Porque implantar as terapias complementares (terapias naturais) no sistema público de saúde ?

As Terapias Naturais proporcionam uma vasta gama de benefícios as pessoas e vai:

  • prevenir a iatrogênia,
  • diminuir mortes prematuras,
  • evitar cirurgias desnecessárias,
  • reduzir internações hospitalares,
  • acabar com a mascaração de sintomas,
  • debelar doenças chamadas de incuráveis,
  • prevenir e evitar mutilações de órgãos e membros;
  • tirar pessoas de seus sofrimentos, acabando com suas dores.

 

Terapias naturais

       Nos últimos anos, muito se tem falado sobre terapias complementares e integrativas (terapias naturais). No entanto, poucos são aqueles que sabem em que medida essas terapias contribuem para uma melhoria do estado de saúde daqueles que as procuram.

       A medicina médica convencional tem sido até há poucos anos praticamente, de forma geral,  a única opção para as pessoas. Contudo, tem-se verificado que na última década, a procura por tratamentos não convencionais por parte dos cidadãos tem-se aumentado.

Há cada vez mais demonstrações dos resultados de algumas destas terapias. A sua eficácia é algo que tem vindo a ser provado.

Quantas vezes a medicina convencional não é capaz de resolver problemas que depois são tratados eficazmente com as terapias chamadas de alternativas.

 

      Muitas doenças, para as quais a medicina convencional receita quase sempre atenuantes de sintomas e paliativos, podem se beneficiar muito das terapias naturais, especialmente a Fitoterapia.

 Por causa da asma e de algumas doenças pulmonares crônicas no Brasil, hoje temos milhões de pessoas que depende do uso da bombinha para respirar.

Um bom programa de tratamento que proporcionará melhora nos quadros de Asma, pode tirar milhares de pessoas do sofrimento e da dependência do uso da bombinha.

A solução para acabar com o sofrimento dessas milhares de pessoas é oferecer tratamentos que realmente funcionam e que são eficazes.

 

      Sabe aquelas dores que há anos lhe faz sofrer, a solução dela esta numas sessões de Massoterapia e na Fitoterapia que deveria ser oferecido no Centro de Terapias Naturais.

A solução para acabar com o sofrimento de milhares de pessoas é oferecer tratamentos que realmente funcionam, como a fitoterapia, a massoterapia e a acupuntura..... e etc.

 

 

 

Centros de Terapias Naturais no SUS.

       Esse projeto é importante e vou continuar a lutar por ele, porque a solução para acabar com o sofrimento de milhares de pessoas que se enfileiram nos corredores dos hospitais e das UPAS é oferecer tratamentos que são eficazes e que realmente funcione. Temos um sistema de saúde incapaz de fornecer qualquer resultado em algumas doenças e totalmente incapaz de combater muitas doenças e todos os dias vemos doentes que NÃO foram tratados eficazmente com seus tratamentos.

Precisamos de uma reformulação na saúde.

    É importante privilegiar as abordagens preventivas e os recursos que realmente são eficazes, que reduzirá sensivelmente os custos do sistema e vai diminuir a dependência de tantos remédios e da medicina tecnológica. O modelo atual de medicina está cada vez mais caro, sofisticado e elitizado, que atende aos interesses mercantilistas, sem sanar grande parte dos males que nos afligem, a não ser paliativamente.

 

"Não adianta vento a favor se o barco está sem rumo ou com casco furado" ditado de um pescador.

     A proposta de construir UPAS, aumentar número de leitos e contratar mais médicos é uma ideia enferrujada e atrofiada. Temos que desemperarmos as cabeças dos Gestores públicos e Secretários de Saúde que deveriam promover saúde e não em construir, UPAS e aumentar leitos. 
 Se seguirem com essas ideias, vão manter as pessoas que precisam do emperrado e atrofiado atendimento público de saúde em sofrimento, se enfileirando nas portas das UPAS e nos corredores dos hospitais.

Em Curitiba não vejo possibilidade, pois como já sabemos o secretário de saúde da gestão que inicia em 2017 será um médico, membro do conselho de medicina. Esse conselho sempre foi contra as terapias naturais.

Sem contar os cargos comissionados que, ao que parece tem como interesse que mais exames, mais consultas e mais cirúrgias forem realizados melhor, mais eles faturam.

Enquanto negligenciam as terapias complementares, milhões de pessoas vão continuar morrendo ou sendo mutiladas por conta de intervenções e procedimentos ineficazes aprovados pelo sistema que aí esta.

 

 

      A solução para muitas das dificuldades enfrentadas pelas pessoas de idade, tais como levantar e abaixar esta numas sessões de massoterapias, que deveria ser oferecidas no Centro de Terapias Naturais.

Umas boas sessões de massoterapia tem melhorado a vida de milhares de pessoas.

Nesse caso, a massagem tem o poder de melhorar tais sintomas por liberar a rigidez das articulações e dos músculos, substituindo por vezes o consumo excessivo de medicamentos.

A melhora do movimento das articulações vai facilitar a atividade de sentar e de levantar.

 

 

Dói-me aqui, me dói ali, dói acolá.

A danada da dor não para de me atormentá.

Dói as nossas juntas e, se juntar à idade, piora muito mais....

As pessoas acham que a dor faz parte do envelhecimento, mas não é verdade.

Dor é desagradável e varia de dor leve a excruciante.

A limitação dos movimentos devido a dor causa atrofia da musculatura. O problema é que as soluções apresentadas pelo sistema de saúde não resolvem a dor.

Mas há como controlar e até eliminar a dor, devolvendo a qualidade de vida a pessoa.

Se os recursos que são eficazes para desatrofiar, desemperrar e devolver a qualidade de vida, especialmente das pessoas que estão emperradas e tendo que, por exemplo, usar um andador para caminhar fossem implantados nos serviços de saúde  tiraria milhares de  pessoas  desse sofrimento.

 

 

As pessoas idosas estão sub-representadas nos serviço pùblico e particular de saúde no tratamento da dor.

Existem deficiências na avaliação e no tratamento da dor dos idosos. Por oferecem tratamentos ineficazes, deixam essas pessoas  atrofiadas, emperradas, passando por dores contínuas e fazendo uso permanente de medicamentos.

 

As pessoas idosas seriam as mais beneficiadas e teriam suas dores aliviadas, se Centro de Terapias Naturais fossem implantados nos sistemas de saúde.

 

 

 

 

 

 

Todos sabemos o quanto é aflitivo ver uma criança sofrendo de dor.

       Pedro é um bebê de 1 ano e 4 meses, que há 7 meses vinha sofrendo de dor de ouvido, foi ao médico que constatou uma otite. Ele sentia muita dor e chorava sem parar.... Felizmente, o Pedro teve sua dor aliada no mesmo dia que iniciou um tratamento natural e em uma semana teve a inflamação controlada.

    Ver uma criança sofrer de dor e tomar antibiótico forte durante 7 meses é angustiante para os pais.

     Além dos tratamentos convencionais que demoram para fazer efeito e são pouco eficazes, existem tratamentos naturais muito eficiente que reduz a dor imediatamente e acelera a desinflamação. Melhor ainda, não expõe a criança aos riscos que o antibiótico oferece.

      A solução para acabar com o sofrimento de milhares de crianças que ficam meses e até anos sofrendo por conta de uma otite é oferecer tratamentos que realmente funcionam.. Por isso, devemos exigir que esses tratamentos sejam oferecidos na saúde pública.

Uma das situações mais incômodas para as crianças é a dor de ouvido. O tratamento da otite pela medicina convencional é feito com antibióticos e a dor é controlada com analgésico.

 

     Graças à fitoterapia (terapia natural), a dona Lucia, moradora na cidade de Panambi no Rio Grande Do Sul não entrou para o rol das milhares de pessoas amputadas.

      A dona Lucia teve úlcera nas duas pernas (feridas crônicas), vinha resistindo à amputação de suas pernas, pois os médicos que avaliaram o seu caso insistiam que deveria ser amputada.

Dê uma olhada nesse link e veja alguns dos casos complexos que a fitoterapia resolveu  ulcera-varicosa

     A solução para evitar amputações e acabar com o sofrimento de milhares de pessoas é oferecer tratamentos que realmente funcionam e são eficazes........

 

     Temos um sistema de medicina incapaz de fornecer qualquer resultado significativo em algumas doenças e totalmente incapaz de combater muitas doenças e todos os dias vemos doentes que NÃO foram tratados eficazmente com seus tratamentos.

  • A medicina, inclusive na saúde pública, trata os pacientes com sintomas de Refluxo Gastroesofágico com medicamentos que nem sequer alivia as crises.
  • O mesmo ocorre com as pessoas acometidas das Enxaquecas que se fizerem a interrupção do tratamento com as drogas prescritas logo tem recaída.
  • Outro aspecto relevante, é que os pacientes que realizam esses tratamentos não apresentam melhora justificável, o que reforça a importância de um tratamento que realmente funcione.

Em vez de eliminar as pedras (cálculos) em casos de colelitíase, a medicina elimina a vesícula.

     Porque retirar a vesícula biliar? Será que a vesícula é um órgão desnecessário? Pedra na vesícula é um problema que atinge até 10% da população. Por causa da incompetência da medicina, cada vez mais pessoas estão submetendo-se à colecistectomia (retirada cirúrgica da vesícula biliar) sem ao menos tentarem os métodos naturais para que possa ser possível preservar esse órgão tão importante.

     A medicina ainda não consegue resolver a enxaqueca, pedra na vesícula, refluxo gastroesofágico, fibromialgia e tantas outras doenças. A vesícula está com cálculos? Extirpe-a.  A perna está com trombose? Ampute-a.  O pé tem uma ferida crônica. Ampute–o.  E assim vai.

Até onde devemos nos submeter a um tratamento médico quando este não promove a cura para uma doença?

 

Não é fácil, por mais que eu tente, me esforce para entender, tem coisas que realmente emperram.

Chega de blá-blá-blá e vamos implantar tratamentos que realmente funcionam.

    

 

Junte-se a luta pelas Terapias Complementares no SUS acessível a todos, em todos os lugares do Brasil.

Mobilize - se e envolva - se.

Copie o link e envie para os Veradores e Prefeito de sua cidade, para o governador do seu Estado, para os deputados estaduais, federais e para  o presidente da República.

Me atrevo a fazer um chamado aos brasileiros que sejam solidários com a sua saúde, que está sendo tratada com recursos paliativos que perpetua a doença, a dor e o sofrimento. Peço a vocês que mobilizem familiares, seus colegas de trabalho, os fiéis de sua igreja.Vamos exigir que Centro de Terapias Naturais sejam implantados.

   Este projeto insere-se em um novo panorama da Saúde Pública no Brasil: a inserção de Práticas Integrativas e Complementares, estimulada pelas políticas do Ministério da Saúde, em especial pela Portaria N.º 971 de 3 de Maio de 2006 que aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS.

   Por isso, devemos exigir que o SUS busque mecanismos para avaliar os benefícios que os centros trarão para os cidadãos e para o sistema, tendo em vista que, na atualidade, o valor das terapias complementares são inegavelmente inquestionáveis.

    Infelizmente, a maioria das pessoas já se acostumaram e aceitam uma saúde de péssima qualidade e se contentam com a maquiagem que fazem para dar a impressão que melhoraram o atendimento.
 
 É preciso atitude dos cidadãos.
    O Flavio Bolt, da cidade de Panambi no Rio Grande do Sul, que me acompanha por aqui, já passou o link para o prefeito de sua cidade e cobrou que ele implante para a população do seu município.

 

    Por ser de baixo custo e proporcionar uma melhora na qualidade de vida dos pacientes, de forma a contribuir com a saúde, considera-se de fundamental importância para a saúde pública a implantação das Terapias Complementares no SUS de todas as cidade do Brasil.

 

Porque implantar as terapias naturais no sistema público de saúde ?

    Num momento da vida nacional em que se verifica a ineficiência do sistema de saúde e sua incapacidade de atender adequadamente aos cidadãos, este projeto prestará um inestimável serviço de Saúde Pública. Visamos encontrar uma alternativa para atender essa carência que temos no atendimento médico.

     As terapias naturais é uma saída para reduzir os gastos no sistema público de saúde. A solução é incluí-la no serviço público. Esse recurso pode, dentre tantos benefícios à saúde, contribuir para evitar a falência dos cofres públicos, por conta dos gastos com doenças.

     Se o Gestor público de saúde incluir no sistema, teremos grande economia em termos financeiros, e isso, por si só, já justifica sua implantação, mas o mais importante é que evitaremos o sofrimento humano e poderemos evitar os procedimentos médicos inúteis, às vezes, desnecessários que são frequentemente realizados. 

É possível também reduzir e mesmo eliminar algumas das consequências severas dos remédios, o custo e até o tempo de internamento.

 

Por conta da ineficiência dos serviços de saúde, o Brasil gasta e perde muitos bilhões com a manutenção da doença, dor e do sofrimento.

     É grande a quantidade de tempo e recursos gastos com os pacientes que são vitimas de um sistema de saúde que oferece quase sempre tratamentos paliativos e por conta disso, perpetua a doença e a dor.

     A demanda em hospitais e clínicas ocasionam um aumento no custo de despesas nos cuidados com a saúde. O custo de tal demanda é um ônus a mais para os cofres públicos e privados, pois o governo, as indústrias e a sociedade arcam com essas despesas.

     Sabe-se que algumas doenças e alguns doentes é a origem de milhões de consultas médicas, exames laboratorias e cirurgias (na maioria desnecessários) e  também impõem às empresas milhões de dias de trabalho perdidos anualmente.

     Façam as contas dos custos que uma pessoa que  submete a 16 cirurgias dá ao seu plano de saúde ou ao SUS e a empresa onde ela trabalha (por conta dos dias não trabalhados) porque teve que ficar afastada para se recuperar dos procedimentos  e das cirurgias ineficazes que submeteu. Este foi o caso de uma jovem que submeteu a 16 cirurgias na coluna para a retirada de um tumor que sempre reincidia, já estava com outra cirurgia agendada, ela teve o tumor eliminado com ajuda da Fitoterapia. O mais importante é que Não houve mais recidiva do tumor.


 

 

Com esse sistema, os cofres públicos é onerado duas vezes.

Os prejuízos econômicos chegam à cifras bilionárias anuais ao país.

    Uma para pagar os tratamentos ineficazes que foram feitos e a outra é para pagar os dias afastados ou a aposentadoria precose por invalidez temporaria ou permanente, bem como para pagar as próteses dos mutilados que o próprio sistema (a medicina) fez.

Suga-se os cofres do SUS e do INSS.

     Gasta-se para manter as pessoas afastadas do trabalho e com os tratamentos. Dá para imaginar quanto o INSS gasta com os afastamentos dos trabalhadores por conta das doenças que o sistema ainda não consegue resolver. Tudo isso ocorre poque “Fecham os olhos” a uma série de evidências que deveriam conduzir a sua atuação para recursos terapêuticos mais eficientes e seguros.

    Enquanto os gestores público dormem em berços esplendidos no pais do faz de conta, grandes ideias ficam engavetada. Pois negligenciam ou ignoram soluções que aliviaria ou solucionariam o sofrimento de milhões de pessoas que ainda hoje, continuam morrendo ou sendo mutiladas por conta de intervenções e procedimentos ineficazes e tratamentos paliativos.

 

A ameaça da falência do sistema de saúde pode ser superada com a inclusão das terapias complementares no sistema.

     As soluções são efetivas – e apresentam uma ótima relação custo benefício. Num momento da vida nacional em que se verifica a ineficiência do sistema de saúde e sua incapacidade de atender adequadamente aos cidadãos, o centro de terapias naturais prestará um inestimável serviço a Saúde Pública e não só evitará que bilhões de reais não sejam gastos como dezenas de milhões de mortes prematuras sejam evitadas.

     O SUS,  vai se mantendo "aos trancos e barrancos"com seu incontornável problema da escassez de recursos, precário e decadente, com pessoas sofrendo nas filas de hospitais e em leitos nos corredores....., uma calamidade.

      Nesse sentido, é fundamental que enxerguemos o que não se vê, e passemos, nós usuários do SUS, a compreender que devemos exigir que já que é obrigação dos governos prover atendimento a saúde, então que nos ofereça os recursos que realmente sejam eficazes, pois o modelo atual de prestação de serviços de saúde, apesar de toda a evolução do SUS, ainda é ineficiente e não cumpre o desiderato apontado na Constituição, de que é dever do Estado oferecer ao cidadão todos os meios para que ele tenha boa saúde.

      É um sistema de assistência e uma política de saúde inadequada à realidade social e econômica brasileira. É um modelo caro, oneroso, voraz e drena os recursos do país a uma velocidade espantosa, com custos exorbitantes.  Esse sistema consome, anualmente, bilhões de reias dos nossos impostos que não tem sentido e para as amplas campanhas que tentam convencer o público de que os impostos são bem gastos.

 

        Diversas unidades de saúde pública no Brasil estão inserindo as práticas complementares, mas nesse projeto exigimos o Centro de Terapias Naturais que execute apenas as terapias naturais. A junção no mesmo espaço com as práticas alopáticas ao meu ver é inviável por vários motivos que não vem ao caso relatá-las aqui, mas eles devem ser discutidos e debatidos.

         Este projeto insere-se em um novo panorama da Saúde Pública no Brasil: a inserção de Práticas Integrativas e Complementares, estimulada pelas políticas do Ministério da Saúde, em especial pela Portaria N.º 971 de 3 de Maio de 2006 que aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS

 

Morrendo ou sofrendo por não saber

  • As pessoas sofrem e até morrem por não saber que existem outros recursos capazes de aliviar a sua dor ou curá-las.
  • Estão mascarando muitas doenças com remédios e tratamentos temporários e ineficazes.
  • Até onde devemos nos submeter a um tratamento médico quando este não promove a cura para uma doença?
  • É preciso ter humildade para reconhecer as limitações, pois ainda existem muitas doenças que a medicina não consegue solucionar.  

 

         Enquanto negligenciam as Terapias Complementares, milhões de pessoas vão continuar morrendo ou sendo mutiladas por conta de intervenções e procedimentos ineficazes.

 

 

   A solução para muitas doenças que nos acometem hoje, ainda está longe de ser alcançada

    É importante saber que a solução para muitas doenças que nos acometem hoje, ainda está longe de ser alcançada. A medicina evoluiu muito, mas não consegue ainda resolver muitas doenças.  A ciência surpreende-nos todos os dias, mas a medicina ainda não evoluiu o suficiente para acabar com doenças crônicas que ainda não têm cura.

    E mesmo porque nem os mais avançados centros de medicina do mundo, apesar de tanta evolução nos seus tratamentos contam com recursos para curar algumas doenças e oferecem apenas tratamentos paliativos. E nem mesmo as fantásticas células tronco vai curar algumas doenças.

    Temos colhidos grandes benefícios dos progressos, da medicina convencional, mas ela não tem sido capaz de controlar a evolução ou o avanço de muitas doenças e todos os dias somos confrontados com doentes que não foram tratados eficazmente com os tratamentos médicos convencionais.

 

       As Práticas Integrativas podem ser utilizadas como primeira opção terapêutica ou de forma complementar conforme a necessidade terapêutica individual. Podem estar em centros especificos ou nas UPAS ou ser organizadas de acordo com as necessidades de saúde locais. Como por exemplo, destaca-se o uso da Acupuntura em pessoas com dores, a Massoterapia no atendimento as desordens musculo-esqueléticas, a Fitoterapia na atenção a diversas doenças.

      O campo de atuação na saúde é bastante amplo, e abrange diferentes aspectos da vida das pessoas. Além disso, quando utilizadas por profissionais qualificados raramente causam riscos à saúde ou efeitos adversos relativos ao emprego desses recursos.

 

 

Por que as pessoas estão procurando esses recursos naturais para tratamentos?

  • A maioria das pessoas hoje, estão reconhecendo as falhas do sistema de saúde.
  • A principal razão é que nosso sistema de saúde convencional é muito deficiente e está caótico devido aos maus profissionais e aos gestores negligentes.
  • Uma proporção crescente do público está à procura de soluções para melhorar sua saúde, escolhendo uma nova direção para buscá-las. Cada vez mais, uma parcela da população vem procurando alternativas na área de tratamento de saúde e a maior parte está se voltando para o uso de terapias naturais.
  • O desejo de encontrar uma alternativa aos medicamentos sintéticos, em geral carregados de efeitos colaterais. Isso ocorre no momento em que o público toma consciência dos efeitos iatrogênicos da maioria dos remédios sintéticos.
  • A questão econômica e o custo financeiro da assistência à saúde provocam desilusão crescente.
  •  As limitações dos remédios sintéticos e suas reações adversas fazem aumentar a procura. Existem muitas doenças crônicas sendo tratadas inadequadamente.
  • A medicina convencional, de sucesso fantástico no tratamento de infecções abrangentes, emergências cirúrgicas e médicas e defeitos congênitos, não tem sido capaz de controlar a evolução ou o avanço de muitas doenças. Ao passo que, “simples abordagens” com elementos naturais podem aliviar uma dor, controlar a evolução de uma doença e até mesmo curá-la.

 

Há milhares de pessoas com a companhia temporária ou permanente das muletas, isso porque não sabem que há recursos que podem ajudá-las a se livrar dessa dependência.

 Algumas dessas condições podem ser resolvidas e, quando tratadas corretamente, podem ser curadas, como é o caso de muitas pessoas que sofrem acidentes.

 

 

 

 

 

 

 

Apesar do progresso tecnológico vivido por nós na área da saúde e, mais especificamente, na área da ortopedia, a falta de medidas curativas para a grande maioria dos casos de coluna lombar e cervical ainda é fato e alguns procedimentos tem se mostrado ineficazes e são inúteis. Muitas pessoas tem colocado pinus na coluna cervical, mal sabem elas que isso é apenas uma solução mecânica para um problema orgânico que temporáriamente terá um certo alívio, mas que mais tarde voltará a incomodar.

 

As terapias complementares pode reduzir as doenças causadas por uso de remédios alopáticos?

     É possível reduzir e mesmo eliminar algumas das consequências severas dos remédios, tanto em termos de sofrimento humano quanto em custo econômico, diminuindo até o tempo de internamento. Parte das reações adversas poderá ser evitada, pois, anualmente, milhares de pessoas são hospitalizadas devido a reações adversas a medicamentos, sob o risco de contrair outras doenças, como perda de memória, fraturas por quedas – todas induzidas ou causadas por efeitos de remédios.

     Segundo a Organização Mundial da Saúde, 60% das doenças têm uma etiologia de origem iatrogênica, ou seja, foram provocadas por um medicamento. Dados da OMS mostram também que mais de 50% dos medicamentos que circulam no mundo foram receitados, vendidos ou preparados de forma inadequada. Em grande parte esse índice se deve ao fato de prescrições médicas exageradas de medicamentos muitas vezes desnecessários. De acordo com a OMS, 50% das pessoas no planeta usam fármacos de forma errada. No Brasil, esses erros são responsáveis por 30,7% das intoxicações e 19,7% dos óbitos, segundo o Ministério da Saúde.

     Precisamos de recursos mais baratos, mais simples e eficazes, como as terapias naturais, que não onerem a economia do cidadão ou do próprio governo.

 

 

       Infelizmente, o respeito e reconhecimento concedidos as Terapias Complementares são ainda limitados, pelo fato de haver pouca clarificação não só nos procedimentos, mas também na acreditação dos profissionais que as praticam.

       Mas á partir do momento que o Ministério da Saúde e a OMS Organização Mundial da Saúde reconheceu e passou a recomendar o uso das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, algumas Faculdade instituíram em sua grade curricular as disciplinas que capacitam o profissional para praticar essas terapias.

       Estes cursos visam capacitar, qualificar e formar profissionais em Terapias Naturais (Práticas integrativas e complementares em saúde). Capacitam para atuarem como consultores em práticas integrativas e complementares, com habilidade para trabalhar junto a equipes multidisciplinares na implantação de tais práticas em serviços públicos ou privados de saúde.

 

As terapias mais procuradas pela população e que tem sido mais reconhecidas são: a Fitoterapia, a massoterapia e a acupuntura:

Fitoterapia

    Utiliza como ingredientes terapêuticos substâncias provenientes de plantas frescas ou secas. Inclui a promoção da saúde e a prevenção da doença, abrangendo ainda o aconselhamento alimentar (dietético) e orientação sobre estilos de vida. No Brasil, devido à imensa biodiversidade, as plantas medicinais são amplamente utilizadas para o tratamento, cura e prevenção de enfermidades, podendo ser consideradas como uma alternativa de menor custo e menores efeitos colaterais.

    No entanto, para a institucionalização da fitoterapia na atenção básica, faz-se necessário maior empenho do Gestor público, além de investimentos na capacitação dos profissionais de saúde, para que a população possa se beneficiar da fitoterapia, como uma alternativa aos cuidados da saúde.

    A fitoterapia foi reconhecida oficialmente como de "interesse popular e institucional" pela Portaria 971, do Ministério da Saúde, mas ainda há pendências nas diretrizes desse ministério. Faltam esforços políticos na execução, para implantar aspectos práticos dessa portaria.

 

Muitos ainda pensam que a fitoterapia nada mais é do que um conhecimento baseado em crendice popular.

     A Fitoterapia é, segundo pesquisas, um dos mais importantes recursos de prevenção, promoção e tratamento de saúde. Estastisticas também demonstram uma preferência pelo uso de plantas medicinais em substituição aos medicamentos alopáticos tradicionais. Esta substituição se deve principalmente aos custos mais elevados e aos efeitos colaterais dos alopáticos e também por certa descrença em tratamentos demorados e com poucos benefícios, ás vezes ineficazes.

     Ao longo de muitos anos a fitoterapia foi deixada de lado não em razão de não ser eficaz, mas por não se ajustarem ao sistema de saúde tradicional. “Fecharam os olhos” a uma série de evidências que deveriam conduzir a sua atuação para recursos terapêuticos mais eficientes e seguros.

    A Fitoterapia é polivalente e resolve doenças que o tratamento convencional não consegue resolver. A fitoterapia é uma alternativa eficaz para a cura, tratamento e profilaxia de doenças.

 

     Não há mal nenhum em procurar a Fitoterapia para cuidar de uma doença para a qual a medicina não tem cura ou para aliviar efeitos colaterais de remédios alopáticos.  E ao contrário de algumas décadas atrás, quando a maioria das evidências de "cura natural" foi anedótica, há agora milhares de estudos sobre centenas de substâncias naturais e atividades terapêuticas que podem amenizar e até curar muitas doenças consideradas incuráveis.

A Fitoterapia é eficaz?  

     Sim, super eficaz e tem surpreendido, por apresentar resultados nas doenças pelas quais não há mais nada a fazer. Pelo fato de curar doenças que a medicina e a medicação moderna infelizmente ainda não conseguem, ela pode e deve ser utilizada, junto à terapêutica convencional ou quando não se obtêm desta os resultados esperados.

     A Fitoterapia tem sido eficiente em debelar, entre outros, problemas ainda considerados incuráveis. O mais importante é que ela surpreende com resultados, mesmo quando outros recursos já se esgotaram.

     O tratamento com plantas medicinais não consiste apenas em aliviar os sintomas apresentados, visa também à recuperação das funções normais do órgão doente. A Fitoterapia, além de ajudar no controle e na evolução de doenças, contribui para curá-las.

Dê uma olhada nesse link e veja alguns dos casos complexos que a fitoterapia resolveu a-cura

 

A massagem terapêutica é outro recurso que devemos ter no centro de terapias naturais

      Na prática, já se sabia desde a antiguidade os benefícios da massagem, tanto que os gregos antigos e chineses praticavam massagem em seus atletas depois de exercícios.

A massagem terapêutica facilita a recuperação após danos musculares.

     Por exemplo, um alongamento forçado do músculo, faz com que ele passe do seu limite elástico natural e o deixa contraído. Isso pode durar semanas e até meses e causar dor. A massagem depois dessa prática ajuda. Após um esforço ou estresse intenso, o simples repouso não é suficiente para se recuperar. A massagem tem vários efeitos sobre o músculo, o tendão, a circulação, o sistema nervoso e etc. Mas uma massagem é mais agradável quando é feita com óleo ou creme medicinal para otimizar o efeito.

Efeito da massagem contra dor é similar ao de analgésico, diz estudo

     Uma equipe de cientistas, no Canadá, demonstrou o mecanismo bioquímico pelo qual a massagem faz efeito terapêutico. O estudo foi publicado na edição da revista médica americana "Science Translational Medicine" pela equipe coordenada por Justin Crane e Mark Tarnopolsky, da Universidade McMaster, do Canadá.
Usando um grupo de 11 voluntários que realizou exercícios físicos, recebeu massagem feita por profissionais e, depois, foi submetido a biópsias nos músculos afetados, Crane e seus colegas documentaram as mudanças biológicas nos tecidos.
       Após dez minutos de massagem, as vias de sinalização que respondem a estresses mecânicos foram ativadas. A massagem reduziu sinais de inflamação, e células musculares massageadas eram mais capazes de formar novas mitocôndrias, escreveu o editor da revista. Graças à massagem, as células musculares produziram com mais eficiência "organelas" (pequenos órgãos dentro das células) ligados à produção de energia.

     O estudo envolveu testar os músculos das pernas de voluntários submetidos a exercícios exaustivos. Dez minutos de massagem reduziram os sinais de inflamação nas células. E, algo que vai merecer mais estudo, mas o resultado foi parecido ao produzido por analgésicos. Segundo os pesquisadores responsáveis pelo estudo, é importante dar validade científica a tratamentos com massagem, que são cada vez mais procurados em substituição ou de forma complementar ao atendimento médico convencional. Além disso, livraria os pacientes de efeitos colaterais de analgésicos e anti-inflamatórios.

 

 

Por meio do tratamento com massagem muitas pessoas já deixaram de usar bengalas, andadores e até cadeiras de rodas.

    A massagem terapêutica feita por um profissional qualificado, além de beneficiar na prevenção de algumas dores, serve como aliada em tratamentos de doenças. A massoterapia é uma técnica que consiste em um conjunto de toques exercidos com as mãos e aparelhos sobre determinadas regiões do corpo.
      Indicada para aliviar dores, controlar as dores musculares, eliminar traumas e estimular a circulação sanguínea.
Segundo estudos, a massagem terapêutica quando executada de maneira correta, promove efeitos e benefícios no organismo, como o movimento da linfa, de sangue venoso, e na mobilização de fibras musculares, tendões e aderências.
     Há também outros efeitos fisiológicos que são o aumento da circulação sanguínea e linfática, aumento do fluxo de nutrientes promovendo assim a remoção dos produtos catabólicos e metabólicos, resolução de edemas e hematomas, estimulação nos processos de cicatrização, maior extensibilidade do tecido, alívio de dores, aumento e melhora do movimento das articulações e facilitação na atividade física.
     De acordo com estudos, esses diversos efeitos promovidos pela massagem terapêutica trazem benefícios à saúde, como a melhora da hipertensão, insônia, dores de cabeça, ansiedade e depressão.

    Mas sem dúvidas, uma das principais queixas que levam a procurar os serviços de massagem são as dores nas costas, ocasionadas pela falta de tônus muscular. A principal causa é a tensão acumuladas, que geram músculos tensos e retesados, provocando consequentemente a dor.

 

 

     Acima de qualquer discussão está o direito da pessoa doente em optar pelo tratamento que preferir.

Além do mais vemos as pessoas que por filosofia de vida optaram por ter hábitos e estilo de vidas saudáveis, por sinal, dependem muito pouco de serviços médicos, mas quando necessitam são obrigados a se expor aos tratamentos oferecidos pelo sistema.

      

 

Acesse o link salvar-a-saude vocês vão entender porque a saúde pública vai continuar sendo péssima

 

 

Pesquisar no site

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade