundo estudo liderado pela Ulm Yuefei Liu, os pesquisadores recrutaram 33 jovens adultos jovens não treinados, do sexo masculino, e submeteram todos a quatro semanas de treinamento.

 Os participantes foram aleatoriamente designados para um dos três grupos: o primeiro grupo recebeu alfacetoglutarato (0,2 gramas por quilograma de peso corporal por dia, Evonik Rexim SAS, França); ceto-ácidos de cadeia ramificada (0,2 gramas por quilograma de peso corporal por dia, Evonik Rexim SAS, França); ou um placebo isocalórico. A intervenção teve prosseguimento durante uma semana após o fim do regime de formação.

Os resultados mostraram que a suplementação com alfa-cetoglutarato ou com ceto-ácidos de cadeia ramificada foi associada às melhorias significativas no volume de treinamento, potência máxima e torque muscular, em comparação com o placebo grupo. Além disso, no grupo de placebo foram relatados níveis mais elevados de stress emocional geral e exaustão, em comparação com o grupo alfa-ceto ácidos.

Os pesquisadores afirmaram que este é o primeiro estudo para investigar os efeitos da suplementação de alfa-ceto-ácidos em treinamento físico. Embora o mecanismo subjacente dos efeitos da suplementação de alfa –ceto ácidos em exercício físico ainda não seja claro, temos demonstrado o impacto benéfico da suplementação com alfa-ceto ácidos em indivíduos não treinados.

Mais estudos são necessários para esclarecer se a suplementação com alfa-ceto ácidos afeta a homeostase de aminoácidos e metabolismo de amônia durante e após o exercício físico, eles concluíram.

 Referência: DANIELLS, Stephen. Alfa-ceto ácidos podem aumentar tolerância ao treinamento para atletas. Breaking News on Supplements & Nutrition - North America 2012.

 Concentração recomendada Via oral, doses diárias recomendadas de 3,0 gramas por dia com estômago vazio, preferencialmente pela manhã e uma hora antes do treino. Toleravel até 6000 mg ao dia, melhor tomar com o estômago vazio.

Interação medicamentosa Potencializa os efeitos dos Hipotensores.

 

Betaína

HCl Hidroclórico de Betaína (Ácido Hidroclórico)

 Hidroclórico de Betaína (HCl) é o mais comum suplemento que contém ácido hidroclórico. No processo digestivo, a comida inicia na boca, passa pelo esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso. Uma das partes mais importantes da digestão ocorre no estômago, onde o suco gástrico ajuda a separar as proteínas para a fase seguinte no intestino delgado. O baixo nível de suco gástrico no estômago aumenta o número de certas bactérias e infecções intestinais causadas por parasitas. Um nível normal de ácido é suficiente para destruir as bactérias.

Um estudo efetuado em pacientes com valores normais, virtualmente não têm bactérias no intestino delgado, mas os indivíduos com baixos níveis revelaram algumas culturas. Os sintomas de ácido clorídrico baixo incluem inchaço, indigestão, gases intestinais, acne, coceira ao redor do reto e parasitas intestinais crônicos. E a suplementação com Betaína HCl pode combater o baixo ácido clorídrico produzido pelo corpo.

Propriedades

Betaína HCl ajuda o estômago a quebrar as gorduras e proteínas. É essencial para o metabolismo dos alimentos, particularmente para a absorção de vitamina B12, que sua falta pode causar fraqueza Informações Técnicas Página 2 de 3 muscular e fadiga, cálcio e ferro. E funciona como liotrópico, ajudando a prevenir o acúmulo de gordura no fígado, desintoxica resíduos metabólicos e toxinas, ajudando até na perda de peso. Níveis suficientes de ácido clorídrico no estômago são necessários para a adequada absorção de nutrientes.

Indicações

 Betaína Cloridrato tem sido usada em preparações para desordens do fígado e gastrointestinais, hipopotassemia e alergias alimentares, assim como para produzir dióxido de carbono em pacientes submetidos a processos radiográficos de duplo contraste. É uma fonte de ácido clorídrico no tratamento da hipocloridria. Também para asma, candidiase e lúpus. Obs.: Ocasionalmente, a Betaína (trimetilglicina) é recomendada para reduzir os níveis da substância Homocistina, associada às doenças do coração. Esta forma de Betaína é diferente da Betaína HCl.

Concentração recomendada

É administrado na dosagem usual de 0,3 a 2g ao dia, acompanhado de refeições que contenham proteínas. Em crianças abaixo dos 3 anos de idade, pode ser usado uma dose inicial de 100mg /kg de peso corporal diariamente.

Contraindicações

 Uma alta quantidade de HCl pode destruir a membrana. Se tiver uma sensação de ardor no estômago, o consumo de HCl deve ser imediatamente descontinuado. Não consumir mais de 650mg de HCl por dia, sem a recomendação de um médico ou nutricionista. Todos os indivíduos com problemas gastrointestinais - como a Azia - devem consultar um nutricionista ou médico antes de tomar HCl. O HCl ajuda a assimilação de alguns minerais e outros nutrientes pelo organismo. A Aspirina, outros medicamentos e anti-inflamatórios, como a cortisona, podem causar feridas no estômago. Logo, o uso destes medicamentos deve ser acompanhado pela descontinuação do consumo de HCl.

Referências bibliográficas Literatura do fabricante 8819. Olthof MR et al. Journal of Nutrition 2003.

 

DL METIONINA

Nutricionalmente Essencial

DL-methionine (Racemetionina) Sinônimo: DL-2-Amino-4-(methylthio)butyric acid

Metionina, aminoácido essencial, é a forma racêmica do ácido aminometiltiobutírico, participando da síntese protéica e como precursora da glutationa.

Propriedades estudos indicações

DL-Metionina é indicado no tratamento de intoxicação causada por paracetamol para impedir dano hepático. Tratamento de assaduras em lactentes. Controle de odor, dermatite e ulceração causados pela urina amoniacal em adultos incontinentes. Coadjuvante no tratamento de hepatopatias. Estimula a síntese de glutation, diminui pH urinário, ajuda aliviar sintomas de artrite e reumatismo. DL-Metionina é usada para fortificar o valor nutricional de rações.

Concentração recomendada

Adultos: acidificante urinário: via oral, 200mg, 3 ou 4x/dia. Pode ser ingerida com alimentos. Antídoto do paracetamol: via oral, 2,5g cada 4 horas, até a dose total diária de 10g. A primeira dose deve ser ingerida entre 8 a 12 horas após a intoxicação. Hepatopatias: 1g v.o, 3x/dia. Informações Técnicas Página 2 de 2 Crianças: Acidificante urinário: via oral, o conteúdo de uma cápsula (200mg) diluído em água ou suco. Antídoto do paracetamol: crianças entre 3 a 11 anos: v.o, 1g (cápsula) cada 4 horas, até a dose total diária de 4g. A primeira dose deve ser ingerida com alimentos.

Reações adversas

Náusea, vômito, sonolência e irritabilidade.

Precauções

Manter alimentação protéica adequada pois a criança pode perder peso. - Suspender o uso se não houver melhora clínica em 10 dias pois pode causar exantema. - O tratamento de primeira escolha na intoxicação por overdose de paracetamol é a acetilcisteína. A racemetionina não é usada em situações emergenciais na ausência da acetilcisteína. - Doses elevadas podem realçar a toxemia de doença hepática.

Contraindicações

Metionina é contraindicada aos pacientes com doença hepática grave, pois pode precipitar encefalopatia hepática.

 

 

Taurina

Faça crescer tecido cerebral com taurina

       Taurina, um aminoácido pouco reconhecido, pode fazer o que se pensava ser impossível: estimular o crescimento de novas células cerebrais nos adultos. Este fato cria um novo paradigma na nossa maneira de abordar o declínio cognitivo relacionado com o envelhecimento, bem como a abordagem da doença de Parkinson e de Alzheimer. Os níveis deste aminoácido decrescem com a idade, deixando o cérebro sem proteção. Já sabíamos que a ingestão de 1.7 gramas do ômega-3 DHA aliada ao exercício aeróbico proporcionava um aumento das conexões neuronais, mas agora sabemos que a suplementação com taurina pode restaurar os seus níveis e melhorar a função cerebral.

      A taurina também está associada à função cardiovascular e à longevidade. As pessoas com doenças metabólicas (diabetes) têm baixos níveis de taurina o que incrementa o risco de doença cardíaca. A suplementação com taurina associada à metformina – medicamento de origem vegetal utilizado no tratamento da diabetes, demonstrou uma redução dramática na lesão dos tecidos corporais, nomeadamente no tecido cerebral.

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade